Para que uma empresa entre na Bolsa de Valores, é preciso que ela realize um processo burocrático chamado IPO – Initial Public Offering, com o objetivo de se tornar uma empresa de capital aberto e começar a vender ações no mercado. O contrário, porém, também acontece e empresas podem sair da B3. Para descobrir o que é Oferta Pública de Aquisição (OPA), continue lendo. Neste artigo, você aprenderá: 

 

  1. O que é Oferta Pública de Aquisição
  2. Motivos para as empresas fazerem OPA
  3. Como funciona o processo
  4. Vantagens e desvantagens da OPA

 

Leia também: IPO – saiba o que é e como funciona

Leia também: Diferenças entre o IPO e a Oferta Pública de Subscrição

O que é e como funciona a Oferta Pública de Aquisição? 

Assim como é possível entrar no mercado de capitais por uma Oferta Pública Inicial (mais conhecida como IPO), também é possível se retirar da Bolsa de Valores por uma Oferta Pública de Aquisição (OPA). A Oferta Pública de Aquisição (OPA) é o fechamento de capital de uma empresa. O processo consiste na venda da totalidade das ações negociadas na B3 pelo acionista majoritário da empresa ao restante dos acionistas. Para isso, a instituição deve publicar sua decisão por meio da imprensa ou de comunicados oficiais, mantendo informados os acionistas.

Após divulgado o comunicado, o pedido de fechamento de capital deve ser realizado na CVM (Comissão de Valores Monetários), que tem até 60 dias para aceitar ou recusar a solicitação. O preço das ações é determinado pelo acionista majoritário e analisado por uma companhia externa de auditoria, de acordo com fluxos de caixa futuros, preço médio das ações nos últimos 12 meses e patrimônio líquido por ação. 

OPA’s na Bolsa de Valores 

Engana-se quem pensa que OPAs são raras. O número é tão alto que, de acordo com dados da CVM, nos últimos 20 anos o número de IPOs superaram o de OPAs em apenas 3 deles. Os exemplos mais recentes de empresas que pararam de negociar suas ações na Bolsa de Valores são da Multiplus, empresa de milhagem da Latam, que movimentou R$1,02 bilhão, e da Tarpon Investimentos. O processo de Oferta Pública de Aquisição da Multiplus movimentou R$1,02 bilhão, enquanto o da Tarpon Investimentos movimentou mais de R$10,8 milhões de ações. Mas por que algumas empresas abandonam o mercado de capitais? 

Motivos para realizar uma OPA 

Existem alguns motivos para que uma empresa decida parar de negociar ações na Bolsa de Valores. O primeiro deles é o preço das ações. Se o controlador da empresa entender que as ações não estão com um valor justo de mercado, pode sugerir realizar a Oferta Pública de Aquisição buscando a alta dos ativos. 

Outro motivo para realizar OPA é o vislumbre de altos lucros no futuro. Com bons projetos pela frente, a empresa pode decidir fechar o mercado de capitais e não dividir os rendimentos. Os altos lucros também poderiam estar atrelados ao primeiro motivo, falado acima. Se a empresa está lucrando muito e as ações estão negociadas abaixo do valor do mercado, a OPA poderia ser uma saída para o upside. 

Mas não é só o valor de mercado das ações que fazem uma empresa realizar a Oferta Pública de Aquisição. É possível que a empresa simplesmente não tenha interesse em captar recursos externos.

Realizar o processo de OPA, entretanto, pode trazer algumas desvantagens, tanto para a empresa quanto para os acionistas minoritários. São elas: 

 

  • Perda de liquidez
  • Queda da governança corporativa 
  • Menos oportunidades de investimentos para os investidores individuais
  • Redução da possibilidade de financiamentos e mercado de créditos 

 

Conclusão 

O alto número de empresas realizando OPA não é uma boa notícia para o investidor, que perde oportunidades de investimento. Além disso, o processo, se feito em alto volume, pode enfraquecer a Bolsa de Valores, principalmente se a empresa que está realizando a Oferta Pública de Aquisição dominar parte significativa do mercado. Apesar disso, ela pode ser benéfica para a empresa e os acionistas minoritários se feita com transparência e na hora certa. 

Para aprender mais sobre o universo financeiro, continue acompanhando o blog da Bússola do Investidor. Não perca nenhum conteúdo! Siga também no Instagram.