O mercado oferece muitas opções para quem deseja se aventurar no mundo dos investimentos. Apesar de muitas serem conhecidas, como o Tesouro Direto e o CDB, existem opções ainda desconhecidas pela maioria das pessoas. É o caso das operações compromissadas, que oferecem riscos baixos e rentabilidades atrativas. Interessou? Aprenda como investir nessa modalidade. 

O que são operações compromissadas?

Operações compromissadas são vendas de títulos de renda fixa realizadas por instituições financeiras ao investidor. Ao vendê-las, os bancos definem um prazo de recompra e os investidores se comprometem a vender o título na data acordada.

Funciona como um aluguel do título com garantia de compra no futuro, que possibilita aos bancos captar recursos em curto prazo sem se comprometer com altos juros ou perder dinheiro em caixa. Para o investidor, a rentabilidade pode ser definida de acordo com uma taxa livre ou ser pré ou pós fixada. 

Quais são as operações compromissadas?

 As operações compromissadas podem ser pré ou pós-fixadas e são divididas em cinco tipos: 

  • Específica

Acontece quando o título é informado previamente. É uma operação prefixada.

  • Dirigida

Assim como nas operações específicas, os títulos são informados previamente, mas a operação é pós-fixada. 

  • Genérica

A taxa da operação é pós-fixada e o título envolvido é informado após realização da compra. 

  • Migração Selic/Bolsa

Uma operação compromissada de tipo Migração Selic/Bolsa acontece quando a operação de ida (venda) é liquidada pelo Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) e a operação de volta (compra), pela BM&FBOVESPA.

  • Migração Bolsa/Selic

Aqui acontece o contrário da operação Selic/Bolsa: a operação de ida é liquidada pela Bolsa e a de volta pela Selic. 

Quais títulos podem ser negociados?

Apenas alguns títulos podem ser negociados em operações compromissadas. São os títulos públicos federais, estaduais ou municipais, CRI (Certificados de recebíveis imobiliários), CDB (Certificados de Depósito bancário), Debêntures, LCI ou Letras Hipotecárias

Leia também: Renda fixa: Pré ou Pós fixada?

Leia também: 7 investimentos Renda Fixa que você não conhece

Por que investir em operações compromissadas?

Se você está se perguntando porque deveria investir em operações compromissadas, saiba que as operações compromissadas são seguras e permitem que o investidor se proteja em cenários de alta ou baixa de juros ou variação de inflação. 

Além disso, nesse tipo de operação não há incidência de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). É ideal para investidores de perfil conservador, já que em caso de inadimplência a operação é desfeita sem maiores prejuízos. 

Mas é preciso atenção: apesar da diversificação de carteira ser recomendada, podem existir outros investimentos com maior rentabilidade. 

Para investir nessa modalidade é só conversar com o gerente do seu banco ou buscar instituições financeiras que realizam esse tipo de operação. 

 

Agora que você já aprendeu o que são operações compromissadas, descubra mais sobre o universo dos investimentos no blog da Bússola do Investidor.