Investir – Por onde começar?

Por |2018-06-08T08:00:09+00:0017 de agosto de 2015|

Acompanho com muito interesse o Blog da Bússola do Investidor e os seus Guias que considero bastante úteis. Neste artigo irei dedicar a sua atenção nos primeiros passos para começar a investir, procurando aprofundar um pouco outro artigo, do Diego sobre os primeiros passos do investidor em ações.

Se você não leu o artigo do Diego, primeiros passos do investidor em ações, sugiro que faça a leitura dele antes de continuar aqui.

Organize suas finanças

obs: João Morais Barbosa é nosso colaborador e escreve de Portugal. Preservamos o Português original dele e pode ser que vocês achem um pouco diferente da linguagem utilizada comummente no Brasil.

Ponha as finanças em ordem

O primeiro passo a dar antes de se iniciar no fascinante mundo dos investimentos passa por colocar as suas finanças em ordem. E isso implica fazer com rigor o seu orçamento e ter um fundo de emergência para não arriscar desnecessariamente as suas poupanças. Aliás, algumas pessoas me perguntam se devem pedir dinheiro emprestado para iniciar a construção da sua carteira de investimentos algo que desaconselho fortemente (ver adiante os motivos).

Defina os seus objetivos

Tendo as suas finanças em ordem e tendo um pé-de-meia para iniciar os seus investimentos deverá perceber quais são os seus objetivos. O Diego falava-nos dos motivos porque devemos investir na bolsa e alertava para a necessidade de procurar aprender antes de investir. Eu hoje falo-lhe da urgência de perceber quais são os seus objetivos, que podem ser diversos:

  • Poupar para a aposentadoria;
  • Poupar para a compra da sua casa ou para os estudos;
  • Ganhar dinheiro para fazer a volta ao mundo.

Cada investidor terá os seus objetivos de retorno e um montante em mente que deverá conhecer antecipadamente para poder definir o risco que terá de correr bem como o esforço de poupança mensal que será exigido.

Saiba qual o seu perfil de risco

perfil de investidor

Depois de definidos os objetivos deveremos saber ao certo qual o nosso perfil de risco. Não há um perfil que seja melhor do que o outro. O fundamental é sabermos qual é o nosso para podermos viver descansados com os riscos que assumimos.

De notar que o nosso desejo por tomar risco muda com o tempo. Se formos novos e vivemos em casa dos pais podemos arriscar mais. Se temos filhos ou estamos perto da reforma não temos tanta abertura para arriscar perder o nosso dinheiro pois isso ia colocar em causa a segurança financeira da família.

A nossa apetência ao risco também é dependente do nosso nível de conhecimento, pelo que é fundamental aprofundar os nossos conhecimentos e procurar toda a informação disponível (um trabalho extraordinário feito pela Bússola do Investidor).

Uma coisa é certa. Se não assumir riscos muito dificilmente irá conseguir atingir os seus objetivos. Assim, se para atingir os seus objetivos precisa de aprender mais sobre investimentos…

Você pode fazer nosso teste online e descobrir seu perfil de investidor AGORA.

Diversifique os seus investimentos

Estando no início do caminho é de todo recomendável que diversifique os seus riscos. Compre diferentes produtos financeiros que não estejam relacionados entre si. Por exemplo, fundos de investimento ou ETF de diferentes classes de ativos. Títulos de Renda Fixa. Tesouro Direto (a propósito veja este artigo sobre O que é o Tesouro Direto. Mas não se esqueça que deve investir apenas em produtos que conhece para perceber os riscos que está a correr.

Tenha em atenção o Horizonte Temporal de Investimento

Diz-nos a teoria financeira que devemos assumir riscos de acordo com o horizonte de tempo dos nossos investimentos (não vou ocupar o meu tempo nos motivos mas chamo a atenção para os conceitos de capital financeiro e de capital humano que debaterei num artigo futuro).

Assim, se pretendemos investir para o curto prazo não deveremos comprar ações ou imobiliário. Em alternativa, se temos mais tempo para investir podemos ter instrumentos financeiros mais arriscados na expetativa de ganhar dinheiro nos próximos 3 a 5 anos. Saiba sempre quando irá precisar do seu dinheiro e não invista o dinheiro de que vai precisar nos próximos meses.

Cuidado com o crédito para investir

Uma ideia que já aflorei acima prende-se com a necessidade de ter cuidado com o crédito. Muitas pessoas recorrem ao crédito para iniciar os seus investimentos e acabam por ter uma experiência muito negativa. É certo que se tudo corre bem acabamos por ter níveis de retorno muito interessantes. O problema é quando o investimento não corre bem. Imagine estar a perder dinheiro e ter de devolver o dinheiro que pediu emprestado acrescido dos juros. E se não tiver o dinheiro disponível?

Cuidado com as comissões e com os impostos

A última ideia neste meu “miniguia” para iniciar os seus investimentos consiste num ataque às comissões e aos impostos. Isto significa que deve ter em atenção a fiscalidade associada aos diferentes produtos de investimento e as comissões cobradas pela sua plataforma de corretagem. Não deixe que o seu dinheiro seja encaminhado para o Governo ou para uma corretora desnecessariamente.

Tendo cientes estas nossas dicas certamente irá ter um início de percurso mais seguro e menos atribulado. Deixe-nos as suas preocupações e dúvidas que teremos todo o gosto em responder-lhe.

Veja também