Finge que vai, mas não vai 2 – Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:59:16+00:0024 de novembro de 2013|

 O Índice Bovespa mostrou mais uma semana de indefinição, com uma sequência chata de pregões que acabam não nos levando a lugar algum.

O gráfico diário continua totalmente confuso e sem um viés claro, com suportão em 51.290 pontos e resistência inicial em 54.300 pontos, precisando romper um dos lados para ganhar algum viés e sair dessa chatice que se instalou nas últimas semanas.

analise bovespa

Além da falta de viés, o volume financeiro também tem sido fraco, hoje, por exemplo, tivemos R$ 6,3 bilhões, o que é péssimo. O reflexo disso é estar cada vez mais difícil conseguirmos encontrar uma ação de grande liquidez com forte configuração de curto e médio prazos e que ainda se encontre em momento de compra. Mas sobre os papéis, falarei um pouquinho mais abaixo.

Lá fora, o Índice Dow Jones fez a mesma coisa que já havia feito nas últimas quatro semanas e marcou um novo recorde histórico. Pela primeira vez na vida foi acima dos 16.000 pontos e segue mirando o objetivo já dito aqui há muito tempo em 16.300 pontos. O primeiro suporte fica em 15.865 pontos e seu rompimento poderia iniciar alguma realização, mas sem comprometer muita coisa.

Poucos papéis chamam atenção para compras, e os que o fazem, acabam sendo em operações mais arrojadas. A BISA3 apanhou o ano inteiro, mas pode estar ensaiando sua ressurreição com uma figura de reversão. A RENT3 também começa a acordar depois do tombo de algumas semanas atrás, enquanto a ESTC3 vai tentando seguir seus pares de setor e também declara mais uma compra. Para finalizar, uma recuperação bem arrojada na BBAS3 pode também se formar depois da surra das últimas três semanas.

A BISA3 conseguiu a façanha de ser uma das piores rentabilidades em um setor que já é um dos piores da bolsa recentemente, que é a construção civil. Depois de acumular queda aproximada de 70% no ano, o papel tocou duas vezes o suporte em R$ 1,07 e a confirmação do sinal de fundo de hoje já abriu os olhos dos mais arrojados. O papel agora depende do rompimento dos R$ 1,20 para uma bela figura de reversão de fundo duplo, que lhe devolveria uma tendência de alta depois de meses, chamando uma comprinha em busca dos R$ 1,40 e com stop pouco abaixo da mínima histórica em R$ 1,07.

A RENT3 marcou sua máxima histórica há uns dias atrás, mas logo depois disso entrou numa espiral de quedas que a levou até beliscar sua mme200 como suporte. Depois de recuperar de leve, já tem pequenos fundos ascendentes e agora precisa romper o topo anterior em R$ 34,28 para um novo pivot de alta, o que acordaria os comprados e também seu Adx, que já voltaria a apontar para cima, ajudando os comprados. Um novo suporte vai se formando em R$ 32,98 e por enquanto seria uma possibilidade de stop para os comprados.

O setor de educação segue em ebulição, onde nas últimas semanas tivemos a KROT3 e a AEDU3 em configurações muito parecidas rompendo suas máximas históricas e gerando belas pancadas para cima. Agora a ESTC3 também rompeu o antigo topo em R$ 18,79 e marcou um novo recorde, também com espaço para cima para cima, inicialmente em busca dos R$ 20,40 como objetivo no médio prazo. Os indicadores também ajudam, como o OBV e o Adx. O stop distante em R$ 16,96 torna a operação mais longa, onde o único detalhe que me deixa desconfortável é o fato de comprar o papel depois de uma puxada tão forte.

O setor de bancos de grande porte performou muito bem nos últimos meses, mas sem dúvidas a BBAS3 foi a queridinha e andou fortíssimo de julho a outubro. Depois disso, simplesmente despencou neste mês de novembro e já acumula quase 17% de queda neste mês, o que já nos faz pensar em novos pontos de compra. Este última queda de hoje deixou o papel quase colado na mme200 como suporte e ainda deixou um sinal de fundo, que precisa agora de confirmação a ser dada acima dos R$ 25,09, em busca do fechamento de gap em R$ 25,43 e depois em R$ 27,00. A compra é bem arrojada já que o papel não tem mais fundos ascendentes, mas as quedas recentes e o sinal de fundo justificam a operação junto com um stop bem curto.

A situação para os mais conservadores ainda é complicada, já que o mercado está bem difícil. A sugestão permanece sendo a mesma, para agir com cuidado, lotes pequenos e nada de alavancagem. O mercado ainda não está nada fácil.

Um ótimo final de semana para todos!!

 

 

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.
Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, RDNI3 e BEMA3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483:
O Bradesco tem participação direta acima de 5% na empresa Cielo S.A.. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de Sascar Participações S.A. e Unidas S.A., de units da Via Varejo S.A., de debêntures da Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de ações de GAEC Educação S.A., Ser Educacional S.A. e Tupy S.A., de debêntures da Concessionária do Sistema Anhanguera – Bandeirantes S.A. – AUTOBAN e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, Bradespar, Brasil Telecom, CART, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também