Com a Declaração Anual do Imposto de Renda chegando (prazo para entrega do IR é entre 02 de março até às 23h59 do dia 30 de abril, segundo Receita Federal), muitos investidores, principalmente os de primeira viagem, descobrem que estão pendentes com o órgão. É o caso de contribuintes que investem em renda variável – além de declarar todos os investimentos anualmente, devem também calcular mensalmente o imposto devido e realizar pagamento, caso necessário. Quer saber se é o seu caso ou se você possui isenção no imposto de renda na Bolsa? Continue lendo este artigo. 

 

O que você vai aprender: 

  1. A importância de calcular mensalmente os rendimentos 
  2. O que acontece com quem não declara
  3. Quais são as regras de isenção

Por que calcular o imposto de renda mensalmente?

Calcular mensalmente o imposto de renda é uma excelente tática para acompanhar e gerenciar sua carteira de investimentos. Dessa maneira, você consegue controlar custos de corretagem e taxas e ficar atento com o lucro de cada venda. 

Além disso, quem não paga mensalmente o imposto devido corre o risco de pagar multas. A multa para atraso é de 0,33% por dia, limitado a 20%, e os juros representam a soma da taxa Selic desde a do mês seguinte ao do vencimento do imposto até a do mês anterior ao do pagamento, acrescentando-se a esta soma 1% referente ao mês de pagamento. 

Já quem esquece de fazer a Declaração Anual do Imposto de Renda ou preenche algum dado errado sofre outras consequências. A multa varia de R$165,74 até 20% do valor do imposto devido, além dos impostos e multas por atraso referentes aos seus rendimentos em renda variável. O CPF do contribuinte também ficará pendente de regularização, o que acarreta em algumas consequências incômodas para o dia a dia. 

 

Leia também: Como calcular o Imposto de Renda atrasado 

Leia também: Como regularizar seu CPF na Receita Federal

 

Além das multas, calcular mensalmente o imposto de renda é a melhor maneira de saber se você está isento dos pagamentos. Acompanhe: 

Isenção no Imposto de Renda: quem tem?

Tem direito a isenção quem vendeu até R$20.000 em ações no mês (em operações normais). Se passar desse valor, você terá que pagar 15% incidido sobre o lucro. 

Reforçamos: a isenção é apenas para operações normais. Quem faz day trade não tem direito a isenção no imposto de renda e será tributado em 20% sobre o lucro, não importando o valor da venda. A regra também atinge quem atua no mercado futuro ou de opções ou quem faz operações ETF (tributados em 15%). 

Conclusão 

Agora que você já sabe se estará isento no Imposto de Renda, aprenda a declarar seus investimentos em renda variável no Imposto de Renda com a ajuda do Guia completo de Imposto de Renda na Bolsa. Não deixe para última hora!