Gráficos com Análise Técnica Grátis!  Agora o Bússola do Investidor tem gráficos Interativos com Cotações em Tempo Real.   Acesse já!

   Adicionar aos favoritos      RSS                           Novo por aqui? Cadastre-se ou faça seu login. 
 
Cadastre-se | Faça seu login | Planos
ARTIGOS

Redução dos juros refletirá sobre taxas bancárias


Por Último Instante em segunda-feira, 16 de abril de 2012 - 11:16
Envie por email  Imprima  RSS Feed RSS

16 de abril de 2012 – A redução dos juros bancários, estratégia dos bancos públicos para aumentar a base de clientes, deve gerar uma concorrência “sem volta”, e os bancos privados terão de fazer alguma coisa para reduzir custos e segurar seus correntistas. A afirmação é do economista Mário Rodrigues, diretor do Instituto Brasileiro de Vendas (IBVendas) e consultor da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Em entrevista à Agência Brasil, Rodrigues disse que a redução de taxas lideradas pelo Banco do Brasil e pela Caixa Econômica Federal dá novo desenho a um mercado cada vez mais competitivo, no qual os consumidores pressionam por melhores oportunidades de investimento. “Isso incentiva a concorrência e, com certeza, haverá mais competição, com cada banco oferecendo vantagens.”

Para ele, uma das vantagens adicionais, em decorrência da própria competitividade do sistema financeiro nacional, pode vir a ser, mais à frente, a redução ou até mesmo isenção das atuais taxas cobradas pelos serviços bancários. [As taxas] “têm um peso ainda não percebido pelo consumidor em geral, mas, quando se incentiva de fato a concorrência, custos menores dos serviços passam a fazer a diferença.”

Rodrigues acredita que o novo cenário concorrencial exigirá que as instituições financeiras, em vez de onerar os usuários, apresentem vantagens e criem programas de capacitação de pessoal para conquistar e fidelizar clientes através de produtos rentáveis. Os bancos terão ainda que criar planos de benefícios exclusivos para atrair clientes, caso contrário, começarão a perder espaço no mercado, disse ele.

De acordo com o economista, os investimentos recentes em automatização dos serviços afastaram clientes das agências, tornando o relacionamento bancário impessoal e mecânico. Isso gerou, porém, insatisfação para um tipo de cliente que reclama, inclusive, do fato de sequer conhecer o gerente de sua conta. Para Rodrigues, seria interessante “chamar” essa pessoa para dentro da agência, dando-lhe atenção especial, o que ajudaria a fidelizar o cliente.

(Agência Brasil)


Este relatório ou artigo não representa necessariamente a opinião do site, tem como único propósito fornecer informações e no constitui ou deve ser interpretado como uma oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. O Bússola do Investidor nem o autor do artigo no declaram ou garantem, de forma expressa ou implícita, a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações. Este artigo se baseia em informações públicas sobre cujas veracidade e qualidade não temos responsabilidade.
 
Fornecido por


Mais Lidas
Enquete
 
  
Mercados  |  Empresas  |  Corretoras  |  Calculadora de IR  |  Fórum  |  Central de Ajuda  |  Contato
Siga-nos:     


Copyright © 2007-2014 Bússola do Investidor.
Ao utilizar o site, você concorda com os Termos de Uso.
Cotações Bovespa com 15 minutos de atraso. Clique aqui para ver cotações em tempo real em todo o site.
Todas as opiniões aqui exibidas são de responsabilidade de seus próprios autores e poderão ser retiradas a qualquer momento sem aviso prévio.
Apesar de todo o cuidado na coleta dos dados apresentados, não nos responsabilizamos pela exatidão das informações contidas neste site.
 
IP-0A9AC736 10.154.199.54- 19/12/2014 06:38:16