3 Regras Básicas Para Sobreviver no Mercado Financeiro

Por |2018-06-08T08:00:09+00:001 de setembro de 2015|

Após cursar 4 anos de economia, em uma das faculdades mais renomadas do país, fui trabalhar no mercado financeiro. Meu chefe, um cara que cuidava de um fundo com mais de R$ 1 bilhão para investir no mercado imobiliário,  me ensinou a colocar a teoria de lado e usar a prática para resumir o que realmente importa em um bom investimento.

São as 3 regras básicas de finanças, que só a experiência na prática pôde colocar de maneira tão simples. Até hoje, anos depois, ainda lembro da voz dele repetindo isso e até hoje lembro delas antes de fazer qualquer investimento.

mercado financeiro

1. Mais Dinheiro é Melhor do Que Menos Dinheiro

Apesar de óbvio, na prática não é sempre tão claro assim.

Imagine que temos R$ 10.000 para investir e só duas opções de investimento:

A. Investir somente R$ 6.000 por dois anos, rendendo 10% ao ano.

B. Investir todos os R$ 10.000 por dois anos, rendendo 9% ao ano.

Apesar de o investimento A render 10% ao ano, se escolhêssemos investir nele teríamos um ganho de R$ 1.269 após 2 anos:

R$ 6.000 * (1 + 0,10)^2 = R$ 7.269

R$ 7.269 + R$ 4.000 (que não foram investidos) = R$ 11.269

Por outro lado, se investirmos no investimento B, que rende 9%, mas que permite investirmos todos os R$ 10.000, teríamos um ganho total de R$ 1.881 após 2 anos:

R$ 10.000 * (1 + 0,09)^2 = R$ 11.881

Perceba que apesar de escolhermos o investimento que rendia menos, ganhamos R$ 612 a mais, já que no investimento B pudemos investir mais dinheiro.

Este exemplo deixa claro porque esta regra apesar de tão básica é tão importante:

No mercado financeiro o que realmente importa é o total de dinheiro e não a rentabilidade (apesar de calcular esta seja fundamental).

investir-mercado-financeiro

2. Antes É Melhor do Que Depois

Esta regra é totalmente de acordo com o princípio dos juros compostos e de que o dinheiro não tem o mesmo valor ao longo do tempo. Ou seja, R$ 100 daqui há 1 ano não são a mesma coisa que R$ 100 hoje.

Isso porque se você investir R$ 100 hoje, por uma taxa de 10% ao ano, daqui há 1 ano terá R$ 110. Em outras palavras R$ 100 hoje equivalem a R$ 110 daqui a um ano e vice-versa.

Por conta disso, esta regra afirma que: quanto antes você receber o dinheiro, melhor (se não houver reajustes no valor).

Na prática, imagine que você vai alugar um imóvel e pagar aluguel. O proprietário deixa você escolher se quer pagar o aluguel no início ou no final do mês. O que é melhor para você?

Se você entendeu bem esta regra, já sabe que o melhor para você será pagar no final do mês.

Assim no caso de você já ter o dinheiro no início do mês, poderia investi-lo por 30 dias e receber o rendimento do valor. Se o aluguel for de R$ 1.000 e você conseguir investir com uma rentabilidade de 1% ao mês, no final das contas se aluguel ficaria R$ 10 mais barato a cada mês.

Pode não ser muito para um aluguel de R$ 1.000 por mês, mas para uma empresa que paga R$ 100.000 de aluguel em um centro de distribuição, uma economia de R$ 12.000 por ano só por pagar o aluguel no fim do mês, já é significativo.

mercado-financeiro-dicas

3. Menos Risco É Melhor do Que Mais Risco

Se a primeira regra, ressalta a quantidade e a segunda ressalta o tempo, a terceira ressalta outro fator igualmente fundamental do mercado financeiro: o risco.

O risco nada mais é do que a probabilidade de algo dar errado.

Na prática:

Ao longo de 3 anos, dois fundos de investimento acumularam uma rentabilidade de exatamente 50%, qual deles é melhor:

Fundo A: 

ano 1: + 15%, ano 2: +15%, ano 3: +15%  -> acumulado = + 50%

Fundo B:

ano 1: + 30%, ano 2: -4%, ano 3: +20%  -> acumulado = + 50%

Pela terceira regra podemos facilmente definir que o primeiro fundo é muito melhor do que o segundo. Isso porque enquanto o primeiro manteve uma rentabilidade que praticamente não variou, o segundo teve variações enormes em suas rentabilidades, mostrando ser um fundo mais arriscado.

Caso o segundo fundo tivesse obtido uma rentabilidade superior ao primeiro, a ponto de compensar seu maior risco, até poderíamos ter dúvidas de qual é melhor. No entanto, com tudo igual, vale a terceira regra e ficamos com o investimento menos arriscado.

Conclusão

Não importa o quanto de finanças você saiba, se não lembrar e seguir a risca essas 3 regras, a única certeza é de que você vai acabar fazendo algo errado.

Portanto lembre-se:

1. Mais dinheiro é melhor do que menos dinheiro

2. Antes é melhor do que depois

3. Menos risco é melhor do que mais risco

Agora que você sabe disso, tem muito mais chance de sobreviver ao mercado financeiro. Boa sorte!

mercado-financeiro-sobreviver

Veja também