Estamos atravessando uma crise financeira ocasionada por uma pandemia mundial. Essa não é a primeira e não será a última crise que investidores do mundo todo enfrentam, ou enfrentarão.

Normalmente em um cenário de incertezas é comum que o investimento em renda variável deixe a desejar. Ativos de maior risco tendem a se desvalorizar causando pânico em quem os detêm.

Portanto, muitos investidores ficam sem saber o que fazer nesse momento: se vendem o ativo, se seguram o ativo, ou se compram mais ativos para cair o preço médio da compra realizada neles.

Esse é um momento para ter cautela. O mercado de petróleo, bem como o setor de aviação, apresentou uma maior volatilidade.

Desse modo, há momentos que não são indicados nem para compra, nem para venda, apenas para manutenção do ativo. Qualquer decisão poderá ser precipitada olhando apenas o horizonte de curto prazo.

Investimentos em renda variável para o longo prazo

Sendo assim, o investidor, apesar de ver o valor dos seus ativos encolher, precisa pensar no longo prazo e simplesmente manter o ativo durante a crise.

Não se sabe o horizonte e nem a dimensão que a crise irá tomar.

O mundo não está mais em um momento de Bull Market, muito pelo contrário, estamos enfrentando, além da pandemia, uma fase de medo diante do desconhecido. Mas, toda ameaça traz uma oportunidade.

Essa é uma oportunidade para aprender mais sobre os segmentos nos quais você detém ativos, procurar ampliar a análise fundamentalista desses setores e entender se os fundamentos foram afetados.

Afinal, é preciso entender aspectos sobre grau de alavancagem, lucratividade, rentabilidade de diversas empresas do mesmo ramo para tomar alguma decisão sobre o que fazer com o ativo que possui.

O mundo já passou por diversas turbulências como a crise da bolsa de 1929, guerras mundiais, bolhas imobiliárias e quem investiu objetivando o longo prazo conseguiu obter bons ganhos apesar das incertezas.

Só para exemplificar, o S&P 500, trouxe muito retorno no longo prazo mesmo enfrentando as turbulências acima citadas. Portanto, o momento é de cautela.

Buscando a diversificação da carteira de investimentos

Um ponto que precisa ser considerado no atual cenário é a diversificação ainda maior da carteira de investimentos, evitando a concentração.

Muitos investidores acabam observando segmentos se destacando como o farmacêutico, por exemplo, e tendem a migrar os seus ativos em busca de lucros.

Apesar de válido é preciso cuidado. Pois, embora alguns segmentos possam apresentar bons resultados durante a crise, passada a tormenta, eles podem retornar aos patamares anteriores e outros podem simplesmente crescer mais rápido.

Portanto, o ideal é ampliar ainda mais a diversificação de investimentos, analisando minuciosamente cada setor da economia e suas perspectivas futuras.

Quanto mais diversificada estiver a carteira de investimentos, maiores serão as chances dela proporcionar bons ganhos no longo prazo.

Sendo assim, se você possui bastante ativos em renda variável neste momento, evite vendê-los, tenha paciência, pois haverá uma recuperação econômica em algum momento.

Setores com maior retração de consumo poderão inclusive apresentar uma resposta rápida após a crise, o que irá gerar uma valorização das ações bem antes do esperado.