5 Formas de Renegociar Dívidas e Melhorar seu Orçamento

Por |2018-06-08T07:59:48+00:0025 de fevereiro de 2015|

Segundo dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) de 2014, mais de 50 milhões de brasileiros estão com o nome restrito a novos créditos, o que muitos preferem chamar de “nome sujo”. Entre as dívidas mais comuns estão: débitos bancários, prestações de eletrodomésticos, internet, TV por assinatura, contas de água e luz e escola dos filhos. O fato de o número ser alarmante não significa que essa parcela de brasileiros seja desonesta, embora, em boa parte dos casos, as pessoas tenham contraído dívidas que não poderiam pagar. A perda do emprego, um negócio que faliu, uma doença inesperada na família ou um acidente, são situações que podem ter contribuído para a dívida existente.

O problema é que, mesmo estando com a melhor das intenções, o consumidor encontra dificuldades ao renegociar suas dívidas e acaba deixando que elas se prolonguem, esperando que se vençam ao prazo de 5 anos. Para ajudar você, abaixo listamos 5 dicas de como proceder para renegociar suas dívidas. Confira:

1- Não aceite uma renegociação mais cara do que você pode pagar

Na ânsia de solucionar um problema, muitas vezes o consumidor cria outro ao aceitar os termos de uma renegociação que de antemão já sabe que não conseguirá cumprir. Calcule todos os riscos e trace um plano de ação para depois buscar renegociar a dívida.

Também é necessário saber se o que está sendo cobrado é justo. Muitas empresas percebendo a ansiedade do cliente em renegociar acabam aproveitando a situação para embutir taxas e jutos absurdos, os quais dificultam ainda mais a quitação da dívida. Exija todas as informações e, se preciso, consulte um especialista na área ou o Código de Defesa do Consumidor.

Geralmente a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) mantém um departamento de atendimento ao consumidor para consulta sobre dívidas, visando auxiliar quem não conhece ou não tem condições de pagar um advogado particular.

Em posse de todos esses dados elabore uma boa proposta para apresentar ao seu credor. Nunca vá negociar sem saber o que propor e como cumprirá o novo acordo. Também esteja preparado para uma resposta negativa, pois o credor pode recusar o pedido ou apresentar uma contraproposta na negociação.

2- Renegocie pessoalmente

Geralmente o consumidor procura uma renegociação por telefone ou via internet. Pode até dar certo, mas dependendo do atendente a negociação pode não sair como você quer e de acordo com as suas condições de pagamento. Por isso, é recomendável procurar seu credor e conversar com ele frente a frente. Geralmente as instituições mantém um setor especializado para renegociação de dívidas, no qual você será atendido por profissionais preparados.

3- Escolha: pagamento à vista ou parcelado?

Em algumas situações o consumidor prefere pagar sua dívida à vista para se livrar dos novos juros do parcelamento. Nesse caso, você pode negociar um bom desconto para quitar tudo de uma só vez, já que o credor sempre optará por receber o dinheiro de imediato, mesmo que o valor seja um pouco menor do que o da dívida.

No caso de conseguir convencer o credor a renegociar sua dívida de forma parcelada, fique atento ao valor e à quantidade de parcelas. Firme um compromisso que você consiga cumprir, mesmo que surja algum imprevisto.

Além disso, fique atento ao valor total das parcelas. Em hipótese alguma aceite um acordo em que os juros sejam abusivos, pois esse valor a mais que você pagará poderá servir para quitar outras dívidas tão importantes quanto.

4- Frequente os Feirões Limpa Nome

Todo ano a Serasa realiza o Feirão Limpa Nome, com o objetivo de facilitar a vida de consumidores inadimplentes que pretendam renegociar suas dívidas. O devedor pode participar do feirão presencial, em São Paulo, ou da versão online, que atende consumidores de todo o país.

Neste feirão são oferecidas condições de pagamento especiais e os descontos podem chegar até 95% do valor total das dívidas. A negociação é feita diretamente entre o consumidor e as empresas participantes do feirão.

Embora o feirão seja realizado apenas em uma determinada época do ano, a versão online é disponibilizada o ano todo no site do Serasa Consumidor. Esse é um dos caminhos mais interessantes para renegociar suas dívidas, porém, é importante lembrar que nem todas as empresas aderem ao evento. Entre as participantes estão algumas das mais importantes instituições bancárias, telefônicas e financeiras do país. Confira a lista completa no site.

5- Renegocie todas as dívidas ao mesmo tempo

Se você tem mais de uma dívida, procure renegociar todas simultaneamente. Assim, você saberá o valor total que está devendo, poderá se programar para não comprometer seu orçamento e terá condições de honrar os novos compromissos.

Não adianta renegociar apenas uma dívida, pois parte do problema continuará existindo. Tente vender algum objeto que não tenha mais utilidade, corte algumas coisas supérfluas que levam parte de seu dinheiro todo mês ou faça algum trabalho extra para aumentar seu orçamento.

Tem mais alguma dica de renegociação de dívidas? Compartilhe conosco nos comentários!

Veja também