Bandas de Bollinger

Por |2021-01-21T14:09:28-03:0028 de março de 2014|

As Bandas de Bollinger estão entre os indicadores mais utilizados na análise técnica, sendo muito úteis para indicar níveis de preço e que uma ação pode ter se valorizado ou desvalorizado demais, além de indicarem sinais de Fundo em W e Topos em M.

Neste artigo você aprenderá tudo o que deve saber para utilizar este indicador corretamente e como você pode utilizar as Bandas de Bollinger na prática.

Vantagens das Bandas de Bollinger

Baseado na ideia de que os preços das ações costumam variar dentro de um padrão, inicialmente, foram desenvolvidos os indicadores de envelope, que traçavam linha acima e abaixo do preço, ficando sempre uma distância percentual constante entre o preço e as linhas de envelope.

Por exemplo, a linha superior poderia ser 110% do preço, enquanto a linha inferior seria 90% do preço.

Os indicadores de envelope foram muito utilizados, porém, tinham uma limitação grande: a variação nos preços são maiores ou menores em alguns períodos e este indicador fica inalterado frente a essas mudanças.

Foi então que John Bollinger teve uma ideia que pôs um fim a esse problema.

John começou a usar o desvio padrão dos últimos períodos para calcular a distância das linhas acima e abaixo do preço. No alto de sua modéstia, nomeou a técnica como “Bandas de Bollinger” e em 2011 até registrou o nome, de modo que agora deve-se usar Bandas de Bollinger®.

Você pode visitar o site oficial do John aqui.

Desvio Padrão: O que é?

O desvio padrão é uma medida de quanto os preços variaram nos últimos períodos.

Vamos supor que o preço de uma ação ficou entre R$ 10 e R$ 11, enquanto outra ação ficou entre R$ 5 e R$ 15. O desvio padrão da segunda ação será muito maior e, consequentemente, as Bandas de Bollinger estarão mais afastadas na segunda ação do que na primeira.

Diferente dos envelopes, a largura das Bandas de Bollinger se adapta automaticamente com base na volatilidade dos preços, tornando-se mais larga ou mais estreita.

A largura da Banda de Bollinger (BB Width ou BB%) deu origem a um outro indicador, mas isso contaremos em outro artigo.

Fórmula das Bandas de Bollinger

Felizmente, o cálculo das Bandas do sr. John B. é simples.

Ambas as bandas são calculadas com base em uma média móvel simples (MMS) (20 dias costuma ser o padrão, mas pode ser alterado):

  • Banda Superior = Média Móvel Simples (20 dias) + (2 x Desvio Padrão de 20 dias)
  • Banda Inferior = Média Móvel Simples (20 dias) – (2 x Desvio Padrão de 20 dias)

Veja que na fórmula original são usados 2 desvios padrões, mas você pode alterar este parâmetros quando for usar este indicador. O próprio Bollinger sugere que alterações suaves sejam feitas para adequar o indicador ao estilo da análise:

  • Longo Prazo: usar 2.1 desvios padrões com 50 períodos
  • Curto Prazo: usar 1.9 desvios padrões com 10 períodos.

Como utilizar as Bandas de Bollinger?

Ok. Já expliquei a história e como são calculados os valores, agora vamos ao que interessa: Para o que servem as Bandas de Bolliger?

Sinais de Fundo em W:

Fundos em W são consequência do trabalho de um outro grafista: Arthur Merril’s, que identificou 16 padrões com um formato de W e as Bandas de Bollinger permitem justamente identificar estes padrões.

Os fundo em W são formados com uma tendência de baixa, seguida por duas reações. Existem quatro passos para identificar um fundo W com as Bandas de Bollinger:

  1. Uma nova baixa é formada onde a mínima em geral está abaixo da banda inferior;
  2. Ocorre um rebate em direção a banda do meio (a Média Móvel Simples);
  3. Ocorre uma nova baixa onde a mínima está acima da banda inferior;
  4. O padrão é confirmado com um arrancada da segunda baixa, ocorrendo o rompimento de uma resistência.

Os Sinais de Fundo em W marcam o início de uma nova tendência de alta. O investidor deve utilizar outros indicadores de análise técnica para confirmar a força desta tendência e o momento correto de entrar.

Veja esta situação ocorrendo para no gráfico da MRVE3:

Gráfico mostra as Bandas de Bollinger Análise Técnica

Os sinais de Fundo em W marcam o início de uma nova tendência de alta.

Sinais de Topo em M:

Se virarmos o W de cabeça para baixo teremos o Sinal de Topo em M. Os mesmo passos valem aqui, porém, obviamente, ao contrário:

  1. Uma nova alta é formada onde a máxima em geral está acima da banda superior;
  2. Existe um rebate em direção a banda do meio (a Média Móvel Simples);
  3. Ocorre uma nova máxima onde a máxima está abaixo da banda superior;
  4. O padrão é confirmado com uma queda da segunda alta, ocorrendo o rompimento de uma resistência.

Os sinais de Topo em M marcam o início de uma nova tendência de baixa que, como no caso do fundo em W, deve ser confirmada com outros indicadores de análise técnica.

Na figura a seguir veja esta situação ocorrendo para o gráfico da VALE3.

Bandas de Bollinger Análise Técnica

Os sinais de Topo em M marcam o início de uma nova tendência de baixa.

Note que o sinal pode ser confirmado pelo aumento de Volume neste papel.

Movimentos Pelas Bandas

O preço das ações frequente se movimenta acima ou abaixo das Bandas de Bollinger, portanto, não pense que isso seja um sinal de compra e venda por si só.

No entanto, o que podemos afirmar  é que o movimento que cruza a Banda superior mostra bastante força, enquanto que um movimento que cruza a Banda inferior mostra muita fraqueza.

Desse modo, fala-se que os preços podem “caminhar pelas Bandas” com diversos cruzamentos durante uma tendência de alta ou baixa.

O fechamento de um Candle acima da Banda superior mostra que o preço realizou um forte movimento e nestas ocasiões é comum que a Média Móvel Simples central sirva como resistência durante a tendência de alta.

Veja esta situação no gráfico da PETR4:

Gráfico mostra as Bandas de Bollinger análise gráfica

Por que as Bandas de Bollinger são importantes?

As Bandas de Bollinger são importantes porque ajudam a determinar valores relativos onde os preços podem estar altos ou baixos.

De acordo como próprio Bollinger, as Bandas contêm de 90% a 95% do movimento dos preços e os movimentos para fora dessas bandas devem ser analisados com atenção.

O cruzamento do preço com alguma das bandas não deve ser interpretado como um sinal por si só. Ao invés disso, as Bandas de Bollinger devem ser utilizadas em conjunto com outros indicadores complementares, que tenham uma natureza diferente da sua como, por exemplo, o Volume ou o Índice de Força Relativa (IFR).

Utilize as Bandas de Bollinger agora

Você pode adicionar as Bandas de Bollinger em qualquer um dos ativos negociados na Bovespa, usando a plataforma de Análise Técnica, da Bússola do Investidor.

Após selecionar as Bandas de Bollinger, configure os parâmetros de acordo com sua preferência (os padrões 20 e 2 já estarão preenchidos).

Adicione também uma Média Móvel Simples, utilizando os mesmos parâmetros das Bandas de Bollinger e algum indicador complementar, como o Volume ou o IFR.

Anexo Especial: Regras das Bandas de Bollinger

Além de criar este indicador, John Bollinger juntou 22 regras que ele e outros investidores observaram. Elas estão disponíveis no site do próprio Bollinger, e aqui estão as principais:

1. As Bandas de Bollinger determinam valores relativos de preços altos (banda superior) e baixos (banda inferior).

2. Estes preços relativos podem ser usados para comprar o movimento dos ativos e o movimento deste indicador, auxiliando nas decisões de compra e venda.

3. Indicações podem ser derivadas em conjunto com outros indicadores complementares como os de momento, de volume e de força de mercado.

4. Como as Bandas de Bollinger estão na categoria de indicadores de volatilidade, não devem ser utilizadas com outros indicadores desta categoria.

5. As Bandas de Bollinger podem ser utilizadas para determinar padrões gráficos, como topos em “M” e fundos em “W”.

6. Cruzamentos ou encontros do preço com as bandas NÃO são sinais de compra ou venda por si só.

7. Durante uma tendência, seja de alta ou de baixa, o preço pode e irá cruzar com as bandas superior e inferior.

8. O fechamento de Candles fora das Bandas de Bollinger é um sinal de continuação de tendência e não de reversão.

9. Os parâmetros padrões de 20 períodos na media móvel e 2 períodos padrões são somente padrões. Eles devem ser alterados e adaptados para diferentes mercados.

10. O cruzamento do preço com o meio das Bandas de  Bollinger (a própria MMS de 20 dias) não deve ser considerado como o melhor indicador de uma nova tendência e sim como um nível intermediário de confirmação.

11. Quando o número de períodos é ampliado, o número de desvios padrões também deve ser aumentado: 2,1 desvios para 50 períodos e 1,9 desvios para 10 períodos.

12. A Média Móvel utilizada é a Simples porque na fórmula do desvio padrão também existe uma média simples. Isso garante consistência aos cálculos.

13. As Bandas de Bollinger podem ser utilizadas na grande maioria das series de preços, incluindo ações, índices, câmbio, commodities, futuros, opções e títulos.

14. As Bandas de Bollinger não fornecem uma sinalização constante, ao invés disso elas identificam estratégias onde o vento pode estar a seu favor.

Agora que você já tem todas as informações que precisa sobre as Bandas de Bollinger, comece a colocar o seu conhecimento em prática. Clique no banner abaixo e saiba mais sobre a Calculadora de IR!

Teste agora a Calculadora de IR, blog Bússola do Investidor

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet