Tudo Tranquilo na Tendência de Alta – Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:59:09+00:0013 de setembro de 2013|

Ainda não temos qualquer tipo de novidade ruim sobre a tendência de alta do Índice Bovespa, que foi iniciada há pouco tempo, já que os topos e fundos ascendentes ainda tomam conta do mercado.

A alta desta sexta-feira foi suficiente para marcar um novo suporte em 52.900 pontos, que em caso de novas altas já poderia ser usado como referência de suporte no gráfico diário. Mas como a tendência de alta, temos que olhar para cima, e o que vejo é uma leve resistência em 54.740 pontos, que deve ser rompida facilmente, empurrando mais uma vez nosso principal índice aos 57.100 pontos, que ainda é o nosso objetivo mais importante para cima.

gráfico ibovespa

O Índice Dow Jones mostrou uma semana de força compradora fantástica, com fortes altas em sequência e voltando a aproximar o índice de sua máxima histórica, perto dos 15.660 pontos, mostrando força compradora principalmente para os prazos mais longos.

Semanal passada falei de alguns papéis e como destaque tivemos o ótimo desempenho de SULA11, que tem uma enorme figura de ombro cabeça ombro invertido já rompido e causando novas altas no papel. A JBSS3 é uma operação mais arrojada por conta de sua volatilidade, mas que também continua andando do jeito esperado e ainda a MGLU3, que acabou se transformando em um trade de apenas dois pregões por conta da forte alta.

Como novidades, temos novamente papéis dos mais diferentes setores. Para quem está de olho nas voláteis construtoras, agora começo a prestar atenção em RSID3, enquanto que do varejo gosto da LREN3. Nos bancos, depois de falar de BBAS3 há uns relatórios atrás, foco hoje na renegada SANB11 e na ITSA4. Para aqueles realmente agressivos e que não se assustam com uma volatilidade tamanho família e um stop cavalar, vou falar também um pouquinho de MMXM3, mas para o campo pessimista.

As construtoras em geral andam nada frente do Índice, seja para o céu ou para o inferno, já que em geral são muito voláteis. Algumas delas seguem melhorando recentemente, como BISA3, que deixou um belo sinal de fundo hoje, JHSF3, GFSA3 e outras. Mas a RSID3 me chama atenção pela figura formada, que, em caso de sucesso, pode dar uma estilingada no seu preço de maneira bem rápida. O ativo tem um triangulo simétrico e acima dos R$ 3,15 passaria a ter tendência de alta com mais força, em busca dos R$ 3,21 e principalmente dos R$ 3,55. Os indicadores em geral ajudam essa possibilidade, mas não faria a compra de maneira nenhuma antes do rompimento citado. Em caso de compras, o stop ficaria em R$ 2,87.

A LREN3 já mostrou uma melhora quando rompeu os R$ 61,26 há umas semanas, mas agora está na marca do pênalti para uma outra puxada mais forte. Tocou essa semana duas vezes a mme200 em R$ 67,06 e basta conseguir seu rompimento para tentar uma rápida puxada para cima até os R$ 75,00, justificando uma compra. O suporte em R$ 63,80 é fraco, mas não chega a comprometer seu uso como um stop, aproveitando que é curtinho. Para os apressadinhos, caso o ativo fique lateralizado mais uns dias e só depois faça o rompimento para cima, isso tornaria a operação ainda melhor.

Quando fazemos recomendações no setor de bancos, quase sempre focamos em ITUB4 e BBAS3, já que não posso tecer comentários sobre o BBDC4, e sempre deixamos de lado a pobrezinha da SANB11. Mas dessa vez ela está a um passo de virar a minha preferida no setor para um trade curto, bastante apenas passar dos R$ 14,52 e gerar um tiro bem rápido até os R$ 15,50. Para os amantes do stop curtinho, essa operação também ajuda, já que ele tem suporte em R$ 13,99. Os indicadores em geral ajudam a operação, mas vale lembrar que o pivot se encontra dentro de uma congestão colossal e, por isso, deve gerar apenas uma operação curtinha e mais nada. No mesmo setor, a ITSA4 acima dos R$ 8,82 faz um minúsculo pivot de alta, gerando também uma comprinha bem legal.

Para os pessimistas não reclamarem que eu só falei de compras, a MMXM3 está desenhando um padrão que gosto muito de operar. Ele consiste em uma grande barra (de alta ou queda) seguida por pequenos candles lateralizados. À medida que a extremidade do candle é rompida, no caso, para baixo, uma operação de venda se inicia com um stop bem curto. Trocando isso em números reais, a perda dos R$ 1,86 poderia afundar o ativo mais uma vez até perto dos R$ 1,55. Os indicadores também apoiam a tendência de baixa, como o Adx, MACD e OBV, mas todo cuidado é pouco já que a volatilidade é absurda e o stop também é bem elevado, apenas em R$ 2,04.

Um detalhe importante que precisaremos observar assim que a nova pernada de alta aparecer no Ibovespa, o que acredito que já seja nos próximos dias, é o volume financeiro. Este volume precisa ser de pelo menos uns R$ 7 bilhões, trazendo dinheiro dos gringos e ajudando a melhorar indicadores de volume, como o OBV.

Hoje é sexta-feira 13, do ano de 2013, mas parece que os monstros assustadores não passaram nem perto da nossa bolsa, pelo menos por enquanto. Ótimo final de semana a todos e até a próxima sexta-feira!!

Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste vídeo, limitadas às companhias objeto de sua análise, nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
 O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
 A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
 O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
 O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, BVMF3, MILS3, KLBN4, MYPK3, DIRR3, RDNI3, BRFS3 e CCRO3.
 Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483, referentes às empresas cobertas pelos analistas de investimento da Ágora e Bradesco Corretora:
 O Bradesco tem participação direta acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Odontoprev S.A. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
 Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
 O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de Sascar Participações S.A. e Unidas S.A., de debêntures da Companhia de Gás de São Paulo – COMGÁS e Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de debêntures da Companhia de Gás de São Paulo – COMGÁS e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
 Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Azul Linhas Aéreas, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, Bradespar, Brasil Telecom, CART, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Rede Do´r São Luiz, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
 Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, CPFL Energias Renováveis, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII Vila Olimpia Corporate, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Taesa, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.
 A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também