Como Não Ser Investidor

Por |2018-06-08T07:59:22+00:0021 de janeiro de 2014|

Uma grande lição que aprendi somente um ano após começar na bolsa de valores, foi descobrir que eu não era um investidor.

Quando comecei a investir em 2005 resolvi comprar ações da VALE. Afinal é uma companhia grande, consolidada e conheceida, uma verdadeira “blue chip”.

Como eu tinha pouco dinheiro, não conseguia comprar um lote completo de 100 ações e tive que comprar no mercado fracionário, executando minha primeira compra na bolsa de valores com 30 ações da VALE3.

Adivinhe o que aconteceu?

“Onde foi que eu errei?”

como não ser investidorJá havia um bom tempo que as ações VALE3 estavam indo muito bem, com valorização acima de 15% nos últimos meses. No entanto, logo após eu comprar começaram a perder valor.

Em pouco mais de um mês perdi 10% do pouco dinheiro que eu tinha e tive a certeza de que bolsa de valores não era coisa para mim.

 

Veja na figura abaixo a compra (linha verde) e a venda (linha vermelha).

Gráfico VALE3

Se perder 10% do meu dinheiro foi chato, saber que eu poderia ter ganho 39% caso não tivesse vendido foi ainda pior: em maio de 2006 as ações VALE3 estavam valendo mais de R$23,00.

Comecei então a me questionar onde eu havia errado e o que fazer para não deixar isso acontecer novamente.

Isso me levou ao meu primeiro livro sobre investimentos, “O Investidor Inteligente” de Benjamin Graham escrito há mais de 60 anos, e até hoje considerado “o melhor livro sobre investimentos já escrito” pelo mega investidor Warren Buffet.

Percebi então que na realidade eu havia cometido um único (mas enorme) erro: enganar a mim mesmo.

Eu não era um investidor

Ao contrário do que muita gente pensa e fala, não basta estar na bolsa de valores para ser um investidor. Na realidade existe uma diferença enorme entre ser um investidor ou ser um especulador.

Apesar de antiga, a definição de Graham sobre investimento continua extremamente atual:

o investidor inteligente.

Uma operação de investimento é aquela que após uma análise profunda, oferece a segurança do principal e um retorno adequado.” – Benjamin Graham

.

Operações sem algum destes requisitos são especulativas, estão mais próximas a apostas do que investimentos e são o caminho mais fácil para fazer com que você não seja um investidor de verdade. Seja na bolsa de valores ou até mesmo no Tesouro Direto.

Com base nessa definição, pude encontrar três pontos em que errei feio:

Erro#1: Não entender nada sobre o que eu estava investindo

Eu resolvi investir na VALE simplesmente porque tinha um palpite de que ganharia dinheiro. Eu não fazia ideia se a empresa era lucrativa, quais eram os principais acionistas, como estavam suas operações ou quem a administrava.

Em outras palavras, eu não me dei ao trabalho de tentar aprender mais antes de tomar uma decisão e literalmente “apostei” na VALE como apostaria em um cassino.

Análise Profunda = entender no que você está investindo (inclusive, esta é a primeira dica do meu ebook gratuito “Como Investir Para Ganhar Dinheiro“)

Erro #2: Não garantir a segurança do meu principal (patrimônio)

Repare que apesar de eu não ter dinheiro o suficiente nem para comprar um lote inteiro com 100 ações, resolvi colocar tudo em algumas ações da VALE.

Isso me colocou em uma posição de extrema vulnerabilidade financeira, já que qualquer variação no preço implicava em uma variação enorme no meu pequeno patrimônio, resultando na venda forçada quando eu estava com 10% de perda.

Se eu tivesse sofrido esta perda de 10% somente em uma pequena parte do meu principal, poderia muito bem ter aguentado mais tempo e embolsado um bom lucro no ano seguinte.

Segurança do principal = não ter grandes prejuízos

Erro#3: Buscar um retorno extraordinário

não ser investidorAo colocar todo o meu dinheiro em ações da VALE, obviamente tinha a expectativa de ter um enorme retorno e em poucos meses aumentar facilmente meu patrimônio. Porém, o que aconteceu foi justamente o contrário.

Não é sustentável a estratégia de sempre buscar altos retornos de 20%, 30% ou mais. Ir atrás deste tipo de objetivo lhe colocará na situação que descrevi no erro 2 e eliminará grande parte dos bons investimentos de verdade.

Retorno Adequado = não buscar um retorno extraordinário

Quando é momento de especular?

“Ok Diego, entendi que um investimento de verdade é diferente de especulação ou de uma aposta, mas então nunca devo especular?”

Não é bem assim amigo investidor, vamos lá:

Em qualquer investimento que você for realizar, existirá sim uma parte especulativa, referente às coisas que você não pode controlar e não sabe se irão acontecer.

No entanto, é necessário que você tenha noção do tamanho desta incerteza, que mantenha ela dentro de certos limites estreitos e esteja preparado financeiramente e psicologicamente para resultados negativos de curta ou longa duração.

Especular não é errado e muito menos proibido, mas pode ser pouco inteligente quando você:

    1. Estiver se enganando, achando que está investindo
    2. Especular seriamente sem ter conhecimento e preparo para isso
    3. Arriscar mais dinheiro do que você tem condições de perder

Especular pode ser muito divertido enquanto você estiver ganhando, mas infelizmente pode ter certeza de que em algum momento você vai perder.

Se for especular por diversão, separe pouco dinheiro (quanto menos melhor) em uma conta específica para isso e não coloque mais dinheiro lá, mesmo que esteja indo muito bem. Momentos de altos lucros são para pensar se já não é hora de parar.

Conclusão

Infelizmente muitas pessoas consideram-se investidores somente por ter dinheiro investido na bolsa de valores, algo que não é verdade.

Fórmulas mágicas para ganhar dinheiro na bolsa de valores sem trabalho nenhum não existem, e recomendo fortemente desconfiar de quem te disser o contrário.

No entanto é totalmente viável ter disciplina para se tornar um investidor de verdade ao invés de um mero especulador que entra na bolsa de valores como se entra em um casino.

Veja também