Débora Duarte e Bernardo Pascowitch, do Yubb

Na hora de escolher as melhores ações para investir, muitas pessoas buscam a fórmula mágica do sucesso. Elas procuram técnicas usadas por outros investidores com o objetivo de seguir as mesmas regras e ter uma rentabilidade maior.

Mas, infelizmente, a verdade é que não existe nenhuma fórmula mágica. Para investir em ações, é preciso aceitar a volatilidade do mercado e saber que nem sempre o cenário segue do jeito que você imaginou.

Por outro lado, existem alguns processos que podem ser feitos para minimizar os riscos e ganhar mais dinheiro com ações. No post de hoje, o Yubb, seu buscador de investimentos online e gratuito, está aqui para te mostrar o que é análise fundamentalista e como você pode usá-la em seus investimentos.

Tipos de análise

Para investir em ações, especialistas desenvolveram algumas técnicas que podem ser replicadas por investidores. Na hora de escolher qual é a melhor ação do mercado, existem dois tipos de análise que você pode seguir: análise técnica ou análise fundamentalista.

Análise técnica (ou grafista)

Nós sabemos que o post é sobre análise fundamentalista, mas vamos dar uma passada pela análise técnica – que também pode ser chamada de grafista.

Como o nome já diz, a análise técnica/grafista consiste em analisar as empresas da Bolsa de Valores com base em seus gráficos. A partir dos dados passados, os especialistas encontram padrões de comportamento que podem ser utilizados para projeção no futuro.

Com base nos preços das ações e números da empresa, podem ser identificados quais são os melhores momentos para compra e venda das ações com o objetivo de obter a maior rentabilidade possível.

Existem muitas críticas negativas sobre análise grafista. Por ser um método muito técnico, acaba sendo muito complicado e sofisticado. Os analistas usam uma linguagem menos acessível e isso afasta a maioria da população. Há quem diga que os analistas tentam criar uma projeção com base nos gráficos históricos, mas que, na realidade, não há nenhuma relação entre esses dados. Uma queda no valor das ações no mês passado pode ter sido ocasionada por um fator externo e não há como prever que haverá uma queda no mês seguinte, por exemplo.

Análise fundamentalista

Agora que falamos rapidamente sobre análise grafista, podemos entrar na análise fundamentalista – que é totalmente o oposto.

O que é?

A análise fundamentalista, como o nome já entrega, é baseada em fundamentos da empresa. O objetivo é analisar diferentes fatores da empresa para entender se aquela é uma boa opção para investir o seu dinheiro.

Sabe o Warren Buffett, um dos maiores investidores do mundo? Análise fundamentalista é a estratégia que ele usa na hora de escolher as suas ações. Esse é um dos motivos que faz com que essa análise seja tão popular no mundo dos investimentos.

Na prática, isso significa que você, investidor, deve conhecer muito bem a empresa em que está investindo. Saber em qual setor ela atua, sua performance, concorrentes, diferenciais, margem de lucro, projeção de crescimento, fluxo de caixa e muitos outros fatores.

Um exemplo bem simples que pode te fazer entender um pouco melhor é a comparação do Banco Itaú com o Banco Inter. O Itaú é uma empresa gigante que tem um market share muito grande. O Inter, por outro lado, tem um tamanho bem menor, mas um potencial de crescimento maior.

Se você busca solidez e dividendos, talvez o Itaú seja uma melhor opção. Se você busca crescimento, o Inter tem mais “espaço” para crescer. Fazer uma grande análise sobre as características de cada um dos bancos é uma ótima estratégia para decidir qual ação comprar.

Como fazer?

Uma empresa possui diversas características que podem ser analisadas para quem quer aplicar este tipo de estratégia. Para fazer uma análise fundamentalista profunda, é necessário muito tempo de estudo e conhecimento.

Na prática, o investidor pessoa física também pode fazer uma boa análise e com menos esforço. Vamos te mostrar três fatores que devem ser analisados em uma empresa antes de você comprar uma ação:

1) Rentabilidade: quanto você vai ganhar com aquela empresa? Esse é o momento de analisar os dados passados para fazer uma análise de preço e entender como funciona a rentabilidade para os acionistas. Nesse caso, você pode analisar o ROE (Retorno sobre o Patrimônio Líquido), o ROI (Retorno sobre o Capital) e até mesmo a Margem EBITDA da empresa.

2) Crescimento: vale analisar como será o crescimento da economia para os próximos meses/anos, como será o crescimento do setor da empresa e, é claro, qual é o potencial de crescimento da própria empresa em todo esse cenário. Lembra do exemplo Itaú versus Inter? Então! Materiais jornalísticos e opinião de analistas são boas fontes para buscar esses dados.

3) Riscos: toda empresa possui riscos. Podem ser riscos trabalhistas, ambientais, políticos, sistêmicos e muitos outros. No Banco do Brasil e na Petrobras existe um risco de intervenção governamental que não existe em outras empresas privadas, por exemplo. O objetivo é encontrar empresas com o mínimo de risco possível — ou, pelo menos, conhecer os riscos existentes e precificá-los.

Se você analisar esses três fatores, já está fazendo um bom trabalho para escolher a melhor empresa para o seu dinheiro segundo os princípios da análise fundamentalista.

Vale a pena?

A análise fundamentalista está ligada a investimentos para o longo prazo. No caso de ações, é o chamado buy and hold, ou seja, você compra (buy) uma ação para mantê-la (hold) em sua carteira por muitos anos.

Se você está buscando boas empresas para comprar ações e criar uma carteira diversificada para o longo prazo, a análise fundamentalista é um ótimo método para você adotar na hora de fazer as suas escolhas.

Se você pretende operar com day trade (compra e venda de ações no mesmo dia) ou com operações de curto prazo, não vale a pena fazer uma análise muito grande da empresa. Neste caso, talvez a análise grafista faça mais sentido.

No geral, a análise fundamentalista é uma ótima estratégia para quem busca investir na bolsa de valores e minimizar os riscos de perder dinheiro. A volatilidade sempre vai existir, mas, com uma boa análise, você se sentirá mais seguro na hora de comprar uma ação.

 

Entendeu o que é análise fundamentalista? Pretende usar essa técnica nos seus investimentos? Se tiver qualquer dúvida, deixe um comentário aqui embaixo!

Débora Duarte

Débora é produtora de conteúdo no Yubb e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Bernardo Pascowitch

Bernardo é fundador e CEO do Yubb, buscador de investimentos totalmente gratuito para qualquer pessoa encontrar opções para aplicar melhor seu dinheiro. Bernardo é formado em direito pela Universidade de São Paulo (USP).