Ô semaninha chata – Análise Ágora

Por |2018-06-08T07:58:46+00:0010 de maio de 2013|

O Índice Bovespa mostrou uma semana muito chata, sem qualquer modificação importante em sua configuração de curto prazo.

Na semana passada, quando o Ibovespa mostrou os primeiros sinais de melhora, eu citei que deveríamos ter dificuldades para andar devido ao grande número de resistências entre os 56.000 pontos e os 57.600 pontos, mas não imaginava que seria tão grande assim.

O índice tocou a média móvel exponencial 50 (mme50) em seis dos últimos oito pregões, e isso serve para nos dar a idéia da dificuldade que ainda nos espera pela frente.

gráfico Ibovespa

 O gráfico semanal não mudou muita coisa, por isso vou simplificar a análise de curto prazo: Acima dos 57.000 pontos e principalmente dos 57.600 pontos a situação começaria a melhorar e geraria curtas compras. Abaixo dos 54.140 pontos jogaria no lixo toda a melhora recente e por isso abriria de novo espaço para cair até a mínima do ano.

As bolsas americanas continuam esbanjando saúde por enquanto, com novas máximas históricas no Dow Jones, no SP500 e na bolsa NASDAQ marcou o fechamento mais alto desde o ano 2000. Realizações pontuais até podem acontecer a qualquer momento no Dow Jones, principalmente em busca dos 14.890 pontos, mas isso nem arranha a tendência de alta por enquanto. A situação é bastante simples, basta permanecer acima dos 14.380 pontos que não teremos problemas com a tendência.

A maior parte dos papéis citados na semana passada continua muito bem configurada, como a BVMF3 e sua bela tendência de alta de longo prazo e a ALLL3, que conseguiu mais um pivot de alta e agora está mirando os R$ 11,48. A CESP6 também anima, apesar da enorme dificuldade para finalmente passar da mme200, que é bem chatinha.

 Para novidades, temos vários papéis legais, até mesmo de dentro do Índice e com grande peso. A AMBV4 ressuscitou depois de apanhar um pouco nos últimos meses, e a NATU3 mais uma vez tenta nos convencer de que pode melhorar. A AEDU3 ainda tenta leve melhora, enquanto que no campo negativo podemos falar em vendas de ELET3 e MRVE3.

 Antes de detalhar os novos, quero somente deixar claro que não vou repetir os antigos para não deixar uma leitura repetitiva, mas gosto muito de ALLL3 no semanal, da CESP6 se passar da mme200 e a BVMF3 se romper a máxima de ano e fizer algo parecido com uma bandeira. Mas ok, vamos aos novos…

 Se você perguntar para qualquer pessoa que tenha acompanhado do mercado nos últimos 5 anos, uma lista dos ativos mais fantásticos, tenho certeza que qualquer lista contaria com a AMBV4. Mas ela começou mal este ano, tomando uma pequena surra de fevereiro a abril, mas parece que essa nuvem negra já passou e o sol volta a brilhar. O rompimento dos R$ 84,00 serviu para lhe devolver a tendência de alta, pelo menos em um trade até os R$ 91,00, que é o objetivo para cima. Com essa melhora, o Adx também começou a ajudar os comprados, assim como o On Balance Volume (OBV). Para quem é menos trader e mais investidor, ele também me parece estar em um bom ponto de compras para prazos longos, ou seja, para ficar agarrado com ela por semanas ou meses.

 A NATU3 está meio travadona, mas tentando melhorar de novo depois de muito tempo. A situação também é razoavelmente simples, precisando apenas passar dos R$ 50,78 para animar novas compras e tirar o Adx do limbo. O Adx vale apenas 11 pontos e precisa urgentemente desse rompimento para ganhar também uma tendência de alta, favorecendo assim a operação de compra. Não gosto dela para uma operação longa, em caso de entrada, seria apenas para um tiro bem curtinho até os R$ 53,60.

Temos também um caso específico de papel que está devendo em relação aos pares, que é o caso do setor de educação. A KROT3 e ESTC3 seguem fantásticas e marcaram novas máximas históricas esta semana, mas a pobre AEDU3 ainda está dormindo. O ponto para ela acordar fica em R$ 12,50 e seu rompimento pode acender uma faísca no ativo, puxando forte e rápida compra em busca dos R$ 13,85 ainda no curto prazo. Para quem gosta, ele até animaria também para um posicionamento mais longo, mas minha prioridade por enquanto é de trade rápido. O Adx já está tentando levantar o papel, mas depende do rompimento da resistência para virar um monstro e embicar para cima com força. O stop é curtinho, em R$ 11,73.

Apesar da melhora de leve do mercado como um todo e de muitos exemplos de papéis fortes, há ainda setores muito fracos, como siderurgia, construção civil e algumas empresas do setor elétrico. Vou falar de duas vendas de gráficos parecidos, que são ELET3 e MRVE3. A vantagem da MRVE3 é que já deu entrada (e nós cantamos a operação em nosso relatório de recomendações) e marcou hoje nova mínima do ano, caindo como uma bigorna em busca dos R$ 7,50. Os indicadores concordam com isso, mas lembremos que o setor é bem volátil. A ELET3 já nos proporcionou algumas operações de venda nos últimos meses e está perto de fazer mais uma. O suporte recém feito em R$ 4,80 merece atenção, pois seu rompimento poderia trazer ainda mais quedas no papel, o que incrivelmente ainda parece possível de acontecer. O stop é razoavelmente curto, em R$ 5,05, mas lembro que esta resistência é fraquinha.

Para o Índice, a semana foi como perdida, mas lembro mais uma vez da heterogeneidade do mercado, que mostra ao mesmo tempo papéis incrivelmente fortes e outros que chegam a dar pena. Portanto, operação é o que não falta, desde que feitas com lotes pequenos e curta duração (salvo raras exceções).

Bom final de semana para todos e até a próxima!!

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.

Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento Daniel Marques declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBAS3, BBPO11, BVMF3, ENBR3, GGBR4, VALE5 e VIVT4.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, BVMF3, CSAN3, MILS3, KLBN4, MYPK3, PTBL3 E VLID3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483.
O Bradesco tem participação direta acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Odontoprev S.A. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de BB Seguridade Participações S.A., BHG S.A. – Brazil Hospitality Group, Biosev S.A., Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A., Smiles S.A., de units de Abril Educação S.A. e debêntures da Cia de Gás de São Paulo – Comgás, Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A. e Rodovia das Colinas S.A. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de ações da BB Seguridade Participações S.A., BHG S.A. – Brazil Hospitality Group, Biosev S.A., Senior Solution S.A., Smiles S.A., de units da Alupar Investimento S.A., de cotas de Fator IFIX Fundo de Investimento Imobiliário – FII, Fundo de Investimento Imobiliário – FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, Fundo de Investimento Imobiliário General Shopping Ativo e Renda – FII, Fundo de Investimento Imobiliário – FII TB Office, Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário – FII, Santander Agências Fundo de Investimento Imobiliário – FII e SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Aliansce, Ampla, Azul Linhas Aéreas, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BNDESPAR, BR Malls, BR Pharma, Bradespar, Brasil Telecom, Brookfield Incorporações, BTG Pactual Holding, BTG Pactual Participations Ltd, BTG Pactual Pharma, CART, CCR Viaoeste, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, Companhia Brasileira de Distribuição, CPFL Energias Renováveis, EcoRodovias, Editora Abril, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Galvão Participações, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), GFV Holding, Gráfica e Editora Anglo, Iguatemi, JBS, Marfrig, Marisol, MMX Mineração, MRV Engenharia, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Queiroz Galvão, Rede Do´r São Luiz, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Suzano Papel e Celulose, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Aliansce, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BR Pharma, BTG Pactual Participations Ltd, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fator Verità FII, Fibria, FII Vila Olimpia Corporate, Fundo de Índice ICO2, FII Maxi Renda, FII TRX, Iochpe Maxion, Linx, Locamérica, Marfrig, Minerva, Multiplan, Santander Agências FII, SDI Logística Rio – FII, Suzano Papel e Celulose, Taesa, Triângulo do Sol, Unicasa e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também