Melhor cenário do ano, pelo menos por enquanto – Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:59:06+00:005 de setembro de 2013|

Corro um sério risco de queimar a língua me expondo dessa maneira, mas digo sem sombra de dúvidas que neste momento temos o melhor cenário para o Índice Bovespa em todo o ano de 2013. É verdade que em outros momentos do ano tivemos também tendências de alta ou motivos para pensar em algumas compras, mas agora é diferente já que são vários indicadores apontando para a mesma direção. Ibovespa Começando com o básico, o Índice Bovespa mostrou hoje um grande pivot de alta ao romper os 52.400 pontos e, de quebra, deixou para trás pela primeira vez no ano a média móvel exponencial de 200 dias, nos dando o que não tivemos por todo o ano: espaço. Sim, espaço. Todas as comprinhas cantadas aqui nos últimos tempos tinham sempre um empecilho do curto espaço até a resistência seguinte, sempre girando em torno de 800, 1.000, 1.200 pontos, mas dessa vez mostra um caminho livre até os 57.100 pontos.

Ou seja, desde o rompimento da média, são quase 4.000 pontos de um pasto verde e convidativo para nossas ações. Os indicadores também entraram na dança, com o Adx já apontando para cima e por isso mostrando tendência de alta, o OBV na máxima dos últimos seis meses, além das bandas de bollinger se abrindo e outros osciladores menos importantes cruzados na compra.

Peraí, Daniel, está dizendo então que o céu é de brigadeiro e vamos subir sem parar?

É claro que não.

Temos sim um belo cenário e vou citar mais à frente que muitos papéis de boa liquidez também mostram boas configurações, mas isso não é motivo para uma alavancagem desmedida ou de deixarmos de lado nossas estratégias na hora de entrar nas operações. Mas sim, podemos afirmar que o cenário é bom e que justifica compras.

O Índice Dow Jones não mostrou nada de diferente, ainda firme em sua tendência de alta de longo prazo, mas com um curto prazo um pouco confuso. Acima dos 15.050 pontos ganharia alguma força compradora novamente, enquanto que a perda dos 14.550 pontos poderia trazer uma definição para o lado inferior. A escolha das ações sobre as quais vou falar aqui neste texto semanal é sempre muito difícil, mas geralmente a dificuldade vem da falta de papéis bem configurados para citar.

Hoje a situação é totalmente inversa, sem forçar a barrar, eu poderia escrever pelo menos uns vinte papéis interessantes aqui, mas vou invocar m poder de síntese, que eu nem sempre tenho, para resumir os mais chamativos. Para atender a todos, vou fazer uma mescla de ações mais voláteis e começando a melhorar agora, com outras que já possuem tendências bem definidas há semanas.

No campo das reversões, vou citar ativos como BISA3, MGLU3 e FHER3, enquanto que para as tendências mais positivas contarei sobre BBSE3, JBSS3 e vou colocar neste grupo também a SULA11. Depois de muita enrolação, a BISA3 finalmente conseguiu superar os R$ 1,95 neste último pregão da semana e reforçou uma tendência de alta que já vinha tentando aparecer nos últimos dias.

O objetivo para cima é percentualmente grande, em busca dos R$ 2,12 e depois em R$ 2,30, contando com uma bela ajuda do seu Adx. Sabemos que o papel é bem volátil, mas devido ao tamanho do espaço para a recuperação, o risco acaba valendo a pena. A MGLU3 tem uma configuração parecida com a BISA3 citada acima, já que o rompimento dos R$ 6,11 serviu para lhe dar tendência de alta pela primeira vez no ano.

Os indicadores também ajudam, como as bandas se abrindo e o Adx ganhando tendência de alta, além do rompimento para cima de sua mme50. O primeiro objetivo para cima é bem curtinho, nos R$ 6,33, mas seu rompimento faria o sorriso no rosto dos comprados aumentar bastante, já que o alvo seguinte fica em R$ 6,90. Percentualmente falando, é um senhor objetivo.

O nosso próximo papel precisa de uma apresentação mais cautelosa, já que sua liquidez é bem fraca, por isso nos inexperientes ou conservadores devem manter certa distância. Estou falando da FHER3 e de seu possível pivot de alta a ser rompido nos R$ 8,48, que declararia a primeira compra em vários meses, mirando os R$ 8,80 e R$ 9,50. Os indicadores também não estão ruins, mas o principal detalhe da operação seria o stop bem pequeno, na mínima de hoje em R$ 8,00. Para quem prefere correr um risco menor e apenas surfar na onde de papéis já em tendência de alta, os próximos podem parecer mais interessantes.

Como a BBSE3, que é um IPO recente, mas já possui uma bela tendência de alta e o rompimento de hoje nos R$ 19,65 serviu para marcar um novo recorde histórico e ainda nos dar um recado: De que há mais espaço para ser percorrido. Nosso novo alvo fica levemente acima dos R$ 21,00, também contando com ajuda dos indicadores em geral e reforçado pelo fato do ativo ser pouco volátil.

Quem curte figuras de impulsão certamente percebeu a JBSS3 no começo do mês passado rompendo uma enorme figura de triângulo simétrico. Desde então, o ativo já fez o seu pull back à antiga figura e agora vai dando continuidade ao movimento, e seu próximo passo seria um novo pivot de alta acima dos R$ 7,77 e com isso geraria uma nova compra em busca dos R$ 9,00.

Pela grande distância do objetivo de alta já podemos perceber que é uma operação mais longa, dada até mesmo pelo seu gráfico semanal, por isso nada de pressa para quem estiver dentro dela. A situação somente começaria a assustar em caso de perda dos R$ 6,85, acima disso, tudo tranquilo.

Ainda no campo das figuras de reversão, a SULA11 mostra a possibilidade da minha figura preferida: um Ombro Cabeça Ombro Invertido (OCOI). Hoje o ativo foi a cerca de 1% do rompimento dos R$ 14,85, e basta superar este número para retomar com força uma tendência de alta, olhando para os R$ 15,34 e depois em R$ 16,50.

O gráfico semanal também é interessante, portanto, compras visando um prazo mais longo também se tornam interessantes. Os indicadores, assim como nos casos anteriores, estão ajudando as compras, principalmente pelo seu Adx bem baixo. Como disse no começo, eu poderia falar de vários outros papéis aqui, como HGTX3, CCRO3, LLIS3, ITUB4 e vários outros, mas para isso peço gentilmente a todos que continuem acompanhando o nosso Relatório de Recomendações de Análise Gráfica, pois o que mais aparecer de oportunidade, vou colocar lá.

Ótimo final de semana a todos e até a próxima sexta-feira!!

Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste vídeo, limitadas às companhias objeto de sua análise, nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, BVMF3, MILS3, KLBN4, MYPK3, DIRR3, RDNI3, BRFS3 e CCRO3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483, referentes às empresas cobertas pelos analistas de investimento da Ágora e Bradesco Corretora:
 O Bradesco tem participação direta acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Odontoprev S.A. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
 Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
 O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de Sascar Participações S.A. e Unidas S.A., de debêntures da Companhia de Gás de São Paulo – COMGÁS e Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de ações CPFL Energias Renováveis S.A. e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Azul Linhas Aéreas, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, Bradespar, Brasil Telecom, CART, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Rede Do´r São Luiz, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
 Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, CPFL Energias Renováveis, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII Vila Olimpia Corporate, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Taesa, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também