Entender o que diz um gráfico de candlestick é um conhecimento muito lucrativo para o investidor que busca sucesso na bolsa de valores.

Esta habilidade é fundamental, principalmente para quem deseja utilizar a Análise Técnica para identificar os momentos corretos de compra e venda.

Por que utilizar um gráfico de candlestick?

A variação dos preços, quando analisada por meio de candlesticks, pode indicar importantes momentos de compra e venda:

  • a ação vem caindo, é um bom momento para compra?
  • a ação vem subindo, é um bom momento para venda ou ainda há potencial para alta?

No caso da análise técnica, as respostas para estas perguntas passam necessariamente por uma boa interpretação de um gráfico.

Existem diversos tipos de gráficos de ações, e cada investidor tem as suas próprias preferências. Você pode, por exemplo, optar por gráficos de:

Cada um destes tipos de gráfico tem suas vantagens e desvantagens mas, com toda certeza, podemos afirmar que o gráfico de Candlesticks é o que melhor representa informações ao investidor e, portanto, é o mais utilizados.

De onde vieram os Candlesticks?

Vamos voltar ao Japão do século século XVIII, quando o arroz era a grande riqueza dos fazendeiros. Muitas negociações eram feitas com esse produto, como compra, venda, armazenagem e, até mesmo, contratos futuros!

Esse sofisticado comércio tinha milhares de negociadores por todo o país e, inclusive,  “bolsas de valores” onde o arroz era negociado.

A sofisticação desse mercado não parava por aí. Desde essa época já haviam investidores aplicando conhecimentos de análise técnica sobre as variações do preço do arroz por meio de um tipo de gráfico bastante particular, eram os atualmente chamados Candlesticks.

No século XIX, o investidor americano Steve Nison, percebeu que esta aplicação podia obter resultados excelentes quando aplicados sobre outros ativos, como ações, contratos futuros e até mesmo moedas.

Nison escreveu e publicou então um dos clássicos da análise técnica, o livro  “Japanese Candlestick Charting Techniques“, que ensina de modo único como entender os chamados padrões de candlesticks.

Os 3 elementos dos Candlesticks

1. Período

O principal conceito dos candlesticks é que, cada candle representa o que ocorreu com o preço de uma ação, durante um determinado período de tempo. Cada candle pode representar 1 minuto, 5 minutos, 1 hora, 1 semana, 1 mês e até mesmo 1 ano. Você é quem escolhe.

2. Formato

O formato do candle, por sua vez, é determinado por importantes valores que o preço da ação atingiu durante o período escolhido. São os preço de:

  • abertura
  • fechamento
  • mínimo
  • máximo

Esses valores dão forma aos dois elementos que compõe um Candle:

  • o corpo (que traz as informações de fechamento e abertura), e
  • a sombra (que informa os máximos e mínimos do período).

3. Cor

O terceiro elemento que compõe um candlestick é a sua cor, e isso determina se o candlestick é de alta ou, de baixa.

Quando o preço de fechamento está abaixo do preço de abertura, significa que o preço da ação caiu durante aquele período e, o candlestick será de baixa.

Quando o preço de fechamento for maior que o preço de abertura, significa que o preço subiu durante aquele período e, o candlestick será de alta.

Veja na figura abaixo como interpretar cada um dos três elementos do candlestick:

 

gráfico candlestick

No gráfico abaixo, temos o histórico diário da PETR3 (Petrobrás), com as informações sendo exibidas como candlesticks.

candlesticks PETR3

Como você já deve ter percebido, os candles podem apresentar as mais variadas formas, com corpos maiores, sombras menores, etc.

Um candlestick muito comprido, por exemplo, indica que houve muita movimentação de preços. Um candlestick mais achatado, indica que houve pouca variação entre o preço de abertura e o de fechamento.

Estas formas dão origem aos chamados padrões de candlesticks, que são interpretados pelos investidores como indicadores de comportamento, como reversão de tendência ou, como indicação de suporte ou resistência.

Veremos agora exemplos desse tipo de análise.

Padrões de Candlestick na análise técnica

Um determinado formato de candlestick ou, até mesmo uma sequência de formatos, pode representar que a ação está perdendo força na tendência de alta ou baixa.

Essas informações são indicações importantes sobre o que você deve fazer em relação aquela ação: comprar ou vender. Isso recebe o nome de Padrões de Candlestick.

Há diversos padrões já identificados pelos analistas como indicadores importantes no acompanhamento do preço de ativos. Entre os principais, podemos citar:

Limitações dos Candlesticks

Os candlesticks também possuem limitações analíticas, e é importante que você conheça bem quais são elas, antes de sair por aí comprando e vendendo.

A principal delas é que, este tipo de gráfico, não mostra a sequência de eventos que ocorreram durante o período, limitando-se somente aos quatro valores explicados anteriormente.

Veja na imagem abaixo que apenas olhando o candle, não podemos dizer qual das duas situações mostradas de fato ocorreu:

 

candlestick

Nesta imagem, podemos ver como dois pregões com comportamento completamente diferentes, resultaram em um mesmo candlestick (figura da esquerda).  O primeiro pregão (figura do meio), foi marcado somente por um forte movimento de alta, enquanto que, o segundo pregão (figura da direita), foi marcado por mais volatilidade e mais incerteza no mercado.

Conclusão

Os candlesticks trazem valiosas informações sobre os preços da ações e os valores de abertura, máximo, mínimo e fechamento do dia. Por meio de suas formas, podemos utilizar a técnica de padrões de candles para entender o comportamento do mercado.

É importante também que você conheça e entenda quais são as limitações deste gráfico, que, apesar de existirem, não invalidam seu uso e importância.

Agora que você já sabe a teoria, é hora de por o conhecimento em prática! Acesse agora a plataforma de Análise Gráfica e comece a usar os gráficos de candlesticks em suas análises.

Veja também