Acabou o Crédito no Brasil, e Agora?

Por |2018-06-08T08:00:19+00:0021 de janeiro de 2016|

O volume de crédito é uma da peças mais importantes de uma economia. É a quantidade de dinheiro disponível para que empresas e pessoas possam comprar coisas e fazer investimentos, mesmo que não tenham todo o dinheiro necessário.

Os ciclos da economia estão completamente relacionados ao crédito: um período de crescimento é marcado por um grande volume de crédito disponível, e em um período de crise, o crédito desaparece.

Neste artigo você vai entender melhor porque isso aconteceu e como empresas, da bolsa de valores e do Brasil como um todo, estão sendo afetadas.

Falta de Credito no Brasil

Para onde foi o crédito no Brasil?

Há dois anos atrás, uma empresa brasileira que precisasse tomar dinheiro emprestado para realizar algum investimento podia recorrer aos banco e pagar uma taxa até que confortável pelo empréstimo. Atualmente muitas empresas não conseguem empréstimos nem mesmo topando pagar altas taxas de juros.

As causas disso foram:

1# Mercados externos fecharam-se para o Brasil

Com tudo o que tem acontecido na economia, como expliquei aqui e aqui, o dinheiro dos investidores estrangeiros (que é bastante coisa, diga-se de passagem) deixou de ser colocado no Brasil. E até pior do que isso, o dinheiro estrangeiro que estava aqui começou a ser retirado, o que ajuda a explicar o aumento do dólar.

Fundos de investimento que antes podiam investir tranquilamente por aqui, agora já têm de ficar longe do Brasil.

2# Dificuldade com operações locais

Com todas as incertezas sobre o que vai acontecer, fechar operações de financiamento no mercado local também não está fácil. Empresas que antes podiam com facilidade emitir debêntures ou novas ações, agora não podem contar com esta opção.

Investidores locais, tanto pessoas física, quanto fundos de investimento estão muito mais cautelosos com o que fazer agora.

3# Maior dependência dos bancos

Sem dinheiro de fora e sem interesse dos investidores locais, as empresas estão muito mais dependentes dos bancos, que por sua vez também estão mais conservadores e podem cobrar mais caro para emprestar.

O resultado está sendo que empresas grandes e consideradas boas pagadoras, estão tendo que aceitar taxas de juros muito mais altas do que antes.

queda-de-credito-no-brasil

Quais as Consequências Disso?

Se empresas grandes estão pagando caro pelo crédito no Brasil, imagina o que está acontecendo com as menores…

1# Empresas com mais dívida vão sofrer mais

Na bolsa de valores, o efeito do que está acontecendo é bem claro: as empresas que possuem mais índice de endividamento vão ser as mais prejudicadas. Isso porque estão sendo obrigadas a refinanciar a dívida por taxas de juros muito mais elevadas, e o custo desta dívida vai impactar diretamente o resultado.

Um exemplo é a operadora de rodovias CCR (CCRO3), uma empresa grande e com bom crédito, acabou de emitir dívida pagando uma taxa de aproximadamente 124% do CDI ao ano. 5% mais que sua última emissão em 2013, com taxa de 107% do CDI!

Segundo o BTG Pactual, algumas empresas terão uma redução de mais de 10% em seu lucro operacional (EBITDA), ao aumentarem o custo da dívida (especialmente CESP5 e LLIS3).

2# Empresas menores estão lascadas

Se as empresas grandes e bem conhecidas estão pagando próximo aos 20% ao ano para se financiar, imagina como está a situação das menores….

Na realidade para estas empresas o crédito literalmente deixou de existir. O que é algo extremamente perigoso para a economia no médio prazo, já que muitas destas empresas poderão deixar de existir.

Lista de empresas da Bovespa mais endividadas

Utilize o formulário abaixo para fazer o download da tabela com as empresas da Bovespa com maior índice de endividamento e que deverão sofrer mais com o aumento dos juros:

[thrive_leads id=’5586′]

Veja também