Calcular a rentabilidade é fundamental para saber se você fez um bom investimento. No entanto, é comum que, na hora de fazer esse cálculo, muitas dúvidas apareçam. Afinal, a corretora, ao oferecer um produto de investimento, se preocupa em apresentar a maior rentabilidade esperada possível e, ainda, deixa de esclarecer quais taxas influenciam o ganho real e os custos que o investidor arca sobre o lucro.

E, sim, é dever do investidor entender, conhecer valores, rendimentos e gastos dos investimentos! Esta responsabilidade é de quem aplica o dinheiro.

 

 

Por que calcular a rentabilidade do investimento?

É muito comum compararmos diversas opções de investimentos antes de investir (ou, pelo menos, é assim que deveria ser). Mas, o que acontece ao longo do tempo? Qual é o cenário de ganho mensal e anual? Você conseguirá resgatar na data determinada com a rentabilidade que precisa?

Se você tem as respostas para estas perguntas, certamente sabe calcular a rentabilidade de um investimento.

Calcular a rentabilidade do investimento é fundamental para você fazer decisões estratégicas sobre a alocação do seu dinheiro e saber se você está aproveitando as melhores oportunidades e, por incrível que pareça, a grande maioria dos investidores não leva em conta a rentabilidade real  para calcular a verdadeira lucratividade.

Nos casos em que o cálculo fica por conta do investidor, praticamente ninguém se dá ao trabalho de calcular a rentabilidade e ,o investidor fica limitado ao fato de saber quanto dinheiro a mais o investimento gerou em sua conta.

Calcular a rentabilidade envolve considerar o tempo de investimento, o risco, e outros fatores como impostos. Somente assim tem-se um número confiável, que vai muito além do saldo em conta ser positivo ou negativo.

 

Entendendo o que é Rentabilidade do Investimento

Entre dois fundos de investimento, qual você prefere, o de 10% ou de 15% de rentabilidade?

Se todas as características de ambos fossem iguais, o de 15% seria a escolha ideal! Mas, e se o de 10% tiver duração de 7 meses e, o de 15% tiver duração de 13 meses?  Veja que, com a duração diferente, não é tão óbvio qual é o investimento que deve ser escolhido.

Na prática, existem algumas formas de calcular a rentabilidade do investimento, porém, a que faz o melhor trabalho, é o cálculo dos juros compostos, por refletir melhor a realidade.

Se tiver alguma dificuldade no assunto, leia: aprender tudo sobre juros compostos.

Rentabilidade Real

A rentabilidade real é aferida ao se fazer o cálculo de rentabilidade e, a partir do resultado gerado, desconta-se a inflação. Isso é essencial para qualquer investimento, uma vez que a inflação influencia o poder de compra.

A rentabilidade real é bastante comentada quando o assunto é poupança, aplicação financeira na qual não existem rendimentos reais justamente por causa da alta inflação. Para entender melhor, acesse o post 5 mentiras sobre investir na poupança.

Rentabilidade Anual e Mensal

Investimentos que rendem de acordo com taxas como o CDI, que é o caso de LCIs e CDBs, ou como NTB e Selic, como ocorre no Tesouro Direto, apresentaram diferentes rendimentos mês a mês. Sendo assim, a rentabilidade total do ano será diferente da do mês. Os investimentos citados, por exemplo, são recomendados para quem pode deixar o dinheiro aplicado por alguns meses. Assim, o banco ou a corretora de valores poderá entregar uma rentabilidade mais próxima da esperada.

Diferenças entre Lucratividade e Rentabilidade

É importante você não confundir o lucro, ou seja, a receita que o investimento te dá, com o quanto ele rende, que é o percentual em que o seu capital aumenta em determinado período. Em investimentos, por exemplo, é mais comum se falar de rentabilidade, afinal, o lucro absoluto vai variar de acordo com o quanto você aplica.

Na Prática: Como Calcular a Rentabilidade do Investimento

Melhor do que explicar este conceito, vamos para um exemplo na prática:

Você realizou um investimento que durou 3 anos e rendeu +10% no primeiro ano, -13% no segundo e +17% no terceiro. Qual foi sua rentabilidade?

Utilizando a técnica de juros compostos, temos:

(1+0,10)*(1-0,13) x (1+0,17)^(1/3 anos) = 1,038

Convertendo o resultado para porcentagem:

(1,038 – 1) x 100 = 3,8% ao ano.

Como seria este exemplo em dinheiro, ao invés de %?

Supondo que seu investimento foi de R$ 1.000, seria:

Ano 0: R$ 1.000

Ano 1: R$ 1.100 = ( 1000 x (1 + 0,10))

Ano 2: R$ 957 = ( 1100 x (1 – 0,13))

Ano 3: R$ 1.119,70 = (957 x (1 + 0,17))

Ou seja, após 3 anos você ganhou R$ 119,70.

Perceba que ,caso você soubesse somente disso, também poderia calcular a rentabilidade anual de seu investimento:

(R$ 1.119,70 / R$ 1.000)^(1/ 3 anos) = 1,038

Convertendo o resultado para porcentagem:

(1,038 – 1) x 100 = 3,8% ao ano.

Pronto! É simples assim.

Agora que você já sabe, pode comparar dois investimentos, com prazos diferentes, e decidir qual é o melhor.

Outros Cálculos de Rentabilidade

Perceba que, no exemplo que estudamos aqui, consideramos um investimento que não pagou juros ao investidor, ou seja, a pessoa colocou o dinheiro lá e só retirou exatamente três anos depois. Isso foi proposital para facilitar o cálculo e deixar o exercício mais compreensível.

No entanto, ao calcular a rentabilidade do investimento, o processo pode ficar mais complexo conforme adotamos diferentes períodos (ex 2,5 anos) e, principalmente, quando ocorre o pagamento de juros antes do vencimentos.

Nestes casos, precisam ser usadas técnicas mais avançadas, como estas duas que explicarei em outros artigos:

  •  Taxa Interna de Retorno (TIR)
  •  Valor Presente Líquido (VPL)

 

Espero que este artigo tenha te ajudado! E, claro, se tiver alguma dúvida, é só deixar um comentário aqui embaixo!