Zzzzzzzzz… – Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:59:10+00:0027 de setembro de 2013|

A semana no Índice Bovespa apresentou uma variação total perto de 0,5% e um volume médio diário que não chegou a R$ 5,5 bilhões. Só para comparação, a média da semana passada foi de R$ 7,75 bilhões por pregão. Com isso, a principal característica dos pregões foi uma total falta de sal, com pequenas variações e alguns pregões que passaram horas no mesmo lugar.

ibovespa

De qualquer maneira, a tendência principal ainda é de alta e somente em caso de perda dos 52.900 pontos terminaria com a tendência atual, abrindo mais espaço para cair e jogando um enorme balde de água fria nos comprados. Para o curtinho prazo, acima dos 54.130 pontos é onde começaria a animar um pouquinho o intraday, mais uma vez mirando o topo anterior em 55.900 pontos que é o ponto a ser rompido para um novo pivot de alta.

O Índice Dow Jones também maltratou um pouquinho os comprados, com algumas quedas seguidas e agora vai se segurando com a pontinha das unhas na mme50 em 15.240 pontos, cujo rompimento atrapalharia um pouco mais e geraria novas vendas até os 14.800 pontos. A tendência de prazos mais longos ainda está intacta, mas para o curto prazo voltar a florescer precisa voltar logo para cima dos 15.387 pontos.

Assim como na semana passada, ainda temos diversas operações possíveis para serem iniciadas, tanto pela formação de pivots (de alta ou baixa) ou através da formação de candles de fundo. Papéis como NATU3 e PETR4 tem candles de fundo deixados recentemente, enquanto que DTEX3, ENBR3 e BRSR6 mostram possíveis pivots de alta que também justificam compras. Para os pessimistas, alguns papéis menos badalados podem chamar operações curtinhas de venda, como MRFG3, MPLU3 e BBRK3.

A NATU3 não é exatamente uma novidade, já que falamos delas nos últimos dias, mas confirmou há pouco um sinal de fundo, voltando a mirar os R$ 51,31, que é o primeiro objetivo de alta e cujo rompimento deixaria a situação mais confortável em busca dos R$ 53,00. Essa confirmação de sinal de fundo também permite aos já comprados apertar um stop, agora para R$ 48,82.

A PETR4 também tem configuração parecida, já que a tendência de alta não é novidade e deixou um possível martelinho invertido, que é um candle de fundo. O passo necessário agora é romper os R$ 18,82 e isso empurraria de novo o papel para o topo anterior.

O primeiro detalhe a me chamar atenção na DTEX3 é seu Adx muito baixo, precisando apenas de mais uma pequena valorização no ativo para que ele comece a gritar em ajuda aos comprados. Apesar da melhora recente, a festa dos comprados apenas deve começar depois dos R$ 13,59, chamando uma compra mais tranquila em busca dos 14,07 e R$ 14,80. As bandas de bollinger também estão estreitas, por isso o rompimento do pivot causaria a reabertura delas, tirando o ativo do marasmo e trazendo movimentações bem fortes de novo.

Uma das teorias das resistências em análise gráfica diz que, quanto mais vezes uma resistência é tocada, mais forte tende a ser o movimento em caso de rompimento. Por isso, se passar dos R$ 12,00, a ENBR3 pode dar uma puxada rápida e indolor em busca dos R$ 13,00, com a colaboração os fundinhos ascendentes no seu OBV e até mesmo um Adx, agradável. O que não é tão agradável é o stop, em R$ 11,28, que não chega a ser tão curto.

Como última compra, a BRSR6 é mais uma representante do setor bancário que tem bela configuração. Depois de fortes altas recentes nos players maiores, como BBAS3, ITUB4 e SANB11, o Banrisul agora pode chamar mais uma comprinha acima dos R$ 16,10 com caminho livre até os R$ 17,20. Os indicadores estão todos arrumadinhos para chamar a compra, à exceção do Adx um pouco alto. Mas isso não chega a impedir a operação, apenas deve fazer o papel andar mais vagarosamente do que gostaríamos.

Vamos falar agora os pessimistas, que estão sempre buscando uma vendinha descoberta para ser iniciada. A MPLU3 já passou o pregão de hoje guerreando com o suporte em R$ 25,70 e abaixo dele ganha um baita espaço para cair até os R$ 24,00, com o Adx concordando com a tendência de alta.

Para os arrojados de plantão, a MRFG3 continua com sua enorme volatilidade e segue brincando em cima do suporte em R$ 5,93, bastando apenas rompê-lo para baixo para iniciar uma desandada até os R$ 5,65. Os indicadores também são pessimistas, como o OBV com topos descendentes e o Adx com tendência negativa, mas cuidado com a operação já que o aluguel é caro e a volatilidade vai na Lua.

Para encerrar os papéis de hoje, temos a BBRK3. O que me chamou atenção foi a figura possível de Ombro Cabeça Ombro (um pouquinho forçada, ok) que apresenta, bastante apenas perder o fundo em R$ 5,69 para que o papel seja novamente espancado até a faixa dos R$ 5,20. O stop não é dos mais longos, ficando em R$ 6,00 só para tentar garantir um prejuízo pequeno em caso de insucesso. Vale lembrar que o setor imobiliário como um todo ainda está heterogêneo demais, com vários papéis muito fortes e outros, fracos de dar pena.

Essa semana foi bem difícil de ficar acordado durante o pregão. Durante vários momentos tive a impressão do meu programa de gráficos estar com problemas e ter travado, mas a triste realidade era que o volume secou e o mercado não se mexia.

Realmente torço para que o volume financeiro volte a melhorar e você deveria fazer o mesmo. Não importa se você está comprado até o pescoço ou vendido até o limite da margem, mas eu continuo sem acreditar numa forte movimentação do mercado com esse volume sofrível. Enquanto não tivermos novamente na casa dos R$ 7 bilhões, vou continua feito um chato reclamando disso.

Ótimo final de semana a todos e até a próxima sexta-feira!!

 

 

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.
Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste vídeo, limitadas às companhias objeto de sua análise, nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, BVMF3, MILS3, KLBN4, MYPK3, DIRR3, RDNI3, BRFS3 e CCRO3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483, referentes às empresas cobertas pelos analistas de investimento da Ágora e Bradesco Corretora:
O Bradesco tem participação direta acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Odontoprev S.A. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de Sascar Participações S.A. e Unidas S.A., de debêntures da Companhia de Gás de São Paulo – COMGÁS e Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de ações de Tupy S.A., de debêntures da Companhia de Gás de São Paulo – COMGÁS, Concessionária do Sistema Anhanguera – Bandeirantes S.A. – AUTOBAN e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Azul Linhas Aéreas, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, Bradespar, Brasil Telecom, CART, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Rede Do´r São Luiz, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, CPFL Energias Renováveis, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII Vila Olimpia Corporate, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Taesa, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também