Gráficos com Análise Técnica Grátis!  Agora o Bússola do Investidor tem gráficos Interativos com Cotações em Tempo Real.   Acesse já!

   Adicionar aos favoritos      RSS                           Novo por aqui? Cadastre-se ou faça seu login. 
 
Cadastre-se | Faça seu login | Planos
ARTIGOS

Momento do Imposto de Renda


Por Gustavo Cerbasi em sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 - 19:49
Envie por email  Imprima  RSS Feed RSS

Com os primeiros dias do ano vêm novos planos, metas renovadas para os próximos meses e um fôlego a mais para colocar ordem na vida. Vêm também as promoções do comércio e as contas das férias, mas isso é assunto para outra coluna.

O que pouca gente lembra nesse momento é que com o começo do ano temos também a oportunidade de acertarmos de vez nossa declaração de Imposto de Renda, com possibilidade de pagarmos menos ou de restituirmos mais impostos daqui para a frente.

Não estou me referindo à declaração 2011-2012, que entrará em pauta na mídia e na agenda da maioria dos brasileiros a partir de primeiro de março. Essa já era!

Se há algum ganho fiscal a ser obtido com despesas dedutíveis, doações ou com planos de previdência, será fruto do que você fez no ano passado e de sua capacidade de informar isso corretamente na próxima declaração.

Por outro lado, muitos ignoram a possibilidade de construir inteligentemente um plano de previdência efetivamente bem planejado, com contribuições mensais pequenas e regulares, calculadas de forma a obter o máximo de dedução do Imposto de Renda, que se converterá em restituição em 2013.

Um número maior de pessoas ignora a possibilidade de converter até 6% de sua renda em contribuições para a filantropia e abater todo esse valor do imposto a pagar.

Por falta de organização pessoal, muitos comprovantes de despesas com educação, médicos, laboratórios e similares, que podem ser deduzidas da renda a ser tributada, serão esquecidos em fundos de gavetas, premiando o Tesouro Nacional e fazendo falta no bolso das famílias.

Adotar uma rotina mais organizada a partir deste início de ano só surtirá efeito em 2013. Mas, uma vez adquirido o hábito, o resultado tende a ser permanente e crescente.

Para começar, reservar uma pasta ou gaveta específica para o Imposto de Renda costuma ser suficiente. As regras que explicam quais comprovantes guardar e quais tipos de pagamentos ou doações podem ser aproveitados na declaração estão detalhadas no site da Receita Federal, em www.receita.fazenda.gov.br. Não se limite à pesquisa das regras, procure também por cartilhas específicas na internet.

Um segundo passo importante é assumir as rédeas de sua declaração, passando a fazer pessoalmente o preenchimento dela. É uma conveniência e tanto contratar especialistas para fazer isso por você, mas, ao fazer isso, você delega uma atividade importante a alguém que não conhece detalhes de sua rotina e de suas finanças.

Por outro lado, quanto mais você vasculha as diversas fichas da declaração e busca detalhes sobre campos que podem ser preenchidos, mais oportunidades encontra de restituição ou desconto no tributo.

Não é difícil passar a fazer pessoalmente o preenchimento. Se você está acostumado a contratar profissionais, deve fazer isso novamente neste ano e usar a declaração feita por eles como uma espécie de gabarito para conferir a que você fará sozinho, a título de exercício.

Provavelmente haverá alguns erros no seu preenchimento, mas o aprendizado com base na referência correta tende a ser intuitivo e rápido. Quando decidir fazer sua primeira declaração sozinho, contrate mais uma vez um profissional para conferir o que você fez.

Pela minha experiência, duas declarações consecutivas já proporcionam aprendizado suficiente. Quando o software da Receita Federal estiver disponível, no início de março, baixe-o e faça a lição de casa. Você se sentirá mas seguro ao ter o controle da situação. Se tiver alguma situação irregular ou falha no preenchimento, terá maior consistência ao prestar esclarecimentos ou efetuar correções. Não faltarão orientações na imprensa para ajudá-lo nessa missão.

Em suma, uma rotina de organização pessoal lhe renderá bons resultados, tanto por dispensar a contratação de quem faz serviços que você deveria fazer quanto por capacitá-lo a identificar mais oportunidades de dedução e restituição. Vale o tempo dedicado.


Este relatório ou artigo não representa necessariamente a opinião do site, tem como único propósito fornecer informações e no constitui ou deve ser interpretado como uma oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. O Bússola do Investidor nem o autor do artigo no declaram ou garantem, de forma expressa ou implícita, a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações. Este artigo se baseia em informações públicas sobre cujas veracidade e qualidade não temos responsabilidade.
 
Perfil
Gustavo Cerbasi é Mestre em Administração / Finanças pela FEA/USP, com especialização em Finanças pela Stern School of Business - New York University e pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com experiência prática e acadêmica em finanças dos negócios, planejamento familiar e economia doméstica, desenvolve treinamentos, palestras e consultorias para diversos públicos por todo o Brasil. É autor de diversos livros best sellers e criador do site Mais Dinheiro. Seu perfil no Twitter: @gcerbasi

Mais Lidas
Enquete
 
  
Mercados  |  Empresas  |  Corretoras  |  Calculadora de IR  |  Fórum  |  Central de Ajuda  |  Contato
Siga-nos:     


Copyright © 2007-2014 Bússola do Investidor.
Ao utilizar o site, você concorda com os Termos de Uso.
Cotações Bovespa com 15 minutos de atraso. Clique aqui para ver cotações em tempo real em todo o site.
Todas as opiniões aqui exibidas são de responsabilidade de seus próprios autores e poderão ser retiradas a qualquer momento sem aviso prévio.
Apesar de todo o cuidado na coleta dos dados apresentados, não nos responsabilizamos pela exatidão das informações contidas neste site.
 
IP-0A9AC736 10.154.199.54- 02/09/2014 23:09:47