Hedge Com Contratos Futuros (parte 2)

Por |2018-06-08T07:59:05+00:002 de setembro de 2013|

No último artigo apresentamos o início de como deve estruturar o Hedge de sua carteira de ações. Vimos que as duas informações básicas necessárias para montar o Hedge com contratos futuros:

  1. Valor da carteira de ações e;
  2. Beta da carteira.

Aprendemos o que é o Beta: um conceito estatístico que relaciona a oscilação da ação com o Ibovespa.

E com tudo isso em mente o investidor agora aprenderá como calcular a quantidade de contratos que precisam ser vendidos para proteger sua carteira de ações. Retomaremos o exemplo do investidor que no dia decidiu montar o Hedge de sua carteira de investimento composta por 1.000 ações da PETR4.

hedge contrato futuroA análise gráfica apontava que a partir desse dia havia uma alta probabilidade da cotação da PETR4 sofrer uma queda no curto prazo (veja explicação no artigo anterior). Ao final desse dia o investidor montou o Hedge vendendo contratos futuros do Ibovespa.

Quantidade de Contratos Futuros para Hedge

A fórmula básica para o cálculo da quantidade de contratos é:   (Valor da Carteira ÷ Valor do Índice Futuro) x Beta  Utilizando os dados do dia 14/set temos as seguintes informações.     Valor da carteira:

  • 1.000 ações PETR4 x R$ 23,17 = R$ 23.170 → R$ 23,17 era a cotação da ação em 14/set

Valor do Índice Futuro:

  • cotação do INDV12 em 14/set = 62.480 → no dia 14/set o contrato mais líquido era o INDV12

Beta de PETR4:

  • 0,86 → calculado com base nas cotações de PETR4 e do Ibovespa de 17/ago/12 em diante

Agora que o investidor tem todas as informações basta inserir os valores na fórmula para calcular a quantidade de contratos futuros.

  • (R$ 23.170 ÷ 62.480) x 0,86 = 0,32 contratos do Índice Futuro Cheio (INDV12)

É impossível vender 0,31 contratos do INDV12. O investidor tem que utilizar os Mini-Contratos (WINV12). Para se chegar à quantidade de Minis, multiplique a quantidade de contratos do INDZ12 por cinco. Cinco é o fator de equivalência entre o contrato cheio e o mini, pois cinco minis equivalem a um contrato cheio. Quantidade de Minis:

  • 0,32 x 5 = 1,6 mini contratos (WINV12) → 1 mini contrato

Como a quantidade calculada não é um número inteiro há a dúvida se arredonda o número para cima ou para baixo. Vende apenas um mini-contrato ou dois mini-contratos?

O raciocínio mais utilizado é considerar 1,6 como o valor máximo de mini-contratos que devem ser vendidos. Nesse caso o investidor venderia apenas um mini-contrato. Caso a quantidade calculada tivesse sido 1,9 minis, faz mais sentido o investidor vender dois minis ao invés de apenas um.

Como regra geral o arredondamento deve ser para baixo, mas quando o valor se aproximar muito do número inteiro logo acima, arredonda-se para cima.

Resultado Financeiro do Hedge

No dia 04/out/12 o investidor desmontou o Hedge pois o preço voltou para dentro do canal de alta atingindo inclusive a linha central do canal (veja gráfico abaixo). No dia 14/out a cotação da PETR4 estava em R$ 22,40 e a do WINV12 estava em 58.410.

gráfico PETR4

PETR4 formou um Candlestick de Estrela Cadente (ou Shooting Star, no inglês).   Vamos ver se o Hedge protegeu a carteira de ações composta por PETR4.

  • PETR4 (comprado)
    • Queda de R$ 23,17 para R$ 22,40 → PREJUÍZO
    • R$ 22.400 – R$ 23.170 = – R$ 770
  • WINV12 (vendido)
    • Queda de 62.480 para 58.410 → LUCRO
    • {(62.480 – 58.410) / 5} x 1 Mini = + R$ 814
  • Resultado Final
    • R$ 814 – R$ 770 = + R$ 44

O resultado final foi um pequeno lucro de R$ 44. O prejuízo da queda do preço da PETR4 foi compensado pelo ganho na posição vendida no mercado futuro. Resumindo, o Hedge fez o seu trabalho. Se o investidor não tivesse montado o Hedge a sua carteira teria desvalorizado em -R$ 770.

Conclusão e Próximos Passos

Esse exemplo demonstra que é possível e importante o investidor fazer o Hedge de sua carteira de ações.

Toda vez que há uma perspectiva de queda nos preços das ações, o investidor deve pensar em proteger sua posição vendendo contratos futuros ao invés de simplesmente vender suas ações. Os mini-contratos tornaram a operação de Hedge extremamente acessível aos pequenos investidores e por isso não há desculpas para não realizá-lo.

No próximo artigo o investidor aprenderá como fazer o Hedge de uma carteira que é composta por diversas ações e não apenas uma.

Veja também