O conceito de margem de segurança foi usado pela primeira vez por Benjamin Graham, considerado um dos maiores investidores de todos os tempos, em seu livro “Security Analysis”.

Sua análise fundamentalista que inclui usar a margem de segurança se mostrou eficaz, segura e rentável.

O que é margem de segurança?

A Margem de segurança, de maneira resumida, é a diferença entre o preço do ativo no mercado e seu valor intrínseco.

Graham disse: “A margem de segurança depende do preço pago. Ela será grande a preços baixos, pequena em um preço alto e inexistente em um preço ainda maior.”

Vamos demonstrar esse conceito tão importante através de uma situação:

Imagine que você tenha que atravessar uma ponte, mas essa ponte suporta no máximo três toneladas. Você pode escolher atravessá-la com um caminhão ou com um carro de passeio.

Certamente escolheria o carro, não é mesmo?

Você acaba de optar em usar ao seu favor a margem de segurança. Sabendo que o caminhão seguramente pesa mais que o carro, você escolheu aumentar sua margem de segurança ao passar pela ponte com o meio de transporte mais leve.

Já no mundo dos investimentos, devemos pensar da seguinte forma:

Os investidores de longo prazo acreditam que o preço dos ativos, principalmente aqueles de renda variável, tende a se divergir do seu valor intrínseco em alguns momentos.

Para você entender melhor, vamos colocar essa afirmação junta com o nosso exemplo da ponte.

A capacidade da ponte é o valor do ativo e o peso do veículo é o preço. Assim, quanto menor estiver o preço em relação ao valor, maior a margem de segurança do investimento.

De forma resumida, Graham nos orienta a termos responsabilidade e nos recusar a pagar demais por um investimento.

Fazendo isso e diversificando seu portfólio, o investidor minimiza as chances de que sua riqueza desapareça, garantindo nunca perder a maior parte de seu dinheiro ou ele todo.

Sua estratégia de investimento influenciou uma geração de investidores de sucesso como ninguém menos que Warren Buffett.

Como calcular a margem de segurança?

É preciso dizer que não existe uma fórmula mágica que vai dar a você investidor o resultado ótimo para calcular a margem de segurança.

Isso ocorre devido ao fato da economia ser extremamente complexa, dinâmica e imprevisível.

O valor de uma empresa se baseia em premissas que alguma vezes pode não se concretizar ao longo do tempo.

Quando o investidor adquire um ativo muito descontado, ou seja, cujo preço de mercado está abaixo do seu valor real, as chances de perda de de capital são minimizadas pela margem de segurança.

Isso porque no longo prazo, o preço de mercado dos ativos tende a convergir para o seu valor real e a margem de segurança vai compensar possíveis desajustes do mercado.

No mercado acionário, o conceito de margem de segurança significa pagar por aquela parte da empresa um preço muito menor do que ela vale na verdade.

Porém, para chegar a conclusão de quanto vale um ativo financeiro é preciso avaliar diversas variáveis como: EBITDA, Lucro Líquido, VPA, entre outras.

Feito isso, podemos concluir que o seu valor é, a exemplo, 15% superior ao preço que está sendo negociada no mercado.

Ainda assim, a margem de segurança não será esse percentual, é preciso comparar este valor com o retorno de um investimento de baixo risco e descontar os percentuais.

Por que a margem de segurança é tão importante para quem quer investir no longo prazo?

A alta volatilidade do mercado implica em oportunidades de comprar ações, desde small caps até as blue chips, com significativo desconto no seu valor intrínseco.

Ou seja, ações muito “baratas”.

Esse desconto no valor de compra é determinante para se ter uma boa margem de segurança, com a qual é possível minimizar os riscos de variação nos preços das ações.

O grande diferencial desse conceito é que, mais do que somente procurar barganhas, essas oportunidades devem ter possibilidade de retorno e baixo risco de desvalorização.

De qualquer maneira, vale ressaltar a cautela na hora de investir, ainda mais em momentos de alta volatilidade como aqueles vividos no início do ano de 2020.

Devemos lembrar que o que está barato hoje, pode ficar ainda mais barato amanhã.

A margem de segurança no longo prazo é importantíssima tanto em momentos de abundância quanto nos momentos de crise.

Nos bons momentos, a margem de segurança ajudará o investidor fazendo com que os lucros sejam ainda maiores, já que ele comprou seus ativos com um desconto muito grande.

E em momentos de crise, a margem de segurança fará com que a perda seja mitigada, pois o ativo já estava com seu preço abaixo do valor intrínseco na hora da compra.

Como você pôde perceber, a margem de segurança é um fator importante e deve ser observado pelo investidor na hora da compra de qualquer ativo.

O uso correto da margem de segurança na hora da compra pode ser determinante para garantir bons lucros no seu investimento.