Você conhece todas as taxas que paga ao operar no curto prazo na Bolsa de Valores?

Se você ainda acredita que a corretagem é um dos únicos custos do Day Trade, precisa se aprofundar um pouco mais no assunto.

Operar na BM&FBOVESPA fazendo compras e vendas no mesmo dia traz custos ao investidor que, se forem deixados de lado, podem minar parte dos lucros. Por isso, listamos aqui todos os custos do Day Trade, explicando porque existem e quando o investidor deve pagar por eles. Confira!

  1. Taxa de Corretagem
  2. ISS
  3. Emolumentos
  4. Taxa de Custódia
  5. Imposto de Renda

1. Taxa de Corretagem

Entre os principais custos do Day Trade está a taxa corretagem. Esse é o valor que a corretora cobra para intermediar as operações entre o investidor e a Bolsa de Valores.

Ela pode variar de uma corretora para outra, dependendo da forma como é definida, mas, quando o assunto é Day Trade, o modo de precificação mais comum é um valor fixo por operação, seja esta de compra ou de venda.

Taxa de Corretagem Fixa

O valor fixo por operação realizada funciona do seguinte modo: suponhamos que, na Corretora X, o preço da taxa de corretagem por operação é de R$ 9,00. Nesse contexto, se você emitir uma ordem de compra de 100 ações ou, uma ordem de compra para 1 mil ações, irá pagar o mesmo valor de corretagem. Isso significa que, não importa o tamanho do lote de ações ou contratos emitidos em uma ordem, pois o que conta é o número de operações executadas.

Taxa de Corretagem Variável

Conhecida por Tabela Bovespa, a taxa de corretagem variável é aplicada a clientes que investem via mesa de operações. Ou seja, clientes que solicitam que a própria corretora faça a compra e venda de um ativo por ele. Neste caso, o valor da taxa aumenta na medida em que a soma financeira movimentada é maior. Na prática, há um valor variável cobrado sobre os ganhos do trader e, quanto mais ele investe, mais ele paga de corretagem.

Lote Padrão a Ser Negociado

Tanto no caso de taxa de corretagem fixa, como no caso de taxa de corretagem variável, há um lote mínimo a ser movimentado pelo trader. No caso de ações, a Bovespa determina lotes padrão, que variam conforme a ação negociada e, podem ser de 10 a 100 mil.

Para contratos futuros da BM&F, como índice, mini índice, dólar e mini dólar, a taxa de corretagem é aplicada a cada papel negociado (a cada contrato) e, varia o preço caso a operação seja Day Trade (compra e venda no mesmo dia), ou Posição (o investidor fica posicionado na compra ou na venda por alguns dias ou semanas até reverter a posição).

Como a Taxa de Corretagem é Aplicada?

A taxa de corretagem é retida na fonte. Isso significa que o trader recebe o lucro líquido com o desconto da corretagem. Em caso de venda ou de perda financeira, o valor da corretagem também já vai embutido no preço a ser pago.

2. ISS, o Imposto sobre Serviço

O ISS, imposto de caráter municipal sobre serviço prestado, é pago juntamente com a taxa de corretagem, uma vez que incide sobre ela. É cobrado um valor máximo 5% da taxa de corretagem e, sua referência é o município de São Paulo, onde fica a BM&FBOVESPA.

Ou seja, caso a Corretora X cobre R$ 9,00 de corretagem por lote de ação, o valor do ISS incidido será de no máximo R$ 0,45, por exemplo.

3. Emolumentos

Os emolumentos são as taxas de negociação e liquidação, cobradas diretamente pela BM&FBOVESPA e pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia, a CBLC, sobre o volume financeiro negociado.

É possível verificar o percentual cobrado nas taxas de liquidação e negociação,  no site da BM&FBOVESPA, através dos links Tarifas de Ações e Fundos de Investimento, Tarifas Ibovespa e Tarifas de Dólar.

4. Taxa de Custódia

A taxa de custódia é um dos custos do Day Trade cobrados mensalmente sobre o valor total da carteira de investimentos, tendo como objetivo a manutenção da mesma. Essa taxa pode ser isenta conforme a corretora ou tipo de investimento. Para essa taxa, o percentual cobrado sobre o valor da carteira aumenta conforme cresce o valor investido.

5. Imposto de Renda

O Imposto de Renda na Bolsa deve ser declarado por todos os investidores que realizam operações em ativos da BM&FBOVESPA, mas ele apenas é pago por quem atinge mais de R$ 20 mil em ganhos. Caso alcance este valor, você pagará anualmente 15% do lucro, com a corretagem já descontada, para o Imposto de Renda.

A declaração das operações pode ser feita de forma mensal pelo investidor com a ajuda de uma Calculadora de IR na Bolsa

Esse tema gera bastante dúvidas e por isso recomendamos a leitura dos seguintes materiais:

 

Ficando em Dia com a Receita: O que o investidor precisa saber para domar o Leão

 

Como Fazer o Controle Mensal de IR em Bolsa de Valores

 

Guia do Imposto de Renda em Ações

É Possível Reduzir Custos do Day Trade?

Para ter menos custos, é importante que o trader busque uma corretora que ofereça boas taxas de corretagem. Além disso, diversas corretoras oferecem planos de corretagem para quem opera com frequência em Day Trade. Sendo assim, não deixe de consultar essa informação na instituição em que você tem conta.

Outra possibilidade para reduzir os custos é verificar se a corretora permite a abstenção da taxa de corretagem ou da taxa de custódia caso você realize um número pequeno de operações. Algumas permitem essa isenção caso o investidor realize um número máximo de 2 operações. Nesse caso, essa estratégia só é interessante para quem não opera Day Trade e prefere modalidades como Buy and Hold e, Posição.

Conhecer todos os custos do Day Trade torna o investidor capaz de pesquisar e identificar as melhores taxas para o tipo de operação que pretende fazer, além de garantir lucros melhores.

Sabia que as operações Day Trade envolviam esses custos? Compartilhe e comente caso tenha dúvidas!

Veja também