Como escolher o melhor investimento gera muitas dúvidas, uma vez que é necessário analisar diversos fatores que interferem na escolha.

Se você nunca investiu e não sabe por onde começar, separamos 9 dicas que para te ajudar! Confira abaixo:

1. Saber qual é o seu perfil investidor

Existem inúmeros tipos de investimentos que uma pessoa pode escolher, e por isto, realizar uma análise sobre o perfil investidor é essencial. Esta análise ajuda a entender como você lida com os seus investimentos, e a partir disso, descobrir se você possui um perfil mais conservador, moderado ou arriscado.  Conhecendo o seu perfil de investidor você já consegue eliminar alguns tipos de investimento. Você pode fazer o teste do seu perfil de investidor aqui , ou ler mais sobre os tipos de perfis aqui.

2. Analisar o seu capital disponível

O lance mínimo de um investimento varia bastante, e por isso é necessário avaliar quanto de capital você tem disponível. Por exemplo, no tesouro direto você consegue fazer uma aplicação inicial com um valor pequeno. Já no LCI (Letra de Crédito Imobiliário) ou LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), o valor para aplicação mínima é bem maior.

3. Levar em consideração o tempo do investimento

Antes de começar a investir, você precisa definir um objetivo. Ao definir o seu objetivo, coloque um prazo para quando você pretende retirar o seu dinheiro, pois alguns tipos de investimento são mais recomendados para o curto prazo, e outros para longo prazo.  Veja abaixo alguns exemplos:

Para investimentos de curto prazo: Tesouro Selic;
Para investimentos de médio prazo: CDB, Fundos Multimercados;
Para investimentos de longo prazo: LCI, LCA, Debêntures, Tesouro IPCA.

4. Verificar o mercado

Frequentemente acredita-se de que um tipo de investimento é melhor do que o outro por apresentar melhor rentabilidade, mas isso varia de acordo com o mercado.

Por exemplo, atualmente o tesouro Selic possui uma rentabilidade de 6,5%.  Mas em determinado momento, a taxa Selic, sendo o indexador desse fundo pode subir,  então consequentemente o tesouro Selic pode valer mais do que outros. Analisando essa situação, é fundamental que você procure sempre verificar o mercado. Pesquise sobre os indexadores das suas opções e veja qual tem maior potencial naquele momento.

5. Verificar quais são as garantias

Se você nunca investiu, provavelmente você ainda tem uma certa insegurança. Mas, a verdade é que, investimentos possuem garantias, e por isso alguns podem ser mais seguro do que outros.  Por exemplo, quem investe em ações, tem direito à indenização em situações específicas.

6. Coletar o máximo de informações

Entender como funcionam os investimentos que você pensa em apostar é outro passo decisivo para montar a sua carteira, uma vez que, quanto mais você entender os riscos de cada um e suas especificidades, mais fácil será para analisar se ele é rentável ou não para você.

7. Calcular a rentabilidade

Calcular a rentabilidade de um investimento é um passo muito importante, uma vez que  você precisa saber qual te oferecerá um retorno melhor. Uma alternativa fácil para calcular a rentabilidade é utilizar calculadoras de investimentos para fazer simulações. Desta forma, você consegue colocar quais seriam as suas aplicações, e simular quais seriam as rentabilidades.

8. Analisar a liquidez

A liquidez é a facilidade de você conseguir resgatar o seu dinheiro. Por exemplo, se o seu objetivo é montar um fundo de emergência, você precisa buscar um investimento que tenha uma liquidez diária. Ou seja, um investimento que você possa resgatá-lo sem perder muito dinheiro.

9. Conhecer as melhores instituições

Quem já investe, na maioria das vezes, utiliza uma ou duas instituições, já que é algo mais prático e seguro. Para escolher uma corretora, é importante prestar atenção na segurança que ela oferece, quais plataformas de produto estão disponíveis, quais os custos ( taxas de corretagem, manutenção e abertura de contas), como é o atendimento (se existem diversos canais, se respondem rapidamente, etc.), e qual a infraestrutura tecnológica. Cada instituição financeira possui o seu sistema, com características próprias, vantagens e desvantagens, e por isso é interessante que o investidor  procure mais informações sobre o que é Home Broker e como funciona, para que possa conhecer e escolher o mais adequado às suas necessidades.

 

Veja também