Gráficos com Análise Técnica Grátis!  Agora o Bússola do Investidor tem gráficos Interativos com Cotações em Tempo Real.   Acesse já!

   Adicionar aos favoritos      RSS                           Novo por aqui? Cadastre-se ou faça seu login. 
 
Cadastre-se | Faça seu login | Planos
ARTIGOS

Ibovespa termina segunda semana de junho em alta


Por Último Instante em sexta-feira, 15 de junho de 2012 - 18:22
Envie por email  Imprima  RSS Feed RSS

15 de junho de 2012 - Após uma sessão de volatilidade e contrariando as expectativas de mercado, que traçavam um pregão de perdas para o índice, a Bolsa de Valores de São Paulo ganhou força e encerrou as negociações desta sexta-feira em alta de 1,36% aos 56.104 pontos e valorização de 3,07% na 2ª semana de junho. O giro financeiro foi de R$ 9,67 bilhões.

A trajetória positiva do índice foi sustada pelas crescentes especulações de uma ação conjunta dos bancos centrais ao redor do globo para conter o avanço da crise, caso o resultado das eleições na Grécia, que devem ocorrer neste domingo (17), indiquem uma saída turbulenta do país da zona do euro, explicou o estrategista-chefe da corretora SLW, Pedro Galdi.

Hoje era um dia para as bolsas ficarem voláteis, porque as taxas de juros dos leilões da Espanha e da Itália subiram quase 7% e os dados econômicos dos Estados Unidos vieram ruins, mas o mercado está confiante de que os ministros das finanças, durante a reunião do G20 que começa nesta segunda [18] devem anunciar uma ação coordenada caso a crise piore, afirma.

Além disso, Galdi apontou também a expectativa do mercado de que, em função da piora nos indicadores econômicos divulgados pelos Estados Unidos nos últimos dias, o Federal Reserve anuncie um novo pacote de estímulos.

Dentre os destaques positivos, o analista destacou o desempenho das ações da Gol, que lideraram os ganhos do índice. Por outro lado, as ações da Usiminas pesaram, puxando as maiores baixas da BM&FBovespa.

Na agenda norte-americana, a confiança do consumidor caiu entre maio e junho. A leitura do índice, medido pela Universidade de Michigan, recuou para 74,1 este mês, inferior à leitura de 79,3 pontos do mês anterior.

O resultado é pior do que o esperado pelo mercado, de 77,5 pontos (previsão Forex Factory).

A produção industrial caiu 0,1% em maio ante abril. O indicador medido pelo Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) marcou alta de 1% no mês passado (dado revisado).

O número ficou abaixo do esperado pelo mercado, de alta de 0,1% (previsão Forex Factory).

A taxa de utilização da capacidade instalada caiu para 79% no período, uma taxa de 0,2 pontos percentuais abaixo da taxa do período anterior.

O Departamento do Tesouro divulgou hoje o fluxo de capitais do país norte-americano para abril.

As participações de longo prazo de valores mobiliários dos EUA em abril, dos residentes estrangeiros, aumentaram em compras líquidas de US$ 26,1 bilhões.

As compras líquidas por investidores privados estrangeiros foram de US$ 15,4 bilhões, e as compras líquidas por estrangeiros de instituições oficiais foram de US$ 10,7 bilhões.

O índice de atividade manufatureira na região de Nova York aumentou em junho, segundo apontou o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) da região.

O índice de condições gerais de negócios, recuou 15 pontos, mas manteve-se positivo em 2,3.

No Velho Continente, O número de pessoas empregadas no primeiro trimestre na zona do euro recuou 0,2% e, na União Europeia, manteve-se estável, comparado ao trimestre diretamente anterior, de acordo com o escritório estatístico europeu, o Eurostat.

No quarto trimestre do ano passado, o índice caiu 0,3% na zona do euro e 0,1% na União Europeia. No comparativo anual, o número de empregados registrou baixa de 0,5% e 0,1%, respectivamente.

A balança comercial na zona do euro registrou superávit de € 6,2 bilhões em abril, acima do déficit de € 4,5 bilhões registrados no mesmo período de 2011. Em março, a balança registrou superávit de € 7,5 bilhões.  As exportações caíram 1,3% e as importações recuaram 3%, na comparação mensal.

Na União Europeia, a balança comercial registrou déficit de € 12 bilhões em abril, ante défict € 17,2 bilhões reportados em abril de 2011. Em março, houve déficit de € 7,3 bilhões.

A balança comercial da Itália em abril registrou déficit de € 202 milhões, inferior aos € 2,82 bilhões de um ano antes e inferior aos € 2,067 bilhões de março. No período, as importações caíram 9,3% e as exportações recuaram 1,7%.

Com dados ajustados sazonalmente, a Itália obteve déficit de € 36 milhões em abril, após superávit de € 174 milhões em março.

A balança comercial no Reino Unido registrou déficit de 4,4 bilhões de libras esterlinas em abril, superior ao déficit de 3 bilhões de março (dado revisado), segundo informações divulgadas hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês).

As exportações caíram 7,1%, enquanto as importações recuaram 3% em relação a março.

A dívida pública espanhola cresceu 5,39% no primeiro trimestre do ano com relação ao fechamento de 2011 e alcançou € 774,549 bilhões, o que equivale a 72,1% do PIB, o nível mais alto da série histórica.

De acordo com os dados publicados nesta sexta-feira pelo Banco da Espanha, o principal aumento se produziu na dívida da administração central, que cresceu 5,92%, a € 592,572 bilhões, o que representa 55,2% do PIB.

O endividamento das regiões espanholas avançou 3,59%, a 13,5% do PIB, também o nível mais alto da série histórica. Já a dívida pública das Prefeituras subiu 4,06%, a € 36,86 bilhões, ou seja, 3,4% do PIB.

Nesta manhã, o Banco Central Europeu (BCE) assegurou nesta sexta-feira que vai ajudar os bancos com mais liquidez e descartou que exista risco de inflação em algum país da zona do euro, o que facilita uma nova redução das taxas de juros.

O presidente do BCE, Mario Draghi, disse em uma conferência que o Eurossistema vai continuar proporcionando liquidez aos bancos solventes caso seja necessário.

Nos mercados europeus circularam hoje rumores de uma ação coordenada dos principais bancos centrais para injetar liquidez no mercado, segundo o resultado das eleições de domingo na Grécia.

Entre as maiores altas do Ibovespa ficaram Gol PN (+9,49% a R$ 9,69); PDG Realt ON (+7,67% a R$ 3,65); Fibria ON (+6,30% a R$ 13,50); OGX Petróleo ON (+5,72% a R$ 9,98) e MMX Miner ON (+5,59% a R$ 6,99).

Na contramão terminaram Usiminas PNA (-4,24% a R$ 7,45); TAM PN (-3,30% a R$ 44,00); Pão de Açúcar PN (-2,84% a R$ 75,56), V-agro ON (-2,63% a R$ 0,37) e Light ON (2,61% a R$ 23,50).

Dentre as ações com maior peso na carteira teórica (que vigora de 7 de maio a 31 de agosto) a Vale PNA (Vale5) subiu 1,69% a R$ 38,50; a Petrobras (PETR4) teve alta de 1,27% a R$ 18,40; a OGX Petróleo ON avançou 5,30% a R$ 9,94; Itauunibanco PN (ITUB4) valorizou 1,83% a R$ 30,11; e PDG Realt ON subiu 7,37% a R$ 3,64.

(Rosangela Sousa - www.ultimoinstante.com.br)


Este relatório ou artigo não representa necessariamente a opinião do site, tem como único propósito fornecer informações e no constitui ou deve ser interpretado como uma oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. O Bússola do Investidor nem o autor do artigo no declaram ou garantem, de forma expressa ou implícita, a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações. Este artigo se baseia em informações públicas sobre cujas veracidade e qualidade não temos responsabilidade.
 
Fornecido por


Mais Lidas
Enquete
 
  
Mercados  |  Empresas  |  Corretoras  |  Calculadora de IR  |  Fórum  |  Central de Ajuda  |  Contato
Siga-nos:     


Copyright © 2007-2014 Bússola do Investidor.
Ao utilizar o site, você concorda com os Termos de Uso.
Cotações Bovespa com 15 minutos de atraso. Clique aqui para ver cotações em tempo real em todo o site.
Todas as opiniões aqui exibidas são de responsabilidade de seus próprios autores e poderão ser retiradas a qualquer momento sem aviso prévio.
Apesar de todo o cuidado na coleta dos dados apresentados, não nos responsabilizamos pela exatidão das informações contidas neste site.
 
IP-0A9AC736 10.154.199.54- 21/10/2014 01:41:53