Você com certeza já ouviu falar em bitcoins.

Surgidas em 2009, esse tipo de moeda atraiu muita gente para um novo mercado e fez explodir sua valorização (em 2017, uma única moeda valia US$ 8.000). Mas você sabia que as bitcoins não são as únicas moedas digitais?

Elas fazem parte de uma categoria chamada criptomoedas e possuem outros exemplares por aí. Nesse texto você aprenderá o que são e como funcionam as moedas digitais. 

O que são criptomoedas? 

Criptomoedas são moedas virtuais utilizadas para transações comerciais online, assim como o real e o dólar. A diferença é que elas não existem na vida real! Elas são criadas por sistemas computacionais descentralizados, independentes de qualquer tipo de Banco Central, e possuem custo zero de transação. Isso significa que não é necessário que um banco intermedeie transações, sendo possível realizar pagamentos por conta própria. 

Além disso, as criptomoedas são criptografadas e utilizam da tecnologia blockchain para circularem na internet. O sistema blockchain funciona como um grande livro virtual que garante transparência nas transações, já que elas são públicas. Seu uso é anônimo, o que garantiria também liberdade e privacidade econômica. 

Como surgiram as criptomoedas? 

A origem das criptomoedas vem dos cyberpunks, grupo de indivíduos com uma visão de contracultura da sociedade. Acreditam em um mundo livre de padrões impostos, com total liberdade e longe de controles governamentais excessivos. Os cyberpunks possuem uma visão próxima ao anarquismo, defendendo a privacidade inalienável. Também dominam sistemas e ferramentas tecnológicas futuristas.

Após a bitgold e a b-money, criptomoedas que nunca chegaram a ser utilizadas, Satoshi Nakamoto (pseudônimo de indivíduo ou grupo de indivíduos) elaborou o conceito base da bitcoin e a colocou no ar. De lá para cá, a criptomoeda ganhou força, principalmente após 2013, quando contribuintes da República do Chipre tiveram suas poupanças confiscadas e precisaram procurar alternativas fora dos tradicionais bancos. Atualmente, mais de 14 mil estabelecimentos oferecem as bitcoins como formas de pagamentos.

Quais são as principais criptomoedas? 

Primeira a surgir no mercado, atualmente existem mais de 17 milhões em circulação, e esse número chegará até 21 milhões.

Criada em 2011, tem sido muito usada por bancos por funcionar como um sistema de pagamento aberto.

Criada em 2014, é a terceira maior criptomoeda em funcionamento, com capitalização de mercado de aproximadamente US$10 bilhões.

Particularidades e vantagens das criptomoedas

Por serem realizadas de maneira independente, sem que seja necessário o envolvimento de algum banco, as criptomoedas representam facilidade nas transações e menor interferência do Estado em sua regulamentação. Dessa maneira, as oscilações de preço acontecem por pura oferta e demanda. Além disso, a complexa tecnologia blockchain e de criptografia envolvendo as moedas digitais garante a segurança das transações. Cada moeda possui um código único e um número de identificação específico, só podendo serem transferidas por quem a possui. Por serem descentralizadas e produzidas por diversos “mineradores” (usuários produtores de criptomoedas), é também mais difícil que hackers atuem.

Outra vantagem das criptomoedas são as taxas reduzidas, principalmente por não ser necessária a conversão de moedas em compras e transações internacionais. Por serem virtuais, a compra é também mais veloz e menos burocrática do que compras com as tradicionais moedas físicas já utilizadas.

Mas nem tudo são flores: Robert Schiller, ganhador do Prêmio Nobel de Economia, defendeu que as bitcoins são uma bolha especulativa, tendendo a ser insustentáveis a longo prazo. Os críticos das criptomoedas também alegam que elas podem ser usadas para atos ilegais, pelo anonimato garantido em sua compra.

Como comprar criptomoedas? 

Se interessou? Já é possível comprar criptomoedas por meio de corretoras. É só criar uma conta, fazer um depósito e começar.

As criptomoedas fazem parte de uma tecnologia nova, e como toda tecnologia nova, há maneiras positivas e negativas de se utilizar.

Interessados em criptomoedas podem ser investidores que toleram mais risco ou que se alinham ao pensamento liberal de descentralização da moeda.

Agora que você já sabe o que são criptomoedas e como elas funcionam, resta ficar atento ao que esse novo mercado poderá proporcionar.