LCI, LCA, Tesouro Direto, Ações, Debêntures, criptomoedas… A lista de opções de ativos financeiros a escolher é grande e pode causar muitas dúvidas. Como escolher os melhores investimentos para você? O que analisar na hora de buscar um ativo para compor sua carteira? Descubra neste artigo os principais critérios para você aprender como escolher os melhores investimentos de acordo com seus objetivos e momento de vida. 

Quais são os melhores investimentos?

A resposta é: depende. Os melhores investimentos dependem do que você espera obter com eles. Para um investidor jovem os melhores investimentos são diferentes daquele que já possui alguns anos de experiência e quer alcançar um objetivo em menos tempo. Antes de começar a procurar, saiba: 

 

  • quais são seus objetivos 
  • qual a quantia disponível para investir
  • em quanto tempo você pretende alcançar seus objetivos
  • qual nível de risco está disposto a correr.

 

Já pensou em tudo isso? Uma dica é descobrir qual seu perfil de investidor. O conhecimento é o melhor caminho para o sucesso, e seu perfil pode lhe dar pistas do que você busca em um investimento. Vale lembrar que o perfil se altera com o tempo e com seu momento de vida – então é válido refazer o teste periodicamente e acompanhar sua evolução com o mercado financeiro. 

 

 Leia também: 5 dicas para escolher os melhores investimentos

Leia também: Descubra o seu perfil de investidor

 

Como escolher os melhores investimentos?

Agora que você já sabe qual é o seu perfil de investidor e o que pretende alcançar com os investimentos, fica mais fácil escolher um ativo para chamar de seu. Entenda o que significam os principais critérios para analisar os investimentos. 

Rentabilidade

A rentabilidade, ou retorno sobre o investimento, é o mais popular dos critérios. Afinal, quem não quer lucrar e ter o dinheiro trabalhando para si? A primeira coisa que você precisa saber é que existem duas principais categorias de investimentos: a renda fixa e a renda variável. A renda fixa, como o nome já diz, possui rentabilidade fixa. Isso significa que ao investir você saberá a taxa de rentabilidade (mostrada em %). Exemplos de títulos de renda fixa são o Tesouro Direto, CDB, LCI e LCA. 

Já com a renda variável não é possível prever os resultados. Além de não saber quanto ganhará, é possível inclusive perder dinheiro. Mas então, por que as pessoas aplicam dinheiro em renda variável? A renda variável pode gerar muito lucro se administrada da maneira correta, como é o caso de quem investe em ações e ganha dinheiro a longo prazo. Exemplos de ativos de renda variável são ações, minicontratos, commodities e derivativos. 

Em 2019, a Selic, principal taxa de juros do Brasil, caiu sucessivas vezes, afetando os investimentos em renda fixa e deixando os investidores temerosos do futuro de suas carteiras. 2020 é a oportunidade ideal para aprender sobre renda variável e diversificar seus investimentos. 

Não se esqueça de analisar também o rendimento líquido dos investimentos, após descontar impostos e outras taxas. Coloque os custos e os lucros na ponta do lápis para analisar fielmente o ativo.

Riscos 

O seu maior medo é perder dinheiro? Se a resposta é sim, você deve ficar muito atento ao risco dos seus investimentos. Quem investe em renda fixa conta com proteção do Fundo Garantidor de Crédito (R$250 mil por CPF em cada corretora – no máximo 4 – ou R$1 milhão ao total), mas também pode perder dinheiro se alocar os recursos em ativos que percam para a inflação (ou seja, você perde poder de compra). Já quem investe em renda variável deve estudar o mercado financeiro e aprender a analisar as altas e baixas dos ativos. A tarefa pode ser complicada, mas fica bem mais fácil se você souber o que está fazendo. Pensando nisso, a Bússola do Investidor preparou o ebook “Como investir em ações”, que mostra o caminho das pedras de quem quer começar sua jornada na Bolsa de Valores. Adquira aqui! 

Liquidez

A liquidez se refere à facilidade com a qual determinado ativo tem em ser transformado em dinheiro. Ou seja, ativos com prazo de vencimento maior tem baixa liquidez, já que se você não esperar a data estipulada pode perder dinheiro. O contrário acontece com as ações, que possuem alta liquidez. É possível, inclusive comprar e vender ativos no mesmo dia (a prática se chama day trade). 

A reserva de emergência, por exemplo, precisa ser alocada em um ativo com alta liquidez – afinal, ela é para emergências! O Tesouro Direto é uma boa opção para quem está construindo a sua. Um fundo de aposentadoria, entretanto, não precisa ter liquidez tão alta. 

Conclusão 

Os investimentos devem ser escolhidos de maneira cuidadosa, de acordo com o seu perfil de investidor e com os seus objetivos. Por isso, é preciso que você saiba o que significa cada critério de análise dos ativos e escolha assertivamente. Procure investimentos que combinem maior rentabilidade com riscos e liquidez ideais ao seu perfil. Qual é a composição da sua carteira em 2020? Conta pra gente aqui nos comentários!