Gráficos com Análise Técnica Grátis!  Agora o Bússola do Investidor tem gráficos Interativos com Cotações em Tempo Real.   Acesse já!

   Adicionar aos favoritos      RSS                           Novo por aqui? Cadastre-se ou faça seu login. 
 
Cadastre-se | Faça seu login | Planos
ARTIGOS

Bovespa encerra no vermelho puxada pela Grécia


Por Último Instante em terça-feira, 15 de maio de 2012 - 18:31
Envie por email  Imprima  RSS Feed RSS

15 de maio de 2012 -  A Bolsa de Valores de São Paulo encerrou com queda o pregão desta terça-feira. A baixa foi de 2,26% aos 56.237 pontos. Ao final dos negócios, o giro financeiro foi de R$ 7,92 bilhões.

Em dia conturbado, o Ibovespa foi pressionado pelas carteiras com maior peso como Petrobars, Vale, OGX. Esse quadro despertou nos analistas de mercado uma cautela maior, principalmente com as últimas notícias vindas da Grécia. 

Permaneciam com alta, ao longo do pregão desta terça-feira, as ações da Marfrig ON, 

As bolsas mundiais estão operando no vermelho, as commodities se desvalorizano e há um clima de incerteza muito grande nos mercados. Eu não gosto disso e acho que tem fluxo demais na venda. É um momento perigoso para as economias e não acredito que seja passageiro, avaliou o operador sênior da corretora Tov, Júlo Mora.

Nos Estados Unidos, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos ficou estável entre março e abril, já com ajustes sazonais, informou agora há pouco o Departamento de Trabalho norte-americano.

O resultado veio abaixo das estimativas de mercado, que aguardava alta de 0,1% (previsão Forex Factory)

No mês anterior, a taxa subiu 0,3%, enquanto nos últimos 12 meses, o CPI registra uma alta de 2,3%.

Por sua vez, o núcleo do CPI - que exclui os itens mais voláteis, como energia e alimentação - aumentou 0,1% no mês passado, mesma variação do mês anterior.

As vendas no varejo nos Estados Unidos subiram 0,1% em abril, para US$ 408 bilhões, na comparação com o mês anterior, segundo informações preliminares do Departamento do Comércio dos Estados Unidos.

Em comparação com abril de 2011, o índice subiu 6,4%.

O dado veio abaixo do esperado pelo mercado, que estimava alta de 0,2%. O dado do mês anterior marcou alta de 0,8%.

Excluindo as vendas com automóveis (uma espécie de núcleo do índice), as vendas subiram 0,1% em mabril, apresentando expansão anual de 5,9%.

O Departamento do Tesouro dos EUA divulgou hoje o fluxo de capitais do país norte-americano para março.

As participações de longo prazo de valores mobiliários dos EUA em março, dos residentes estrangeiros, aumentaram em compras líquidas de US$ 22,3 bilhões.

As vendas líquidas por investidores privados estrangeiros foram de US$ 4 bilhões, e as vendas líquidas por estrangeiros de instituições oficiais foram de US$ 26,3 bilhões.

Ao mesmo tempo, residentes nos EUA reduziram seus haveres em títulos de longo prazo estrangeiros, com vendas líquidas de US$ 13,9 bilhões.

Levando em conta as transações em ambos, os estrangeiros e valores mobiliários dos EUA, as compras líquidas estrangeiras de títulos de longo prazo foram de US$ 36,2 bilhões.

Após ajustes, tais como estimativas de pagamentos de principal sem registro de estrangeiros dos EUA, estão incluídos, a aquisição líquida global de estrangeiros de títulos de longo prazo é estimada para ter sido em US$ 19 bilhões em março.

As detenções estrangeiras de todos os títulos denominados em dólar de curto prazo dos EUA e outros passivos de custódia caíram para US$ 2,7 bilhões.

Os estoques das indústrias nos Estados Unidos (Business inventories) subiram 0,3% em março, para nível sazonalmente ajustado de US$ 1,580 bilhão, segundo dados do Departamento do Comércio norte-americano.

O dado veio abaixo do esperado pelo mercado, que aguardava elevação de 0,5% (expectativa Forex Factory).

O dado de fevereiro não foi revisado, permanecendo em 0,6%.

No Velho Continente, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro e da União Europeia (UE) se manteve estável no primeiro trimestre do ano, segundo os primeiros dados divulgados nesta terça-feira pelo Eurostat, o escritório estatístico comunitário.

A economia europeia fica assim à beira da recessão, depois da queda de 0,3% que os dois blocos registraram nos últimos três meses de 2011.

A Alemanha compensou os dados ruins, já que sua economia se recuperou no começo do ano e cresceu 0,5%, após uma baixa de 0,2% nos últimos três meses do ano anterior.

Em termos anualizados, o PIB se manteve estável na zona do euro e cresceu 0,1% na UE.

No último trimestre de 2011, apesar da queda trimestral, a economia do euro crescera 0,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior, enquanto a da UE avançara 0,8%.

Os três primeiros meses de 2012 podem ter até oito países da UE - ainda não há dados disponíveis para todos - em recessão.

Entre eles, algumas das maiores economias do euro, como a Espanha, com uma nova queda de 0,3%, e a Itália, cujo PIB caiu 0,8%.

Na França, o PIB se manteve estável, enquanto a Holanda continua em recessão, com um descenso de 0,2%.

Portugal também registra um novo trimestre de queda (-0,1%), assim como o Chipre (-0,3%).

Para Irlanda e Grécia, duas das economias mais atingidas pela crise, não há dados disponíveis.

Os melhores resultados são os da Finlândia, que cresceu 1,3% no primeiro trimestre do ano.

Fora do euro, a economia britânica também entra em recessão, ao cair 0,2%, que se soma à baixa de 0,3% no período anterior.

Os piores dados são os de Hungria e República Tcheca, com quedas de 1,3% e 1% com relação ao trimestre anterior, enquanto se recuperaram os países do Báltico: Lituânia (0,8%), Letônia (1,1%) e Estônia (0,5%).

A balança comercial no Reino Unido registrou déficit de 2,7 bilhões de libras esterlinas em março, inferior ao déficit de 2,9 bilhões de fevereiro, segundo informações divulgadas hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês).

As exportações subiram 6%, enquanto as importações avançaram 2,4% em relação a fevereiro.

Considerando apenas a balança comercial de bens, com ajustes sazonais, o déficit foi de 8,6 bilhões de libras em março, mesmo resultado do mês anterior.

A balança comercial de serviços, por sua vez, apresentou superávit em 5,8 bilhões de libras esterlinas, acima dos 5,6 bilhões de fevereiro.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da França registrou alta de 0,1% em abril na comparação com março, quando houve avanço de 0,8%. Já na base anual, a inflação cresceu 2,1% no país.

Excluindo o tabaco, no entanto o índice subiu na comparação mensal (0,1%) e teve elevação de 2% ante o ano passado. Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas e Estudos Econômicos (Insee).

O Indicador de Sentimento Econômico ZEW da Alemanha caiu 12,6 pontos em maio, para 10,8 pontos, registrando a primeira queda após cinco meses consecutivos de alta, de acordo com o Centro Europeu de Pesquisa Econômica (ZEW, na sigla em alemão).

Em abril, o indicador havia atingido 23,4 pontos. O resultado veio abaixo do esperado pelo mercado de 19,1 pontos (previsão Forex Factory).

O indicador de situação econômica atual mostrou leve aceleração este mês. O indicador avançou 3,4 pontos, para 44,1 pontos em maio.

O índice de expectativas para a zona do euro caiu 15,5 pontos em maio, para -2,4 pontos. O indicador de situação econômica atual na zona do euro perdeu 11,2 pontos, para -60,2 pontos.

Entre as maiores altas do Ibovespa ficaram:Marfrig ON (+5,25% a R$ 9,62); Santander UNT (+1,82% a R$ 16,25); MMX Miner ON (+ 1,05% a R$ 7,70); Dasa ON (+0,94% a R$ 13,95) e BM&FBovespa ON (+0,93% a R$ 9,78).

Na contramão terminaram: MRV ON (- 15.,04% a R$ 9,43);PDG Realt ON (-9,83% a R$ 3,67);B2W Varejo ON (-8,91% a R$ 6, 44); Rossi Resod ON (-7,88% a R$ 5,96); e OGX ON(-7,82% a R$12,03).

Dentre as ações com maior peso na carteira teórica (que vigora de 2 de janeiro a 30 de abril) a Vale PNA (Vale5) subia 1,79% a R$ 38,03; a Petrobras (PETR4) avançava 1,53% a R$ 19,19; a OGX Petróleo ON tinha queda de 2,38% a R$ 12,74; Itauunibanco PN (ITUB4) tinha alta de 2,04% a R$ 28,98; e Bradesco PN (BBDC4) subia 0,90% a R$ 29,11.

(Ivonéte Dainese - www.ultimoinstante.com.br)


Este relatório ou artigo não representa necessariamente a opinião do site, tem como único propósito fornecer informações e no constitui ou deve ser interpretado como uma oferta ou solicitação de compra ou venda de qualquer instrumento financeiro. O Bússola do Investidor nem o autor do artigo no declaram ou garantem, de forma expressa ou implícita, a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações. Este artigo se baseia em informações públicas sobre cujas veracidade e qualidade não temos responsabilidade.
 
Fornecido por


Mais Lidas
Enquete
 
  
Mercados  |  Empresas  |  Corretoras  |  Calculadora de IR  |  Fórum  |  Central de Ajuda  |  Contato
Siga-nos:     


Copyright © 2007-2014 Bússola do Investidor.
Ao utilizar o site, você concorda com os Termos de Uso.
Cotações Bovespa com 15 minutos de atraso. Clique aqui para ver cotações em tempo real em todo o site.
Todas as opiniões aqui exibidas são de responsabilidade de seus próprios autores e poderão ser retiradas a qualquer momento sem aviso prévio.
Apesar de todo o cuidado na coleta dos dados apresentados, não nos responsabilizamos pela exatidão das informações contidas neste site.
 
IP-0A9AC736 10.154.199.54- 22/10/2014 21:04:56