Gráficos com Análise Técnica Grátis!  Agora o Bússola do Investidor tem gráficos Interativos com Cotações em Tempo Real.   Acesse já!

   Adicionar aos favoritos      RSS                           Novo por aqui? Cadastre-se ou faça seu login. 
 
Cadastre-se | Faça seu login | Planos
ARTIGOS

Ibovespa repete baixa e fecha 1ª semana de maio com queda de 1,41%


Por Último Instante em sexta-feira, 4 de maio de 2012 - 20:08
Envie por email  Imprima  RSS Feed RSS

4 de maio de 2012 - Acompanhando o pessimismo dos demais mercados, a Bolsa de Valores de São Paulo encerrou o pregão desta sexta-feira em queda de 2,07% aos 60.820 pontos. Ao final dos negócios, o giro financeiro foi de R$ 9,87 bilhões. Na semana, o índice acumulou baixa de 1,41%.

A seguida desvalorização da bolsa brasileira foi pressionada pelo agravamento do pessimismo global, pressionado pela fraca geração de empregos nos Estados Unidos, apontado pelo Payroll divulgado nesta manhã, explicou o analista da corretora Futura Investimentos, Alan Oliveira.

Além deste fator, o analista destacou o desempenho do índice de atividade do setor de manufatura (PMI) da zona do euro, que também frustrou as expectativas, contribuindo para elevar o mau humor dos investidores.

Em cenário nacional, as mudanças na remuneração da poupança, anunciadas pelo Banco Central na noite desta quinta-feira não devem ter impactos no curto prazo no mercado acionário brasileiro na visão de Oliveira. Entretanto, ele acredita que no médio prazo a medida pode ter um efeito benéfico, sobretudo para o mercado de renda fixa.

Para a jornada desta segunda-feira, o analista acredita que o índice Ibovespa pode retornar à trajetória positiva, entretanto dada a conjuntura internacional esta valorização deve ser discreta. Na segunda, o mercado pode dar uma valorizada, mas não deve ser uma recuperação muito forte, encerra.

Na agenda norte-americana, Na agenda local, os setores privado e público geraram 115 mil postos de trabalho em abril, segundo o relatório de folha de pagamento, exceto agricultura (payroll).

O dado veio abaixo da expectativa média do mercado, que aguardava avanço de 173 mil postos. O resultado do mês anterior foi revisado para a geração de 154 mil postos de trabalho.

A taxa de desemprego no país recuou para 8,1% no mês passado, abaixo do esperado pelo mercado, de 8,2%. O número de desempregados no mês passado caiu para 12,5 milhões.

No Velho Continente, o desemprego na Espanha caiu em 6.632 pessoas em abril com relação a março, após oito meses consecutivos de altas, informou nesta sexta-feira o Ministério de Emprego e Seguridade Social.

Com estes dados, que contabiliza as pessoas sem trabalho registradas nas repartições públicas de emprego, o número total de desempregados ficou em 4.744.235.

No entanto, segundo a última Enquete de População Ativa (EPA), publicada na semana passada, o desemprego aumentou na Espanha em 365.900 pessoas no primeiro trimestre deste ano, alcançando 5.639.500, ou seja, 24,44% da população ativa.

As vendas no varejo avançaram 0,3% em março na zona do euro e 0,7% na União Europeia em comparação com fevereiro, de acordo com o escritório estatístico europeu, o Eurostat. Em fevereiro, as vendas caíram 0,2% na zona do euro e 0,5% na União Europeia.

Em relação a março de 2011, verifica-se queda de 0,2% nas vendas na zona do euro e alta de 1% nos 27 países que compõem a União Europeia.

O índice gerente  de compras (PMI, na sigla em inglês) composto, medida ampla do setor privado que combina dados manufatureiros e de serviços, da zona do euro recuou para 46,7 pontos em abril, ante 49,1 pontos em março e abaixo da primeira estimativa, de 47,4 pontos.

A leitura também indica baixa no setor de serviços, que caiu para 46,9 pontos no quarto mês do ano, ante 49,2 pontos em março. O resultado também é inferior à preliminar de 47,9.

Entre as maiores altas do Ibovespa ficaram Gol PN (+5,19% a R$ 10,54); CCR ON (+3,85% a R$ 15,90); LLX Log ON (+3,50% a R$ 3,25); Marfrig ON (+3,23% a R$ 9,90) e Dasa ON (+2,78% a R$ 13,67).

Na contramão terminaram V-Agro ON (-7,69% a R$ 0,36); Gerdau  Met PN (-6,05% a R$ 21,26); Duratex ON (-5,74% a R$ 10,51), Gerdau PN (-5,35% a R$ 16,44) e Usiminas ON (-5,23% a R$ 17,58).

Dentre as ações com maior peso na carteira teórica (que vigora de 2 de janeiro a 30 de abril) a Vale PNA (Vale5) caiu 2,77% a R$ 40,39; a Petrobras (PETR4) teve queda de 4,30% a R$ 20,48; a OGX Petróleo ON recuou 1,60% a R$ 13,53; Itauunibanco PN (ITUB4) desvalorizou 1,64% a R$ 28,72; e Bradesco PN caiu 1,13% a R$ 29,66.

(Rosangela Sousa - www.ultimoinstante.com.br)


Este relatório ou artigo não representa necessariamente a opinião do site, tem como único propósito fornecer informações e no constitui ou deve ser interpretado como uma oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. O Bússola do Investidor nem o autor do artigo no declaram ou garantem, de forma expressa ou implícita, a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações. Este artigo se baseia em informações públicas sobre cujas veracidade e qualidade não temos responsabilidade.
 
Fornecido por


Mais Lidas
Enquete
 
  
Mercados  |  Empresas  |  Corretoras  |  Calculadora de IR  |  Fórum  |  Central de Ajuda  |  Contato
Siga-nos:     


Copyright © 2007-2014 Bússola do Investidor.
Ao utilizar o site, você concorda com os Termos de Uso.
Cotações Bovespa com 15 minutos de atraso. Clique aqui para ver cotações em tempo real em todo o site.
Todas as opiniões aqui exibidas são de responsabilidade de seus próprios autores e poderão ser retiradas a qualquer momento sem aviso prévio.
Apesar de todo o cuidado na coleta dos dados apresentados, não nos responsabilizamos pela exatidão das informações contidas neste site.
 
IP-0A9AC736 10.154.199.54- 23/11/2014 17:41:07