Lá Vem o FED nos Trazendo Fortes Emoções – Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:59:09+00:0020 de setembro de 2013|

 Se em algumas semanas ficamos nos perguntando qual terá sido o ponto mais importante dela, desta vez não temos qualquer dúvida.

A semana basicamente aconteceu em função do pronunciamento do FED na quarta-feira às 15 horas, que imediatamente resultou em uma alta de quase mil pontos em apenas um minuto em nosso índice.

análise técnica ibovespa

As realizações dos últimos dois pregões da semana assustaram algumas pessoas, mas ainda não afetaram em nada a tendência de alta, já que o suporte importante é o fundo anterior em 52.900 pontos e alguma complicação maior somente viria em caso de perda deste número.

O objetivo de alta continua nos 57.100 pontos e não teve qualquer alteração até o momento. O Índice Dow Jones marcou um novo recorde histórico e continua firme em sua tendência de alta, principalmente para o longo prazo. Em caso de um fechamento acima dos 15.709 pontos voltaria a olhar os 16.500 pontos, que é o objetivo seguinte de alta, obviamente estou falando em um prazo bem elevado. Realizações ainda podem acontecer, mas longe de comprometer a tendência de alta, que apenas acabaria depois do suporte forte em 14.760 pontos.

Em resumo, apesar das fortes oscilações principalmente na quarta-feira, nenhuma grande modificação aconteceu nas tendências de alta, aqui e lá fora.

Sobre os papéis citados na semana passada, a RSID3 mostrou duas fortíssimas altas seguidas, começando na terça-feira, além da LREN3 que foi um dos destaques do setor de consumo. A ITSA4 ainda é uma bela opção entre os bancos e a arrojadíssima operação vendida em MMXM3 deu certo em menos de dois pregões e colocamos o lucro no bolso rapidamente.

Depois das realizações, temos basicamente duas maneiras de procurar operações de compras, que são através de novos pivots de alta ou então através dos primeiros sinais de fundo confirmados, que em geral não apareceram até o momento. Como novidades, a HYPE3 aparece destacada para os que gostam de operações mais longas de compra, enquanto que a PMAM3 é mais uma vez destaque para os que gostam mais de risco. Operações ainda em MILS3 (compra) ou CPLE6 e MPXE3 também podem aparecer, com um risco um pouquinho maior.

Para quem gira menos a carteira e busca operações dadas pelo gráfico semanal, a HYPE3 deve ser o foco de atenção. Depois de zilhões de testes desde janeiro deste ano, o rompimento dos R$ 18,10 serviu para terminar com a chata congestão e chamar uma compra mais pesada que mira nos R$ 19,20 e principalmente os R$ 21,60, mas obviamente demorará um pouco para atingir o objetivo. O indicador Adx no semanal também começou a apontar para cima, o que ajuda, mas seria muito bom ver pelo menos mais uma semana de alta para empolgar de vez o indicador. O suporte fica só nos R$ 15,63 e enquanto acima dessa região, qualquer realização ainda não assustará.

Nossa querida PMAM3 já é uma velha conhecida, pois apareceu em nosso relatório de recomendações algumas vezes nas últimas semanas e adivinhem só? Montou mais um pivot de alta hoje. Acima dos R$ 5,19 o papel chamou uma nova compra até os R$ 5,50 e R$ 5,80 mas atenção: Se você tem problemas cardíacos, certamente esse papel não foi feito para você. O ativo tem um perfil muito arrojado e deve ser evitado pelos operadores mais conservadores, já que é comum vermos variações percentuais enormes em alguns pregões. O primeiro suporte está em R$ 4,95 e é onde ficaria nosso stop. O OBV também melhora, já que apesar do volume ser fraco, as altas tem sido acompanhadas de volumes acima da média.

A MILS3 continua tentando melhorar um pouco e basta conseguir o rompimento dos R$ 31,30 para finalmente se animar, com uma nova puxada para cima. A operação ainda tem uma grande chance de sequer atingir o ponto de entrada, portanto não gosto de qualquer antecipação nesta compra, já que o pivot é fundamental para a formação da tendência de alta.

Como na semana passada falei de uma única operação de venda e ela performou muito bem, vou me empolgar um pouco e falar de duas hoje. A CPLE6 constava em nosso relatório de recomendações na quinta-feira a noite e a perda dos R$ 30,09 serviu para dar novamente uma tendência de baixa ao papel, mas apenas em um tiro curtinho para baixo até os R$ 28,00. Os indicadores também estão comportadinhos ao apontar o viés negativo do ativo, como o Adx ganhando força e suas bandas de bollinger se abrindo. A operação short não deverá durar muitos dias.

Muitas vezes deixo de entrar em uma operação simplesmente porque canso de ficar acompanhando um ativo andando na beirada do ponto de entrada e depois que eu canso e paro de prestar atenção, o danado vai lá e rompe. A MPXE3 por enquanto está se enquadrando nisso, pois desde quinta-feira da semana passada que ela está rondando o suporte em R$ 5,65 e precisa apenas do seu rompimento para baixo para iniciar uma venda descoberta, mas depois de um montão de testes, nada de romper ainda. Mas dessa vez o cansaço não vai me vencer e continuo olhando para ela, basta perder este suporte para sair uma vendinha bem arrumada em busca dos R$ 4,90, também com alguma ajuda dos indicadores de tendência. Devido à tentativa de melhora do papel nas últimas semanas, é extremamente arriscado se antecipar ao ponto de entrada.

Vários outros papéis ainda chamam atenção pelas belas configurações positivas, mas sem estarem exatamente nos pontos de compra, como CYRE3, PETR4 e CCRO3, que ainda merecem grande atenção mesmo para os que ficaram de fora. A atenção continua firme neles e, como falei antes, qualquer sinalzinho de fundo confirmado pode virar mais à frente um ponto de compra.

Ótimo final de semana a todos e até a próxima sexta-feira!!

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.
Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste vídeo, limitadas às companhias objeto de sua análise, nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, BVMF3, MILS3, KLBN4, MYPK3, DIRR3, RDNI3, BRFS3 e CCRO3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483, referentes às empresas cobertas pelos analistas de investimento da Ágora e Bradesco Corretora:
O Bradesco tem participação direta acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Odontoprev S.A. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de Sascar Participações S.A. e Unidas S.A., de debêntures da Companhia de Gás de São Paulo – COMGÁS e Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de debêntures da Companhia de Gás de São Paulo – COMGÁS, Concessionária do Sistema Anhanguera – Bandeirantes S.A. – AUTOBAN e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Azul Linhas Aéreas, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, Bradespar, Brasil Telecom, CART, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Rede Do´r São Luiz, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, CPFL Energias Renováveis, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII Vila Olimpia Corporate, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Taesa, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.

Veja também