Você sabe o que é valuation? Esse é um conceito muito importante para os investidores de valor — afinal, conhecer o real valor de uma empresa pode te ajudar a definir as melhores estratégias de investimentos.

Mas, se você está começando a investir agora e ainda não sabe bem o que é o valuation, não se preocupe. Neste artigo vamos falar um pouco mais sobre o que é e como funciona o valuation e porque ele é importante na hora de investir em ações.

O que é o valuation?

O valuation, termo em inglês que pode ser traduzido como “avaliação de empresas”, nada mais é do que a metodologia usada para definir o real valor de um negócio — ou seja, seu valor intrínseco.

Assim, a partir dessa análise, é possível projetar os preços das ações de determinada empresa no futuro e definir as melhores estratégias para os investimentos.

É importante salientar, no entanto, que o valuation faz projeções para os preços no futuro, mas, em alguns casos, esses preços podem sofrer distorções.

Isso acontece porque toda empresa negociada no mercado de capitais pode sofrer com fatores externos, que não estão diretamente ligadas ao seu negócio.

De qualquer forma, essa metodologia costuma ser muito eficiente, uma vez que no longo prazo, os preços de mercado dos ativos tendem a convergir para o seu real valor.

Além disso, é preciso saber que existem vários tipos de valuation e as premissas e os números usados para a análise podem variar de acordo com cada analista.

Tipos de valuation

Como dissemos, existem vários tipos de valuation que podem ser usados para estimar o valor real de um negócio. Entre os modelos mais usados pelos analistas estão:

  • Fluxo de Caixa Descontado (FDC) ou Discounted Cash Flow (DCF);
  • Múltiplos de Mercado;
  • Valuation Contábil;
  • Valuation de Liquidação;
  • Valuation Pré-Investimento;
  • Valuation Pós-Investimento;

Fluxo de Caixa Descontado (FDC) ou Discounted Cash Flow (DCF)

O valuation feito a partir do modelo de fluxo de caixa descontado estima o valor real de uma empresa, a partir de projeções no seu lucro futuro, empregando um desconto ligado ao risco dos investimentos.

De maneira geral, os negócios tendem a apresentar fluxos de caixas decrescentes ao longo dos anos, portanto, o fluxo de caixa descontado calcula uma taxa para corrigir o superávit ao longo do tempo.

Quanto maior o espaço de tempo, mais difícil e menos precisa se tornar a análise. Isso porque é possível ter uma ideia mais precisa do que vai acontecer no próximo ano do que nos próximos vinte anos.

Nesse sentido, na maioria das vezes, esse tipo de análise usa entre cinco e dez anos para determinar suas projeções.

Múltiplos de Mercado

A metodologia de valuation a partir dos múltiplos de mercado se baseia na comparação de indicadores de empresas do mesmo setor para fazer suas projeções.

Nessa modalidade a escolha dos indicadores a serem usados na análise também pode variar.

Entre os valores mais comumente usados está o Ebitda (ou Lajida), indicador que reflete o lucro da empresa antes dos juros, impostos, depreciação e amortização.

Esse modelo, embora seja bastante usual, pode enfrentar alguns problemas, sobretudo porque é difícil encontrar empresas do mesmo setor que possuem o mesmo modelo de negócio.

Além disso, o valuation a partir de múltiplos de mercado desconsidera o momento da empresa o que pode gerar algumas distorções.

Valuation Contábil

O modelo de valuation contábil leva em conta para sua análise apenas a contabilidade da empresa. Isso quer dizer que nessa metodologia apenas o valor do seu patrimônio líquido é considerado.

Por isso, esse modelo é pouco eficaz em sua análise. Mesmo que ocorram descontos referentes a depreciação e amortização no período o valuation contábil não consegue estabelecer um valor real para o negócio.

Além disso, outro ponto fraco aqui é que o modelo desconsidera os bens intangíveis da empresa, incluindo a marca, patentes e franquias, por exemplo.

Valuation de Liquidação

No modelo de valuation de liquidação é feita a soma de todos os ativos da empresa e depois são subtraídos os passivos.

Em geral esse modelo é mais usado em cenários de liquidação da empresa, por isso nome valuation de liquidação.

Nesse caso, o que os analistas buscam é definir um valor e um prazo pelo qual os proprietários do negócio podem liquidar o que restou do patrimônio.

Valuation Pré-Investimento

O valuation pré-investimento está ligado ao valor do negócio antes de uma entrada de capital.

Por exemplo, pense que uma empresa vai receber um aporte financeiro de R$ 100 milhões e que antes desse aporte o seu valor estimado era de R$ 60 milhões, esse último valor é o seu valuation pré-investimento.

Valuation Pós-Investimento

O valuation pós-investimentos, como sugere o nome, é o oposto do valuation pré-investimento.

Essa metodologia define o valor real do negócio após um aporte financeiro, por isso é usada para estimar a participação de um investidor na empresa.

Além disso, o valuation pós-investimentos também torna possível fazer cálculos a respeito do crescimento do negócio.

Porque o valuation é tão importante na hora de investir em ações?

O valuation é uma ferramenta que permite ao investidor conhecer o real valor de um negócio. Assim, é possível definir as melhores estratégias para entrada e saída em determinados ativos.

Quando você faz o valuation de uma ação e compara com o valor de mercado do ativo, pode perceber se o papel está sendo negociado acima ou abaixo do seu valor real.

Se o preço de mercado de um ativo está abaixo do seu valor intrínseco então o papel está sendo negociado com desconto e isso pode indicar um bom momento para entrada.

Por outro lado, se o preço do papel está maior do que o seu valor real definido pelo valuation, então o mercado está pagando caro por esse ativo.

Nesse sentido, o valuation é uma importante ferramenta que ajuda o investidor a evitar as armadilhas do mercado e pagar um preço distorcido por uma ação.

Contudo, é preciso ter em mente que fazer o valuation de um negócio não é uma tarefa tão simples e pode demandar muito tempo de estudo.