Um boa forma de começar a investir é definindo a estratégia de investimento mais apropriada para o investidor. 

Por isso, é fundamental entender o que é uma estratégia de investimento e qual seria a melhor para o investidor, de acordo com suas preferência e objetivos.

 

O que é uma estratégia de investimento? 

A estratégia de investimento é o plano estabelecido pelo investidor para a construção e desenvolvimento da sua carteira de investimentos. 

 

Assim, com uma estratégia bem definida, o investidor consegue obter uma carteira que seja compatível com seus objetivos, preferências e o seu nível de aversão ao risco. 

 

Entre as principais ideias que devem ser definidas em uma estratégia de investimento, estão: 

 

  • Perfil do investidor;
  • Escolha de ativos;
  • Composição da carteira (proporção entre diferentes ativos);
  • Prazos de investimento;
  • Valor a ser investido.

 

Com a definição dos pontos listados acima, o investidor consegue entender bem qual a melhor estratégia de investimento que deve ser adotada. 

 

É importante lembrar que, do mais conservador ao mais arrojado dos investidores, é importante haver, ao menos, uma mínima diversificação entre os ativos que compõem a carteira. 

 

Por isso, com a ajuda de uma estratégia de investimento bem definida, o investidor consegue desenvolver um portfólio que detenha a diversificação mais apropriada em relação aos prazos e nível de risco dos ativos.  

Prazo e estratégia de investimento

Um dos principais pontos relacionados a estratégia do investimento, é a definição do prazo de intenção de resgate. 

É comum que, em meio a diversificação da carteira de investimentos, porcentagens do capital aplicado possuam diferentes prazos definidos. 

 

E, consequentemente, ao possuir diferentes prazos de investimentos, é comum que os ativos sejam diferentes entre si. 

 

Por isso, é importante entender como funcionam as estratégias de investimento de curto e longo prazo. 

Curto prazo

Muitos investidores gostam de ter investimentos com facilidade de resgate, por conta de emergências ou necessidades de curto prazo. 

 

Ou, até mesmo, para possuir uma reserva para aproveitar bons momentos de compra na renda variável. 

 

Por isso, é comum que parte da estratégia e da carteira de investimentos seja pensada com o foco no curto prazo.

 

Para este fim, normalmente, o investidor pode recorrer a letras do tesouro nacional, que possuem alta liquidez e chances irrisórias de prejuízo no curto prazo. 

 

Além dos títulos do tesouro, é possível encontrar outras opções entre os investimentos de renda fixa que exerçam a mesma função na carteira de investimento. 

 

Em contrapartida, outros investidores têm a ambição de conseguir bons ganhos no curto prazo com a estratégia de especulação na renda variável. 

 

A verdade é que, por conta da alta volatilidade e imprevisibilidade da renda variável no curto prazo, esse tipo de aplicação costuma ser de altíssimo risco, resultando normalmente em perdas agregadas ao longo do tempo para o investidor. 

Longo prazo

Os investimentos voltados a longo prazo, sobretudo na renda variável, possuem um maior potencial de rentabilidade e segurança em relação a retornos positivos.

 

Isso porque, apesar da grande volatilidade de curto prazo da renda variável, no longo prazo os retornos positivos acima da média são muito mais prováveis. 

 

Nesse tipo de investimento a análise fundamentalista dos ativos é de grande serventia para garantir bons resultados. 

 

Além das opções de renda variável para o longo prazo, o investidor pode diversificar sua carteira com ativos de renda fixa, que trazem uma maior segurança para a carteira do investidor. 

 

Existem alguns fundos de renda fixa, CDBs, entre outros ativos de renda fixa, que apresentam boas taxas e grande segurança, principalmente quando assegurados pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). 

 

A composição dos investimentos voltados ao longo prazo, evidentemente, dependerá do nível de aversão ao risco do investidor, assim como suas preferências e objetivos de retornos. 

Principais estratégias de investimento

Existem algumas diferentes estratégias de investimento que dizem respeito ao método adotado pelo investidor.

 

É possível até mesclar um pouco de cada uma dessas estratégias em uma carteira de investimento. 

 

Por isso, é importante conhecer as mais conhecidas e principais estratégias de investimentos: 

 

  • Buy and Hold;
  • Value investing;
  • Day trade e swing trade. 

Buy and Hold

O Buy and Hold é uma famosa estratégia de investimento que consiste na compra e manutenção de um ativo para o longo prazo. 

 

Nesse caso, com a utilização da análise fundamentalista, o investidor seleciona negócios e/ou fundos que, com base nos seus indicadores e perspectivas de mercado, possuem grandes chances de crescimento e solidez. 

 

A ideia básica é ir comprando ativos, diversificando, sem se preocupar muito com a volatilidade dos ativos e reinvestindo os dividendos. 

 

O grande foco dessa estratégia é construir um patrimônio consistente que é composto de empresas sólidas e promissoras, além de bons fundos imobiliários.

Value investing

Assim como o Buy and Hold, é possível considerar que o a estratégia do Value Investing é voltada sobretudo para os ganhos de longo prazo.

 

Contudo, diferente do Buy and Hold, que o investidor não considera muito o preço de mercado do ativo e sim a sua qualidade, o Value Investing investiga a fundo a cotação dos ativos em observação. 

Isso porque o valor de mercado dos ativos não reflete exatamente quanto o ativo em questão vale, e sim a “percepção” do mercado em determinado momento sobre o ativo. 

 

Ao perceber que uma empresa está sendo negociada por um valor de mercado menor que o real valor patrimonial da companhia, o investidor de valor tira proveito disso para obter retornos mais interessantes. 

 

No entanto, além do critério de avaliação de preço, para garantir que o ativo será comprado em “promoção”, é indispensável realizar uma análise a fundo dos ativos, para ter certeza que os papéis escolhidos estejam associados a verdadeiros bons negócios. 

Day trade e swing trade

Day trade e swing trade consistem em estratégias de investimento na renda variável com o fim de ganhos de curto prazo. 

 

Day trade, como o nome já diz, é a compra e venda de ativos em um único dia. Já o swing trade não é uma operação de um único dia, mas também é uma compra e venda realizada em curto período de tempo. 

 

Como, no curto prazo, a renda variável possui grande volatilidade e alto grau de imprevisibilidade, o nível de risco associado a esse tipo de investimento é muito alto. 

 

Por isso, através de técnicas como a análise gráfica, o trader busca prever movimentos nas cotações dos ativos, para assim realizar lucros. 

 

É importante ressaltar que nesse tipo de operação, os especuladores não se importam muito com a qualidade do papel envolvido na operação. 

 

Além disso, é importante destacar que, apesar de se sustentarem na análise gráfica, a maioria dos modelos de previsão utilizados por traders, principalmente não profissionais, não se sustentam em técnicas que sejam estatisticamente significantes. 

Como escolher a melhor estratégia de investimento?

A melhor estratégia de investimento, certamente, é relativa, e depende exclusivamente do perfil do investidor e das suas ambições. 

 

Por isso, antes mesmo de começar a investir através de uma corretora, é fundamental que o investidor investigue a fundo qual o seu perfil. 

 

Assim, é possível descobrir com mais assertividade qual a estratégia de investimento e quais ativos e composição de carteira são mais interessantes para o investidor. 

 

Siga nosso Instagram e ative as notificações para  ficar sabendo a respeito das nossas lives e divulgação de novos conteúdos para você!