Para onde vai o dinheiro dos investimentos?

Por |2018-08-31T15:46:21+00:0029 de junho de 2018|

Na hora de investir, as pessoas escolhem os investimentos, abrem conta na instituição financeira, transferem o dinheiro, aplicam e, no prazo de vencimento, o dinheiro “magicamente” cresce e o rendimento vai direto para o seu bolso.

Mas o que aconteceu com o seu dinheiro durante esse tempo?

Poucos investidores realmente entendem para onde vai o dinheiro quando é realizado um investimento. Ao pesquisar uma aplicação pelo Yubb, ninguém fica pensando “Mas onde meu dinheiro vai parar nesse tempo?” e o que importa é a rentabilidade que vai ganhar.

No entanto, é muito interessante (e importante!) entender como funciona a lógica do sistema financeiro brasileiro e, consequentemente, entender para onde vai o dinheiro quando investimos.

O destino do dinheiro do investidor vai depender do tipo de produto que ele está investindo.

Se você investiu em renda fixa privada, por exemplo, o seu dinheiro pode ir para bancos ou financeiras. Se você investiu em renda fixa pública, o seu dinheiro vai para o governo. E assim por diante.

Mas o que essas instituições fazem com o seu dinheiro para essa “mágica” da rentabilidade acontecer? É isso que o Yubb vai te explicar no post de hoje!

Descubra para onde está indo o seu dinheiro nos seus investimentos em CDB, LCI, LCA, LC, RDB, Tesouro Direto, peer-to-peer, crowdfunding e fundos imobiliários =)

 

Infográfico destino dos investimentos

 

CDB

Como o Certificado de Depósito Bancário (CDB) é emitido por bancos, o seu dinheiro vai diretamente para essa instituição. Os bancos adoram os CDBs porque eles não têm lastro. Ou seja, o banco pode emitir quantos CDBs quiser e quando ele quiser – é a melhor (e mais fácil) forma de o banco captar recursos.

Ao fazer investimentos em um CDB, você está emprestando o seu dinheiro para o banco. Como “recompensa” por esse empréstimo, você recebe os rendimentos daquela aplicação. Quando o seu dinheiro chega no banco, a instituição pode usar o seu dinheiro para qualquer operação: desde aumento de caixa até diferentes operações de crédito.

Entendeu porque o CDB é tão queridinho dos bancos? Ele pode ser emitido a qualquer momento e o dinheiro dos investidores pode ser usado para qualquer tipo de atividade bancária.

LCI e LCA

A Letra de Crédito Imobiliária (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) também são emitidas por bancos, mas, diferente do CDB, elas têm lastro. Ou seja: as instituições só podem destinar os recursos captados por meio desses títulos para operações de crédito ede financiamento imobiliário ou de financiamento do agronegócio.

Assim como o CDB, ao investir em LCI e LCA, você está emprestando o seu dinheiro para o banco. Como “recompensa” desse empréstimo, você recebe os rendimentos daquela aplicação.

Quando o seu dinheiro chega ao banco, você pode ter a certeza de que ele será usado para o setor imobiliário e para o setor do agronegócio. Você não sabe exatamente o destino (se é para uma chácara pequena ou um latifúndio, uma moradia popular ou um loteamento, etc), mas sabe que está indo para aquele setor.

LC e RDB

A Letra de Câmbio (LC) e o Recibo de Depósito Bancário (RDB) não são emitidos por bancos e sim por financeiras. O RDB pode ser considerado para as financeiras o que o CDB é para os bancos. Como ele não tem lastro, as financeiras podem emiti-lo quando quiserem. Já a LC tem lastro e só pode ser emitida com alguma operação de crédito aberta.

Ao fazer investimentos em LC e RDB, você está emprestando o seu dinheiro para a financeira. Como “recompensa” desse empréstimo, você recebe os rendimentos daquela aplicação.

Diferente dos bancos, que não possuem atividades tão delimitadas, as operações das financeiras são destinadas a algum setor próprio (normalmente a bens duráveis). Existe financeira que só financia ônibus, outra que impulsiona o setor de vestuário e assim por diante.

Isso significa que, quando o seu dinheiro chega na financeira, ele será destinado à atividade específica que aquela financeira realiza e isso depende de empresa para empresa.

Tesouro Direto

Chegamos nos títulos públicos! Nos investimentos de títulos do Tesouro Direto, você está emprestando o seu dinheiro para o Tesouro Nacional (governo federal). Como “recompensa” desse empréstimo, você recebe os rendimentos daquela aplicação.

Quando você compra um título do Tesouro Direto (seja ele Prefixado, IPCA ou SELIC), automaticamente você está ajudando o crescimento do Brasil. O governo federal usará o dinheiro dos investidores para desenvolver áreas públicas como educação, saúde, transporte, moradia, infraestrutura e etc.

Isso significa que o seu dinheiro está indo diretamente para o Tesouro Nacional fomentar atividades de crescimento do país. Legal isso, né?

Bônus: opções diferentes para fazer seus investimentos

Em todas essas opções de que falamos, o investidor não sabe com certeza para onde está indo o dinheiro dos seus investimentos (sabe que vai para alguma área, mas não exatamente qual). Foi por isso que separamos três opções diferentes em que você consegue escolher EXATAMENTE para onde quer que vá o seu dinheiro. Como elas são menos convencionais, achamos que ia ser interessante para você conhecer!

 

  • Peer-to-peer: esse tipo de investimento conecta empresas que precisam de crédito com investidores que querem financiá-las. Ele é disponibilizado por fintechs (Kavod e Nexoos, por exemplo) e, na plataforma, você investe o seu dinheiro diretamente na empresa que acha que pode ser um bom negócio. Dessa forma, o investidor consegue ajudar os empreendedores a criar um empreendimento de sucesso. A parte mais legal é que você escolhe diretamente a empresa que vai receber o seu dinheiro e sabe que ele será usado no crescimento daquele negócio.
  • Crowdfunding: é o famoso investimento coletivo na internet. Existem plataformas de crowdfunding imobiliário e de crowdfunding para startups. Ele também é disponibilizado por fintechs (Urbe.me, Kria e EdSeed, por exemplo) e, na plataforma, você investe o seu dinheiro diretamente naquilo que acha bacana (seja um imóvel ou uma startup).
  • Fundos imobiliários: os fundos de investimento são bem conhecidos e muitos investidores optam pelos fundos imobiliários pelo fato de saber o destino do dinheiro. Ao aplicar em um FII, você consegue ver, pela política do fundo, para quais imóveis está indo o seu dinheiro. Ou seja, você consegue escolher o imóvel que mais te interessa (um hospital que está sendo construído perto da sua casa, por exemplo).

 

 

Entendeu para onde vai o seu dinheiro quando investe? O que achou do artigo? Se tiver qualquer dúvida ou comentário, deixe aqui embaixo!

 

Veja também