Continuidade na melhora de curto prazo | Análise Semanal

Por |2018-06-08T07:59:04+00:0016 de agosto de 2013|

O Índice Bovespa teve uma semana de continuidade nas altas e agora tem a próxima resistência importante na Média Móvel Exponencial de 200 pregões (mme200) em 53.700 pontos. No campo inferior tem o próximo suporte em sua mme50 em 49.480 pontos e em caso de rompimento terá caminho para mais quedas com o fundo anterior em 47.160 pontos.

Gráfico Ibovespa

No gráfico semanal, segue em busca do primeiro objetivo de repique em 52.200 pontos. Para ter revertida a tendência de baixa deve acontecer em algum momento uma queda que gere um fundo acima do suporte em 44.100 pontos e um posterior retorno para cima rompendo o topo anterior que for formado após a referida queda. No campo inferior a perda desses 44.100 pontos configuraria um novo pivot de baixa e reforçaria a tendência de baixa de médio/longo prazo.

O Índice Dow Jones apresentou a segunda semana de realização, mas ainda nada que comprometa a tendência de alta de médio/longo prazo. A tendência de alta somente seria anulada em caso de fechamento abaixo do suporte em 14.550 pontos com o fundo seguinte em 14.444 pontos. No campo superior ainda depende do rompimento da máxima histórica em 15.658 pontos para ter configurado um novo pivot de alta.

Na semana anterior falamos de uma possível compra em GRND3 caso conseguisse vencer a batalha contra a resistência em R$ 21,86, mas parece ter adormecido. Já a BRKM5, que já está em nosso relatório desde a semana passada, teve reforçada a tendência de alta no pregão de hoje após o rompimento da resistência em R$ 18,13. A RENT3 perdeu o suporte em R$ 31,51 e anulou a tendência terciária de alta.

Quanto aos destaques para a próxima semana ainda temos a BRKM5 conforme o comentário no parágrafo anterior. A CIEL3 se encontra levemente congestionada no curto prazo e em alguns pregões da semana chegou a negociar próximo da máxima histórica em R$ 57,00. O gráfico da ARTR3 segue em tendência de alta e pode ter configurado um novo pivot de alta em caso de rompimento do topo anterior em R$ 23,03. Quem também teve formado um novo pivot de alta foi a SUZB5, que rompeu a resistência em R$ 8,70 e abriu espaço, inicialmente, em busca da mme200 do gráfico semanal em R$ 9,04.

O gráfico da BRKM5 teve reforçada a tendência de alta em todos os tempos gráficos após um fechamento acima do topo anterior em R$ 18,13. O primeiro objetivo de alta fica na próxima resistência em R$ 18,69 e o stop em R$ 16,32 é a primeira sugestão já que o seu rompimento anularia a tendência de alta de curto prazo com o fundo seguinte em R$ 15,42.

A configuração da CIEL3 não teve praticamente nenhuma mudança nesta semana e, justamente por isso, teve aliviados alguns indicadores e as suas bandas de bollinger ficaram mais estreitas e sugerem movimentações mais fortes em caso de rompimento da máxima histórica em R$ 57,00. No campo inferior a sugestão mais curta de stop fica em R$ 54,38, abaixo do suporte em R$ 54,39.

Já a ARTR3 pode gerar uma nova sinalização de compra em caso de rompimento do topo anterior em R$ 23,03, pois terá reforçada a tendência de alta com o primeiro objetivo de alta na resistência em R$ 23,36. No campo inferior a perda do fundo anterior em R$ 21,94 abriria caminho para mais quedas, então podemos atribuir em stop por volta dos R$ 21,93.

A SUZB5 teve formado um novo pivot de alta ao fechar a semana acima da resistência em R$ 8,70. O espaço agora vai até a mme200, do próprio gráfico semanal, em R$ 9,04. O único problema é que o stop ficaria muito longo, pois estaria abaixo do suporte em R$ 7,61. Então, esse parágrafo é apenas um comentário para aqueles que já estão posicionados no papel.

O volume financeiro manteve a força mostrada na semana anterior e serviu conforme manda a teoria de que o volume confirma a tendência. Um outro fator a ser observado é que os papéis mais líquidos, como a PETR4 e a VALE5 tiveram uma semana de boa performance.

Um ótimo final de semana a todos e até a semana que vem!!!

 

 

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Ágora Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (“Ágora”), que é uma sociedade controlada pelo Banco Bradesco BBI S.A. (“BBI”), mesmo controlador da Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários (“Bradesco Corretora”). O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Ágora.
Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Ágora ou da Bradesco Corretora garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste vídeo, limitadas às companhias objeto de sua análise, nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste vídeo refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Ágora, à Bradesco Corretora, ao BBI e demais empresas do Grupo Bradesco.
A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Ágora, Bradesco Corretora e BBI.
O analista de investimentos Daniel Marques declara que possui vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do vídeo de análise: PETROBRÁS.
O analista de investimento João Marcello Schoenberger declara que ele e/ou seu cônjuge ou companheira são, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, titulares de valores mobiliários objeto dos relatórios de análise: BBDC4, BVMF3, MILS3, KLBN4, MYPK3, DIRR3, RDNI3, BRFS3 e CCRO3.
Declarações nos termos do art. 18 da Instrução CVM 483, referentes às empresas cobertas pelos analistas de investimento da Ágora e Bradesco Corretora:
O Bradesco tem participação direta acima de 5% nas empresas Cielo S.A. e Odontoprev S.A. A Bradseg Participações Ltda., empresa do Grupo Bradesco, tem participação indireta acima de 5% no Fleury S.A. A BRADESPAR S.A., cujo grupo controlador é composto pelos mesmos acionistas que controlam o Bradesco, tem participação indireta acima de 5% na VALE S.A..
Ágora, Bradesco Corretora, Bradesco BBI e demais empresas do grupo Bradesco têm interesses financeiros e comerciais relevantes em relação ao emissor ou aos valores mobiliários objeto de análise.
O Bradesco BBI está participando como coordenador na oferta de distribuição pública de ações de CPFL Energias Renováveis S.A. e Unidas S.A., de debêntures da Raízen Energia S.A.. A Ágora e a Bradesco Corretora estão participando como instituições intermediárias na oferta de distribuição pública de ações CPFL Energias Renováveis S.A. e cotas de SP Downtown Fundo de Investimento Imobiliário FII.
Nos últimos 12 meses, o Bradesco BBI participou como coordenador nas ofertas públicas de distribuição de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Azul Linhas Aéreas, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BNDESPAR, BR Malls, BR Pharma, Bradespar, Brasil Telecom, BTG Pactual Pharma, CART, CCR Viaoeste, CEDAE, Chemical VII (FIDC), Colinas, Comgás, CPFL Energias Renováveis, Daycoval, EcoRodovias, Ecovias, Editora Abril, Eletropaulo, Embratel, Equatorial, Estácio, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, Fleury, Gafisa, Galvão Participações, Gávea Crédito Estruturado (FIDC), Iguatemi, JBS, Marfrig, MMX Mineração, MPX, Multiplan, OAS, OI, Petropar, Queiroz Galvão, Rede Do´r São Luiz, Restoque (Le Lis Blanc), Rodobens, Sabesp, Smiles, Suzano Papel e Celulose, Vale e Vix Logística. Também atuou como assessor financeiro de Alpargatas na operação com a Osklen.
Nos últimos 12 meses, a Ágora e/ou a Bradesco Corretora participaram, como instituições intermediárias, das ofertas públicas de títulos e valores mobiliários das companhias: Abril Educação, Aliansce, Alupar, BNDESPAR, Banco BTG Pactual, BB Progressivo II – FII, BB Seguridade, Biosev, BHG, BR Pharma, Equatorial, Estácio, Fator IFIX – FII, FII BTG Pactual Corporate Office Fund, FII – General Shopping Ativo e Renda, Fator Verità FII, Fibria, FII Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos, FII TB Office, FII Vila Olimpia Corporate, FII TRX, Iguatemi, Iochpe Maxion, Linx, Marfrig, Minerva, Multiplan, Rio Bravo Crédito Imobiliário II – FII, Rodovias do Tietê, Santander Agências FII, Senior Solution, SDI Logística Rio – FII, Smiles, Suzano Papel e Celulose, Taesa, Triângulo do Sol e XP Corporate Macaé – FII.
A Bradesco Corretora recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de ações da Alpargatas (ALPA4) e Odontoprev (ODPV3). O Bradesco recebe remuneração por serviços prestados como formador de mercado de debêntures da USIMINAS e BNDESPAR, e cotas do Fundo Imobiliário BB Progressivo II.

Veja também