Como a Taxa de Juros Controla a Inflação?

Por |2018-06-08T07:59:28+00:0010 de março de 2014|

Muito se escuta que o Banco Central vai aumentar a taxa de juros porque a inflação está subindo, ou que os juros vão cair porque a economia não está crescendo, mas você sabe qual é a relação entre essas variáveis e porque isso acontece?

inflaçãoVamos ver alguns fatos recentes:

  • Nos últimas semanas o Copom (comitê de política monetária) aumentou a meta da taxa Selic em 0,25%, o primeiro aumento em meses, por conta da maior pressão inflacionária nos preços.
  • No inicio do ano o economista chefe da Órama Investimentos, Álvaro Bandeira, afirmou no ebook gratuito Cenários de Investimento para 2013, que não havia muito espaço para reduções na Selic sem que haja transtornos, de modo que a taxa de juros real de 2% é compatível com o risco do Brasil.

 

O que é a inflação e por que ela é ruim?

Segundo a teoria, inflação é a perda de valor do dinheiro resultante de um aumento generalizado nos preços da economia.

Ou seja, se hoje você tem R$ 20 e consegue comprar uma entrada no cinema, com uma inflação de 10% ao mês, você precisará de R$ 22 para ir ao cinema mês que vem. Na prática seus R$ 20 valem menos do que valiam no mês anterior.

Este aumento de preço quando torna-se parte das expectativas dos agentes econômicos (empresários, trabalhadores, famílias e empresas), pode tomar proporções catastróficas sendo acelerado e resultando em hiperinflação, como ocorreu no Brasil há algumas décadas.

Quem viveu entre 1964 e 1994 (ano do plano Real) conheceu o terror de ter que pagar mais de 20.000 por um papel higiênico, encontrar as estantes dos supermercados vazias e ter que gastar todo o salário assim que recebia.

Veja uma propaganda da época, do supermercado (ironicamente) chamado Real:

Felizmente hoje podemos olhar aliviados para aqueles dias negros e nos alegrar com uma inflação de aproximadamente 6% ao ano.

No Brasil a inflação e medida pelos índices IPCA (calculado pelo IBGE e medida oficial do governo) IGP (da Fundação Getúlio Vargas) e outros índices paralelos.

O que causa inflação?

Existem dois causadores principais de inflação, que deixam qualquer diretor de Banco Central de cabelos em pé (especialmente no Brasil):

Atividade econômica super aquecida

É quando a economia está crescendo à um nível acima do suportado pela sua estrutura, resultando em redução do desemprego abaixo do nível considerado normal, aumento generalizado dos salários, do custo dos insumos produtivos e consequentemente aumento no nível de preços.

Expectativas

O resultado da inflação passada é utilizado como forma de reajuste dos preços atuais. É o que chamado de indexação, e pode levar a aceleração da inflação e hiperinflação, como ocorreu no Brasil.

O que é a taxa de juros Selic e como é controlada?

Além da taxa de inflação, que mede o aumento dos preços, temos a taxa de juros Selic que determina o nível básico de juros na economia.

Se você pudesse emprestar dinheiro para qualquer um, quem seria o menos arriscado a não te pagar? A resposta pode parecer contraditória, mas este alguém é o governo, que no limite pode imprimir dinheiro para pagar suas dívidas (isso geraria inflação, mas em última instância você seria pago).

A taxa de juros que o governo paga para tomar dinheiro emprestado deve ser portanto a mais baixa da economia, que no caso do Brasil é justamente a taxa Selic (as LFTs são títulos públicos pós fixados e indexados à Selic).

Consequentemente, todas as taxas de juros na economia serão superiores à meta da taxa Selic, definida pelo Banco Central do Brasil, por meio do Copom (comitê de política monetária).

Como a taxa de juros controla a inflação?

Por mais que este seja o sonho de qualquer Banco Central, não é possível controlar a inflação diretamente.

Ao definir uma taxa de juros, o objetivo é impactar diversos aspectos da economia, que por sua vez irão impactar a inflação diretamente. Estes são os chamados meios de transmissão da política monetária.

Existem diversos estudos bastante complexos sobre este tema e constantemente são levantados novos canais de transmissão, porém os mais amplamente reconhecidos e discutidos são:

  • Taxa de Juros
  • Crédito
  • Taxa de Câmbio
  • Valor dos Ativos

taxa de juros

 

Eu teria que te ensinar um curso de macroeconomia inteiro para poder explicar como cada um destes canais irá transmitir a política monetária, mas o que vale ter em mente aqui é que estes canais podem acelerar (com queda nos juros) ou reduzir (pelo aumento dos juros) a atividade econômica (produção, nível de emprego, etc).

Dilema Inflação X Crescimento

Chegamos então à um dos fundamentos da economia moderna, o dilema entre crescimento o inflação.

Se você entendeu tudo até agora, deve ter cara a ideia de que:

  • Queda na Taxa de Juros -> Aquece a Economia
  • Economia Super Aquecida -> Gera Inflação
  • Inflação Passada – > Gera Inflação Hoje (indexação)

Portanto veja que não é possível  o governo fazer a economia crescer acima de seu potencial, somente reduzindo as taxas de juros, uma vez que isso resultaria em aceleração da inflação.

Voltando aos Fatos Atuais

taxa de juros

Entendido isso, podemos entender um pouco melhor porque o Banco Central aumentou a meta da taxa de juros Selic, mesmo com o crescimento da economia não estando lá essa coisas: a inflação estava ganhando força e fez-se necessário reduzir o nível de atividade econômica para conter o avanço da inflação.

No entanto, é preciso ter em mente que este aumento de 0,25% não seja o suficiente. Como colocou Álvaro Bandeira em sua estimativa para 2013, um juros real de 2% é compatível com o risco da economia, porém com a inflação de atualmente, já estamos abaixo disso…

 

Veja também