Horário de verão causando estrago no volume da bolsa – Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:59:15+00:0025 de outubro de 2013|

Depois de uma semana passada com bom volume, a bolsa voltou a mostrar um volume horroroso e uma possível explicação para isso é o começo do horário de verão aqui no Brasil.

Até então, a bolsa dos EUA abria às 10:30h (horário de Brasília) e agora passa a abrir as 11:30h, ou seja, temos um espaço grande na parte da manhã que estamos “órfãos”, sem nenhum balizador mais importante para olhar. O resultado disso tem sido um volume pífio, principalmente na parte da manhã. O volume total da semana só não foi pior porque tivemos o vencimento de opções na segunda feira.

análise gráfica Bovespa

O Índice Bovespa testou novamente a resistência em 56.750 pontos nesta semana, ainda precisando do rompimento para causar um novo pivot de alta e, com isso, a tão esperada compra em busca dos 59.500 pontos. O gráfico semanal também continua batendo na trave, ao tocar o topo anterior e também a média móvel exponencial de 200 dias, mas ainda sem conseguir romper tudo o que tem direito e chamar as comprinhas mais pesadas.

Com as realizações desses últimos dias, o mercado voltou a se aproximar da mme200, perto dos 53.600 pontos e seria importante para os comprados que ela não fosse rompida para baixo, embora isso também não seja o fim do mundo, já que o fundo anterior ainda está distante. Para aqueles mais arrojados, qualquer sinalzinho de fundo confirmado pode virar um bom ponto de compra.

No Índice Dow Jones, a mesma chatice das últimas semanas continua valendo, com uma grande congestão entre os 14.700 pontos e 15.710 pontos, ficando totalmente perdido no meio do caminho e dependendo do rompimento de um dos lados para finalmente ganhar um novo viés.

Dos papéis citados na semana passada, muitos sequer romperam seus pontos de entrada e o principal que ainda merece destaque é a BRML3, que ainda tem boa configuração e a confirmação do sinal de fundo pode gerar uma nova compra.

Como novidades, temos papéis de várias configurações como pivots de alta no diário ou semanal, além de possíveis sinais de fundo. Ativos como LIGT3 e LREN3 ainda tem sinais de melhora no gráfico diário, como pivots, além de outros deixando sinais de fundo como BRML3 e VALE5. Além delas, para quem curte uma ação com liquidez mais reduzida pode olhar a DAYC4.

A LIGT3 mostra um padrão que me agrada bastante e do qual eu sempre falo nos programas “De Olho nos Gráficos” na TV. Essa formação consiste na formação de um “barrão” (um candle com corpo real muito maior do que os outros) e depois disso uma lateralização, deixando vários candles basicamente andando de lado e sem romper as extremidades do “barrão” inicial. Depois de alguns candles, a parte superior é rompida, o que aconteceria nos R$ 19,74 e isso seria a nossa deixa para comprar o papel. Justamente por conta dessa formação, o ativo consta hoje em nosso relatório de recomendações, onde teria um stop curtinho em R$ 19,00 e a possibilidade de uma movimentação bem rápida em caso de rompimento.

Para quem gosta de um ativo que mostre melhora nos tempos mais longos e também um momento específico de entrada no curtinho prazo, a VALE5 merece atenção. Seu gráfico semanal continua tentando romper uma grande figura de OCOI e acima dos R$ 33,00 se mostraria uma bela compra para o médio prazo, projetando o ativo nos R$ 37,00 e depois nos R$ 41,00. Mas para quem opera curtinho, a confirmação do sinal de fundo acima dos R$ 32,33 já geraria uma compra mais curtinha em busca do topo anterior em R$ 33,00, tendo como principal atrativo o stop bem curto em R$ 31,90

Outro exemplo de papel bem configurado no diário e que também está ficando interessante no semanal é a LREN3. Acima dos R$ 70,30 geraria um novo pivot de alta, chamando uma nova compra e já contando com um belo apoio do seu On Balance Volume que também melhorou muito. Suas bandas de bollinger estão bem estreitas, precisando apenas ameaçar uma nova abertura para tirar o papel da mesmice e iniciar um período de movimentações bem fortes por causa do aumento na volatilidade. Em caso de rompimento, o stop seria bem curtinho, em R$ 67,39.

Quando um papel com tendência de alta mostra três quedas seguidas e deixa um sinal de fundo ao testar o suporte na mme200 naturalmente chama atenção para uma possível compra curtinha com stop pequeno. A BRML3 tem exatamente essa situação e acima dos R$ 22,24 voltaria a animar as compras de curto prazo, pelo menos em busca do topinho anterior em R$ 22,97, mas lembrando que seu gráfico semanal recém rompeu um OCOI, lembrando então que tem uma tendência de alta no médio prazo. Em caso de compras, o stop ficaria em R$ 21,71 e isso é percentualmente curto.

Alguns bancos de pequeno porte tem mostrado bom desempenho recente, como o ABCB4 que foi, inclusive, recomendado há uns dias. O DAYC4 também parece estar seguindo pelo menos caminho, mostrando uma bela briga com sua mme200 e precisando romper os R$ 9,30 para sacramentar uma compra, fazendo o Adx voltar a subir e mirando os distantes R$ 10,60. O stop fica no fundo anterior em R$ 8,64, além do OBV ainda mostrar fundos ascendentes e ajudar a tendência de alta com isso.

Com todas essas possíveis compras detalhes, o ideal para que elas entrem seria ao menos um sinal de fundo no Ibovespa, evitando logo a possibilidade de se perder o viés positivo. Para compras realmente mais pesadas de curto e médio prazos, somente depois dos 56.750 pontos, que é justamente o topo anterior.

Ótimo final de semana a todos e até a próxima sexta-feira!!

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.
Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, RDNI3 e BEMA3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483:
O Bradesco tem participação direta acima de 5% na empresa Cielo S.A.. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de Sascar Participações S.A. e Unidas S.A., de units da Via Varejo S.A., de debêntures da Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de ações de GAEC Educação S.A., Ser Educacional S.A. e Tupy S.A., e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, Bradespar, Brasil Telecom, CART, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, Autoban, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também