ABC do Investidor: Tire todas as suas dúvidas aqui

Confira os termos do dicionário do investidor, conteúdo especializado para quem quer saber tudo sobre as expressões que fazem parte desse mercado

Agregados Monetário

São ativos financeiros que se classificam de acordo com a sua liquidez. Eles podem possuir liquidez total, como é o caso da moeda, e também gradações menores de liquidez, como no caso das “quase moedas”. Pode-se também atribuir o termo agregados monetários ao conjunto de todo o tipo de moeda existente em um país, incluindo-se aí a base monetária. O Banco Central do Brasil (BC) divulga a base monetária em dois conceitos: um conceito restrito e um conceito amplo.

O conceito restrito, por convenção, corresponde ao total de papelmoeda em circulação adicionado às reservas bancárias. Muitos preferem usar essa classificação apenas para o termo base monetária, deixando o termo amplo para definir o que são meios de pagamento. O conceito amplo, portanto, corresponde ao total da base no conceito restrito, adicionado aos depósitos compulsórios em espécie monetária e em títulos federais externamente ao Banco Central.

Os economistas dividem os meios de pagamento em quatro grupos: M1, M2, M3 e M4. Assim, M1 refere-se à base monetária (conceito restrito): a soma das cédulas e moedas em poder do público e em depósitos à vista no sistema bancário. M2 refere-se à base monetária, M1, adicionada ao total de depósitos a prazo no sistema bancário, incluindo os Certificados de Depósito Bancário e Interbancário (CDB e CDI) e a parte dos títulos públicos (inclui apenas aqueles títulos que não estão em poder de bancos e de fundos de investimento). M3 refere-se à base monetária mais o M2, adicionada ao total de depósitos em caderneta de poupança. M4 refere-se à base monetária mais M2 e M3, adicionada ao restante dos títulos públicos em poder de bancos e de fundos de investimento, além de alguns títulos privados, como letras hipotecárias e letras de câmbio.