Precisão Cirúrgica No Repique e Volume Vergonhoso | Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:58:58+00:0019 de julho de 2013|

A bolsa brasileira mostrou uma semana com os quatro primeiros pregões de alta, atingindo com precisão milimétrica o objetivo de repiques nos 48.050 pontos, mas apresentou um volume simplesmente horroroso.

O atingimento da resistência citada não chegou a significar alguma coisa para melhor no Índice Bovespa e mesmo que uma nova melhora aconteça depois dela, ainda não seria o suficiente para se falar em tendência de alta, já que ainda faltam fundos ascendentes.

Análise Técnica Ibovespa

Essa sequência de repiques serviu para afastar um pouco da força vendedora que tínhamos até então, mas também ajudou a aumentar um quê de indefinição.

Há sim a possibilidade de uma melhora a ser iniciada por fundos ascendentes e melhora no volume, ou até mesmo podemos falar em uma possível figura de reversão mais adianta, mas por enquanto isso é apenas uma possibilidade. No campo inferior, essa venda mais pesada também apenas volta a assustar os comprados somente na perda da mínima do ano, que está agora um pouco distante.

Ou seja, temos basicamente que fugir para operações de curto prazo em papéis isoladamente, sem olhar o mercado como um todo ou até mesmo setores grandes, já que a heterogeneidade do mercado ainda é alta. Tem muita coisa realmente muito boa e muita coisa realmente muito ruim.

Mesmo que na base do passo de tartaruga, o Índice Dow Jones marcou um novo recorde histórico e reforçou a tendência de alta de longo prazo, que já era bem tranquila e agora mira primeiramente nos 15.800 pontos. A volatilidade também está muito baixa, deixando o índice um pouco chato para ser acompanhado. Realizações pontuais até podem acontecer, principalmente em caso de perda dos 15.410 pontos, mas ainda longe de comprometer a tendência de alta já que o fundo anterior está apenas em 14.550 pontos e por isso ainda não assusta.

Como esta semana tivemos um volume muito fraco, a maior parte dos papéis citados aqui na semana passada sequer conseguiram romper seus pontos importantes. Papéis como UGPA3, IGTA3, BVMF3 e outros não chegaram nem perto de suas entradas, ficando então como o único papel a ser destacado a NATU3, que já até atingiu o primeiro objetivo de queda nos R$ 43,30 e ainda tem mais espaço para cair.

Como falei acima, ainda não temos um sinal claro de melhora no Ibovespa, mas muitos papéis isoladamente mostram possíveis operações de compras, onde algumas delas já foram até feitas em nossos relatórios, como POSI3, CMIG4, GGBR4, TOTS3 e BRPR3, e ainda vemos uma venda curtinha na VALE5.

Vários papéis vem mostrando figuras de reversão nos últimos dias, com a POSI3 tendo rompido uma figura de ombro cabeça ombro invertido (OCOI) e já atingiu o primeiro objetivo de alta na mme50, mas com o objetivo para cima ainda em R$ 4,50, que é perto da projeção da figura.

Alguns indicadores também mostram leve melhora, como o OBV com fundinhos ascendentes e o Adx perto de voltar a apontar para cima. O stop é o fundo anterior em R$ 3,72 e a volatilidade do papel segue enorme.

Outro papel com configuração parecida, apesar de volatilidade menor, é a CMIG4 com outro OCOI a ser rompido nos R$ 20,93, declarando uma nova compra em busca dos R$ 21,70 e depois em R$ 23,40, que é o objetivo final da figura. O Adx está lá no chão e provavelmente apenas o rompimento para cima seria suficiente para fazê-lo apontar para cima e ajudar os comprados. O OBV também já agrada, com fundos ascendentes e mostrando alguma animação.

A GGBR4 é um prato cheio para quem gosta de linhas de tendência, já que ela começou a mostrar uma linha de tendência de baixa logo nos primeiros pregões do ano, e finalmente conseguiu o rompimento para cima nesta semana. Acima dos R$ 13,76 ela recupera força compradora e volta a chamar compras em busca dos R$ 14,26 e depois disso na sua mme200, perto dos R$ 15,25. Os indicadores também estão bem comportados, como o Adx subindo, OBV melhorando e suas BB se abrindo. O stop não é longo, ficando no seu fundo anterior em R$ 12,75. O papel rompeu também sua mme50, o que é sinal de otimismo.

Se nos papéis citados anteriormente temos um viés mais positivo até mesmo de médio prazo, na TOTS3 é um pouco diferente, já que apesar do gráfico bem legal, o espaço para cima é curto. Acima dos R$ 35,70 ele mira pelo menos na mme200, que não é muito longa, mas dá para fazer alguma coisa até os R$ 37,80. O stop é o fundo anterior, mas muito cuidado na operação já que não podemos correr o risco de ficar muito tempo nela.

Depois do OCOI (mais um) rompido há uns dias atrás, o ativo pode agora montar um novo pivot de alta depois da realização. É totalmente comum que depois de romper figuras de reversão como triângulos e OCOs, o ativo consegue uma realização até o antigo ponto rompido antes de voltar a andar mais forte. Neste caso, basta o pivot de alta acima dos R$ 20,19 para uma nova compra e dessa vez com belo caminho livre até os R$ 21,50, que é tanto a projeção da figura quanto a região da mme200. É bom também que a alta aconteça logo, pois assim o Adx também já passaria a ajudar os comprados. O stop da operação ainda não está muito claro, mas em caso de entrada provavelmente ficaria perto dos R$ 19,28.

Em mais uma Linha de Tendência de Baixa (LTB) muito parecida com a da GGBR4 citada mais acima, a VALE5 ainda não teve a mesma força e não conseguiu o rompimento para cima que finalmente lhe daria força compradora. Abaixo dos R$ 28,00, onde já fechou ontem, a confirmação do sinal de topo existe e por isso justifica uma vendinha curta e bem arrojada. A operação certamente parece mais arrojada que as anteriores, mas o stop bem curtinho na resistência em R$ 28,45 pode fazer a operação valer a pena. O Adx segue sem tendência, e ao apontar para cima teremos uma certeza maior para a direção dos próximos movimentos mais consistentes.

Vou citar mais uma vez que as operações devem ser bem curtinhas, que é o mesmo que disse nas últimas semanas e com muito cuidado para não vermos uma operação lucrativa virar um baita prejuízo. E o volume financeiro voltando a melhorar é primordial para um alto grau de sucesso em nossas operações.

Ótimo final de semana a todos e até a próxima sexta-feira!!

__________________________________________________________

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.
Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste vídeo, limitadas às companhias objeto de sua análise, nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, BVMF3, MILS3, KLBN4, MYPK3, DIRR3, RDNI3, BRFS3 e CCRO3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483, referentes às empresas cobertas pelos analistas de investimento da Ágora e Bradesco Corretora:
O Bradesco tem participação direta acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Odontoprev S.A. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de CPFL Energias Renováveis S.A., de debêntures da Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de ações CPFL Energias Renováveis S.A. e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Azul Linhas Aéreas, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, BR Pharma, Bradespar, Brasil Telecom, BTG Pactual Pharma, CART, CCR Viaoeste, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Editora Abril, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Galvão Participações, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MMX Mineração, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Queiroz Galvão, Rede Do´r São Luiz, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Suzano Papel e Celulose, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BR Pharma, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII Vila Olimpia Corporate, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Suzano Papel e Celulose, Taesa, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também